Seguir o O MINHO

Braga

Sindicato acusa JADO IBÉRIA de “intimidação” e “repressão” sobre trabalhadores

em

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente (SITE) do Norte acusa a JADO IBÉRIA, em Braga, de instaurar processos disciplinares a trabalhadores que reivindicaram melhores condições de trabalho como forma de “intimidação” e “repressão”.

Esta tarde, à margem de uma manifestação de apoio a nove colegas “vítimas” de procedimentos disciplinares, organizada pelo SITE, no final de um plenário de trabalhadores da empresa, o representante da comissão de trabalhadores da JADO IBÉRIA, Augusto Moreira, acusou ainda a empresa de falta de diálogo.

A administração da JADO IBÉRIA instaurou processos disciplinares aos nove trabalhadores da secção galvanostegia (cromagem) por estes terem parado de trabalhar 20 minutos em protesto pelo calor que se fazia sentir nas instalações por falta de ventilação.

“A 09 de julho estava muito calor e ali atingem-se temperaturas acima dos 40 graus, isto já tem vindo a ser falado mesmo com a comissão de higiene e segurança no trabalho”, explicou Augusto Moreira.

Segundo o representante dos trabalhadores, os colegas visados pela administração “pararam de trabalhar durante 20 minutos” em protesto “até que um colega dos recursos humanos foi falar com eles e no espaço de uma hora conseguiu arranjar outra ventoinha que havia na empresa e foi lá colocada” e os trabalhadores regressaram ao trabalho.

No entanto, explanou, “a administração justifica os processos disciplinares com o argumento de que os trabalhadores não tinham o direito de fazer a pausa”.

O representante dos trabalhadores explicou que dos processos disciplinares instaurados resultou uma advertência escrita mas, disse, “os trabalhadores vão recorrer para o tribunal”.

Segundo o SITE, tem existido “diversas e inadmissíveis formas de intimidação e de autêntica repressão” sobre os trabalhadores, sendo aqueles processos disciplinares mais um caso.

O representante dos trabalhadores acusou ainda a administração de falta de diálogo.

“Temos uma administração que não quer ter diálogo com ninguém, mesmo com a Comissão de Trabalhadores o diálogo não tem sido fácil”, disse.

“Por exemplo, dia 23 de dezembro pediram-nos para pormos um dia de férias mas sem dar nada em troca e nem nós na Comissão de Trabalhadores conseguimos perceber bem porque nos pediram o dia”, apontou.

A JADO IBÉRIA tem 101 trabalhadores.

Populares