Seguir o O MINHO

Braga

Tecnológica quer contratar 300 para trabalho remoto. E há preferência por Braga

Emprego

em

Foto: Dr / Arquivo

A empresa portuguesa Talkdesk quer recrutar 300 colaboradores até final deste ano para exercerem funções em trabalho a partir de casa. Uma das cidades onde a tecnológica tem interesse é Braga, face à evolução estudantil com bom ritmo tecnológico que a área apresenta.


A Talkdesk é um unicórnio na linguagem internacional do mundo empresarial, ou seja, está avaliada em bolsa com um valor de mais de mil milhões de dólares (cerca de 850 milhões de euros).

A plataforma, que disponibiliza assistência ao cliente sem necessidade de instalações físicas, já trabalha com empresas de elevado valor de mercado, como é o caso da IBM ou do portal de viagens Trivago. Fundada em 2011 por dois portugueses – Tiago Paiva e Cristina Fonseca – personaliza o atendimento telefónico desses mesmos clientes, para esclarecer dúvidas, entre outros assuntos.

Uma ronda de investimento de 143 milhões de dólares, operada em julho deste ano, permite que a empresa possa contratar mais 700 funcionários, metade deles em solo luso.

Em entrevista ao Dinheiro Vivo, João Coelho, um dos responsáveis de recursos humanos, explica que já foram contratados em Portugal cerca de 100 colaboradores desde o mês de abril, e todos trabalham exclusivamente em modo remoto.

Há três anos que a Talkdesk pretende chegar aos 1000 funcionários em 2020. A plataforma fundada em 2011 pelos portugueses Tiago Paiva e Cristina Fonseca ajuda as empresas a personalizarem o atendimento telefónico aos clientes com um sistema na cloud, ou seja, sem necessidade de infraestrutura física.

Em Portugal, existem atualmente cerca de 700 colaboradores, na sua grande maioria focados em engenharia. Lá fora, há mais 350 funcionários. Até final do ano, entram mais 600, 300 dos quais em Portugal.

“Teremos mais de 1.500 pessoas até ao final deste ano. Estamos a preparar as nossas equipas de recursos humanos para conseguirmos assegurar o cumprimento deste objetivo, ambicioso mas realista”, disse.

Em Portugal, o responsável explica que Braga é uma das cidades onde a empresa quer contratar, dada a proximidade com academias como a UMinho, que formam engenheiros de excelência.

Também Viseu, Guarda, Vila Real, Fundão, Beja, Faro, Açores e Madeira estão entre as cidades preferidas para o recrutamento, por serem “um universo de oportunidades interessante”.

Atualmente, em Portugal, a empresa funciona exclusivamente de forma remota, situação que já era preferencial mas foi acelerada pela pandemia atual. A sede que a Talkdesk possui em Lisboa está vazia, embora continue arrendada pela empresa, algo que deverá terminar brevemente, levando a que os proprietários do espaço peçam uma indemnização de cerca de 1,5 milhões de euros.

Anúncio

Braga

Incêndio destrói garagem e moto-quatro em Vila Verde

Oriz S. Miguel

em

Foto: DR

Um incêndio que deflagrou numa garagem ao início da madrugada desta quinta-feira destruiu uma moto-quatro, um atrelado e outros arrumos que estavam dentro da infraestrutura, em Vila Verde.

Ao que apurou O MINHO, o incêndio, com origem ainda por apurar, danificou a garagem de tal forma que a mesma terá de ser demolida devido aos danos estruturais. Também a zona da cozinha sofreu danos, mas sem grande significância.

O alerta foi dado às 00:03 para uma habitação situada perto da Igreja de Oriz São Miguel, no concelho de Vila Verde.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Pela 01:21, os Bombeiros de Vila Verde ainda se encontram no local com nove operacionais, uma viatura tática urbana e um veículo urbano de combate a incêndios.

Apesar de ter sido mobilizada por precaução uma ambulância da mesma corporação, não houve necessidade de utilização por não existirem feridos.

A GNR de Vila Verde está apurar as causas do incêndio.

Continuar a ler

Braga

Ex-chefe da investigação criminal de Braga da GNR acusado de peculato

Crime

em

Foto: DR / Arquivo

O Ministério Público (MP) acusou um militar da GNR de Braga de peculato e abuso de poder por alegadamente ter falsificado os mapas mensais de suplementos remuneratórios, logrando assim receber indevidamente 5.400 euros.

Segundo nota hoje publicada na página da Procuradoria-Geral Regional do Porto, o arguido era chefe do Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Braga.

“Enquanto responsável pelo preenchimento e envio para processamento dos mapas mensais de suplementos remuneratórios, de novembro de 2011 a outubro de 2016, incluiu o seu nome enquanto beneficiário do suplemento de escala, embora não tivesse direito a receber tal suplemento”, refere a nota.

O Ministério Público concluiu que, dessa forma, o arguido recebeu indevidamente o montante líquido de 5.400,17 euros.

O arguido está ainda acusado de ter ordenado aos militares do efectivo do Núcleo de Investigação Criminal, seus subordinados, que o substituíssem na execução do serviço para que ele estava escalado.

Continuar a ler

Braga

Trânsito caótico em Braga. Ambulâncias com dificuldade para chegar ao hospital

Trânsito

em

Foto: redes sociais

A cidade de Braga, sobretudo nos seus diferentes acessos, tem vivido um final de quarta-feira caótico no que ao trânsito rodoviário diz respeito.

As longas filas na variante Norte, que ultrapassam as bombas de combustível Cepsa, em Maximinos, chegando ao nó de Ferreiros, ao pé do E.Leclerc, são algumas das reportadas por automobilistas ao final da tarde.

Também em outros locais, como na Av. Padre Júlio Fragata, quem vem da Variante Sul da circular, está a ser experenciada idêntica situação junto ao Braga Parque, nos acessos à Av. António Macedo e à Variante de Prado.

No já célebre Nó de Ínfias, na rotunda ao pé do Sá de Miranda, o trânsito chega a estar parado durante 15 minutos, bloqueado nos acessos aos colégios e ao centro da cidade.

Há registo ainda de dificuldades para ambulâncias de corporações de fora de Braga mas que são servidas pelo Hospital Central, localizado na cidade.

Algumas testemunhas publicaram nas redes sociais os gestos solidários de automobilistas ao abrirem “caminho” para que as ambulâncias possam superar as longas filas.

(notícia atualizada com a correção do dia da semana)

Continuar a ler

Populares