Seguir o O MINHO

Futebol

“Tenho a convicção de que o melhor ainda está para chegar”

Micael Sequeira

em

Foto: DR

Declarações à ‘flash interview’ da Sport TV após a vitória do SC Braga em casa com o campeão FC Porto (2-1), que garantiu o terceiro lugar para os minhotos na 34.ª e última jornada da I Liga:

Micael Sequeira (treinador adjunto do SC Braga): “Felicito o FC Porto pela conquista do campeonato. Foi um grande jogo, principalmente a segunda parte, tivemos uma reação tremenda, em que se viu a entrega e caráter dos jogadores, tudo o que era necessário para dar a volta à primeira parte.

Foi um grupo que soube adaptar-se às circunstâncias diferentes, são os grandes responsáveis pela Taça da Liga e pelo terceiro lugar. Os meus sinceros parabéns para os jogadores.

O terceiro lugar foi importante, foi tudo muito bem preparado pela administração. É um prémio justo para toda a gente que trabalha diariamente neste clube. Tenho a convicção de que o melhor ainda está para chegar.

Estamos felizes pela conquista, não estávamos preocupados com o outro jogo. Felizmente para nós, correu tudo bem e resta dar os parabéns a toda a gente que trabalha diariamente neste clube”.

Sérgio Conceição (treinador do FC Porto): “Houve uma grandíssima primeira parte do FC Porto, fizemos um golo, um golo anulado, e o Braga não chegou uma vez à baliza. Na segunda parte, a situação do golo acontece quando temos o Díaz no chão, a jogada continuou e o árbitro marcou a falta quando temos um jogador que se lesiona.

O empate deu confiança a uma equipa que necessitava muito de ganhar este jogo, como nós, pelo que fizemos. Com a saída do Luís Díaz, parte do que foi estrategicamente preparado, e não entendendo tão bem o que era pedido pelos jogadores que acabaram o jogo, houve superioridade da última meia hora do Braga.

Viu-se que [os jogadores] foram ao máximo, viemos aqui para ganhar o jogo. Posso é questionar um ou outro jogador que entrou e não interpretou tão bem. Nunca fico melindrado quando há um erro técnico, mas fico mais aborrecido quando não há atitude competitiva, e tem de ser até final. Este era um jogo em que tínhamos de ser iguais a nós próprios.

Estivemos três meses parados, sem competição, tivemos o dobro da paragem habitual. À medida que iniciámos a retoma, a equipa foi subindo de nível, e hoje eram importantes os três pontos. Do que é o objetivo da equipa, é muito a Taça de Portugal, talvez tenha entrado no subconsciente dos jogadores”.

Fransérgio (jogador do SC Braga): “Fico feliz pelo prémio [de melhor em campo]. Passámos por tantas dificuldades, tantos treinadores, e todos tiveram um papel fundamental. Este terceiro lugar é de todos.

Fomos passando para dentro de campo [as informações sobre o jogo do Sporting], também a nossa garra e determinação. Está toda a gente de parabéns.

A mudança de atitude [na segunda parte]. Precisávamos de ganhar.

Foi na garra, mesmo. Como os guerreiros. Está toda a gente de parabéns”.

Pepe (jogador do FC Porto): “Não conseguimos manter a intensidade na segunda parte, o Braga jogava com o objetivo da Liga Europa, mas na primeira parte estivemos em grande. Saíram alguns jogadores [por lesão], mas não foi por isso que perdemos. Quando baixa a intensidade, paga-se caro, o treinador avisou-nos.

Temos ainda uma final [da Taça de Portugal], os jogadores sentem que devem proteger-se. Acho que estivemos bem durante a época, numa temporada muito atípica, mas o mais importante foi conseguir o objetivo de ser campeão.

Fizemos uma primeira parte de alto nível, acho que o Braga não teve nenhuma ocasião de golo no primeiro tempo”.

EM FOCO

Populares