Seguir o O MINHO

Alto Minho

Seca no rio Lima: EDP pediu a autarcas para proibirem visitas à aldeia-fantasma

Espanha vai verificar se o nível mínimo de água na albufeira está mesmo a ser cumprido

em

Foto: Pedro Castro (Via Meteo Trás os Montes - Portugal)

A seca que tem afetado a Albufeira do Alto Lindoso, entre Ponte da Barca e Lóbios (Espanha), motivou uma comunicação da EDP aos autarcas espanhóis para que estes proíbam as visitas à antiga aldeia submersa de Aceredo, no lado galego do rio Lima.

A informação é avançada pela RTP e vem na sequência das notícias publicadas por O MINHO, que alertam para o anormalmente baixo caudal daquele curso de água em pleno mês de janeiro.

De acordo com a televisão pública, citando fonte da EDP, a energética enviou um email para os ‘alcaldes’ de Lóbios e de Entrimo, solicitando colaboração para sensibilizar os visitantes para que não se desloquem até à aldeia-fantasma.

Mas os autarcas não concordam. Ramón Alonso, alcalde de Entrimo, salientou à RTP que o município galego “não tem nenhuma competência para atuar num território que está sob proteção de uma empresa portuguesa”.

“Não faz sentido que peçam à Câmara para zelar pela segurança de um local, quando  a responsabilidade por esse mesmo local é da exclusividade da EDP”, acrescentou.

Albufeira do Alto Lindoso cada vez mais seca. EDP diz estar “atenta”

Também Mari Carmen Yanes, alcadesa de Lóbios, não irá acatar o pedido, reforçando mesmo que “os únicos responsáveis por eventuais danos no resto das casas são os titulares delas, ou seja, a EDP”.

A autarca revelou ainda que irá solicitar ao Governo espanhol uma investigação para perceber se  os níveis mínimos da albufeira estão mesmo a ser cumpridos, conforme garantiu a EDP à RTP e a O MINHO (já por duas vezes, em outubro e em janeiro).

À RTP, à semelhança do que havia dito a O MINHO, a energética garantiu estar a “tratar da implementação de medidas no terreno que ajudem” a subir o nível da água, mas voltou a não dizer quais são essas medidas.

Populares