Seguir o O MINHO

Região

São estas as 66 escolas do Minho que vão ficar sem amianto

Quinze concelhos abrangidos

em

Foto: Ilustrativa / DR

O programa de remoção de amianto anunciado pelo governo contempla intervenções em 66 escolas da região do Minho.


São 15 concelhos dos distritos de Braga e Viana do Castelo que são abrangidos.

Barcelos é o concelho que mais se destaca com 19 escolas das quais será retirado o amianto, seguido de Guimarães (12) e Braga e Viana do Castelo (ambas com 6).

Em Famalicão, Fafe, Esposende e Cabeceiras de Basto serão intervencionadas quatro escolas, enquanto em Amares, Arcos de Valdevez, Caminha, Monção, Ponte de Lima, Póvoa de Lanhoso e Vila Verde será uma.

O programa para a retirada de amianto das escolas preconiza um investimento de 60 milhões de euros, financiado por verbas comunitárias, e abrange 578 estabelecimentos de ensino.

Amianto vai ser retirado de 218 escolas no Norte

De acordo com o despacho conjunto do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, das 578 escolas distribuídas pelas cinco NUTS II de Portugal continental, 218 ficam no Norte e 163 na Área Metropolitana de Lisboa. Há ainda 107 escolas no Centro (NUTS II), 59 no Alentejo e 31 no Algarve.

As escolas incluídas neste programa são da rede pública da educação pré-escolar, do ensino básico e do ensino secundário.

Lista de escolas abrangidas no Minho

Amares – Escola Secundária de Amares
Arcos de Valdevez – Escola Básica e Secundária de Arcos de Valdevez
Barcelos – Escola Básica de Abade de Neiva, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Aldão, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Areias de Vilar, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Cambeses, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Carapeços, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Carvalhal, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Fraião, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Galegos – Santa Maria, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Galegos – São Martinho, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Manhente, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Milhazes, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Moure, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Perelhal, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Remelhe, Barcelos
Barcelos – Escola Básica de Vila Boa, Barcelos
Barcelos – Escola Básica e Secundária de Vale do Tamel, Lijó, Barcelos
Barcelos – Escola Básica Gonçalo Nunes, Arcozelo, Barcelos
Barcelos – Escola Secundária de Barcelinhos, Barcelos
Barcelos – Jardim de Infância de Ferreiros, Cristelo, Barcelos
Braga – Escola Básica de Braga Oeste, Cabreiros, Braga
Braga – Escola Básica de Coucinheiro, Braga
Braga – Escola Básica de Lamaçães, Braga
Braga – Escola Básica de Mosteiro e Cávado, Panóias, Braga
Braga – Escola Básica de Palmeira, Braga
Braga – Escola Básica Frei Caetano Brandão, Maximinos, Braga
Cabeceiras de Basto – Escola Básica de Faia, Cabeceiras de Basto
Cabeceiras de Basto – Escola Básica de Ferreirinha, Cabeceiras de Basto
Cabeceiras de Basto – Escola Básica de Pedraça, Cabeceiras de Basto
Cabeceiras de Basto – Escola Básica do Arco de Baúlhe, Cabeceiras de Basto
Caminha – Escola Básica de Cruzeiro, Seixas, Caminha
Esposende – Escola Básica Antonio Correia Oliveira, Esposende
Esposende – Escola Básica de Apúlia, Esposende
Esposende – Escola Básica de Facho, Apúlia, Esposende
Esposende – Escola Básica de Forjães, Esposende
Fafe – Escola Básica de Montelongo, Fafe
Fafe – Escola Básica de Silvares, São Martinho, Fafe
Fafe – Escola Básica Padre Joaquim Flores, Revelhe
Fafe – Escola Básica Prof. Carlos Teixeira, Fafe
Guimarães – Escola Básica Agostinho da Silva, Guimarães
Guimarães – Escola Básica D. Afonso Henriques, Creixomil, Guimarães
Guimarães – Escola Básica de Casais, Brito, Guimarães
Guimarães – Escola Básica de Cerca do Paço, Guimarães
Guimarães – Escola Básica de Corvite, Guimarães
Guimarães – Escola Básica de Nossa Senhora da Conceição, Fermentões, Guimarães
Guimarães – Escola Básica de Oliveira do Castelo, Guimarães
Guimarães – Escola Básica de Pevidém, Selho – São Jorge, Guimarães
Guimarães – Escola Básica de Santa Luzia, Azurém, Guimarães
Guimarães – Escola Básica do Vale de São Torcato, Guimarães
Guimarães – Escola Básica Gil Vicente, Urgeses, Guimarães
Guimarães – Escola Básica Professor Abel Salazar, Guimarães
Monção – Escola Básica Deu-la-Deu Martins, Monção
Ponte de Lima – Escola Básica António Feijó, Ponte de Lima
Póvoa de Lanhoso – Escola Secundária de Póvoa de Lanhoso
Viana do Castelo – Escola Básica da Abelheira, Viana do Castelo
Viana do Castelo – Escola Básica da Foz do Neiva, Castelo do Neiva, Viana do Castelo
Viana do Castelo – Escola Básica de Darque, Viana do Castelo
Viana do Castelo – Escola Básica Dr. Pedro Barbosa, Viana do Castelo
Viana do Castelo – Escola Básica e Secundária de Arga e Lima, Lanheses, Viana do Castelo
Viana do Castelo – Escola Básica e Secundária Pintor José de Brito, Santa Marta de Portuzelo, Viana do Castelo
Vila Nova de Famalicão – Escola Básica Conde de Arnoso, Vila Nova de Famalicão
Vila Nova de Famalicão – Escola Básica D. Maria II, Gavião, Vila Nova de Famalicão
Vila Nova de Famalicão – Escola Básica Dr. Nuno Simões, Calendário, Vila Nova de Famalicão
Vila Nova de Famalicão – Escola Básica Júlio Brandão, Vila Nova de Famalicão
Vila Verde – Escola Básica de Moure e Ribeira do Neiva, Ribeira, Vila Verde

Anúncio

Região

Dezenas de doentes covid do hospital de Penafiel transferidos para Braga e Viana

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Mais de 20 utentes do Centro Hospitalar Tâmega e Sousa, em Penafiel, foram transferidos para unidades hospitalares do Minho.

No hospital de Braga, existem atualmente 42 utentes internados com o novo coronavírus, 18 deles transferidos do Hospital Padre Américo, em Penafiel.

Já no Hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo, da responsabilidade da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), há 13 internados com o vírus (cinco em cuidados intensivos), até às 12:00 horas de segunda-feira, mas o hospital não avançou quantos são provenientes de Penafiel.

Em declarações a O MINHO, fonte da ULSAM disse que os hospitais do SNS estão a “trabalhar em rede”, permitindo que unidades com maior sobrecarga transfiram utentes para outras com maior capacidade de resposta no momento.

“É uma situação já prevista e perfeitamente normal”, assegurou a fonte.

Já o Hospital de Braga tem uma taxa de ocupação de 75% das camas atualmente disponíveis para doentes covid-19, anunciou hoje a administração daquela unidade à Lusa.

Numa resposta escrita, o Hospital de Braga revelou à Lusa que tem atualmente internados em enfermaria 42 doentes infetados com o novo coronavírus, 18 dos quais transferidos dos Centro Hospitalar Tâmega e Sousa.

Nos cuidados intensivos do Hospital de Braga há sete doentes com covid-19 e foi já ativado o nível 2 do Plano de Contingência.

“A atividade assistencial programada não foi, até ao momento, afetada”, refere ainda a administração.

As visitas estão suspensas desde o início da pandemia.

A administração do hospital de Braga sublinhou que o número de camas reservadas para doentes infetados pelo vírus SARS-CoV-2 “será reajustado sempre que a situação epidemiológica assim o justifique”.

“Caso seja necessário, em enfermaria, as camas reservadas para a covid podem ultrapassar a centena e meia e em UCIP (Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente) podem ultrapassar as 40”, acrescentou.

O número de casos ativos de infeção pelo novo coronavírus teve 12,6% de aumento percentual em Braga numa semana, segundo relatórios da Direção-Geral da Saúde.

O concelho de Braga, entre dia 19 de outubro e segunda-feira, registou 230 novos casos, passando de 1.819 para 2.049 infeções ativas.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 43,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.371 pessoas dos 124.432 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Região

Pandemia destruiu mais de oito mil empregos no Minho

Dados do IEFP

em

Foto: Ilustrativa / DR

Os distritos de Braga e Viana do Castelo somavam em fevereiro, antes de o país sentir os efeitos da pandemia de covid-19, 30.160 desempregados registados no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). Em setembro, e apesar de alguma melhoria em relação a agosto, são 38.367. Ou seja, durante a pandemia, perderam-se 8.207 empregos no Minho, um crescimento do desemprego de 27%.

De acordo com os dados mais recentes do IEFP, relativos ao mês de setembro, o distrito de Braga tem 31.887 desempregados, quando em fevereiro eram 25.808. Portanto, nos meses de pandemia mais 6.079 pessoas ficaram desempregadas, o que representa um crescimento de 21%.

No entanto, o mês de setembro deu sinais de recuperação, tendo registado um decréscimo de 671 desempregados em relação a agosto (32.558). Quase todos os concelhos, entre agosto e setembro, viram os números do desemprego diminuir, à exceção de Guimarães (mais 159 desempregados num total de 7.337) e Fafe (mais 46 num total de 2.301).

Alto Minho particularmente fustigado

No Alto Minho, em setembro, estavam registadas no IEFP 6.480 pessoas, mais 2.128 do que antes da pandemia (4.352). Em termos percentuais, a pandemia fez disparar o desemprego em 49% no distrito de Viana do Castelo.

Na capital de distrito o aumento foi de 51%, mas a maior subida em termos percentuais foi registada em Ponte de Lima – 84%. Também Cerveira (57%) e Paredes de Coura (66%) tem elevadas taxas de crescimento do desemprego entre fevereiro e setembro deste ano.

Porém, também o Alto Minho regista em setembro uma melhoria em relação a agosto (menos 195 desempregados).

Número de inscritos no IEFP em setembro de 2020

Distrito de Braga

Braga – 7.490 (mais 1.470 em relação a fevereiro)
Barcelos – 2.814 (mais 481 em relação a fevereiro)
Guimarães – 7337 (mais 1.567 em relação a fevereiro)
Famalicão – 4.847 (mais 1.337 em relação a fevereiro)
Vila Verde – 1.362 (mais 241 em relação a fevereiro)
Amares – 617 (mais 111 em relação a fevereiro)
Póvoa de Lanhoso – 838 (mais 35 em relação a fevereiro)
Esposende – 770 (mais 131 em relação a fevereiro)
Vizela – 1.113 (mais 316 em relação a fevereiro)
Celorico de Basto – 823 (mais 171 em relação a fevereiro)
Cabeceiras de Basto – 711 (menos 12 em relação a fevereiro)
Vieira do Minho – 621 (menos 60 em relação a fevereiro)
Terras de Bouro – 243 (menos 98 em relação a fevereiro)
Fafe – 2.301 (mais 389 em relação a fevereiro)

Distrito de Viana do Castelo

Viana do Castelo – 2.460 (mais 837 em relação a fevereiro)
Caminha – 446 (mais 142 em relação a fevereiro)
Monção – 431 (mais 111 em relação a fevereiro)
Ponte da Barca – 286 (mais 54 em relação a fevereiro)
Arcos de Valdevez – 565 (mais 112 em relação a fevereiro)
Melgaço – 133 (mais 9 em relação a fevereiro)
Paredes de Coura – 300 (mais 120 em relação a fevereiro)
Ponte de Lima – 1.017 (mais 464 em relação a fevereiro)
Valença – 561 (mais 176 em relação a fevereiro)
Cerveira – 281 (mais 103 em relação a fevereiro)

Continuar a ler

Ave

Hospital de Famalicão com 100% de ocupação nas enfermarias covid

Covid-19

em

Foto: DR

O Centro Hospitalar do Médio Ave (CHMA), composto pelos hospitais de de Vila Nova de Famalicão e Santo Tirso, tem uma taxa de ocupação de cerca de 100% em termos de “enfermaria covid-19”, revelou esta terça-feira a administração.

Em resposta escrita enviada à Lusa, a administração revelou que o número de camas para doentes covid-19 tem vindo a ser alargada, tendo recomeçado, no início da chamada segunda vaga, com 10, subindo para 15, depois para 28 e atualmente para 58.

“Preparamo-nos para alargar um pouco mais”, referiu a administração, explicando que vai alargando a área dedicada a doentes respiratórios (ADR) “conforme as necessidades”.

O número de casos ativos de infeção pelo novo coronavírus teve 17% de aumento percentual em Famalicão numa semana, segundo relatórios da Direção-Geral da Saúde, referentes aos últimos dias.

O concelho de Famalicão, entre o dia 19 de outubro e segunda-feira, registou 174 novos casos covid-19, subindo de 1.021 para 1.195.

No entanto, o Hospital de Famalicão ainda não transferiu doentes para outros hospitais.

Está prevista para breve, uma ADR nova no Serviço de Urgência Médico-Cirúrgico.

As visitas estão suspensas, com exceções avaliadas caso a caso.

A cirurgia programada de internamento foi reduzida temporariamente a casos prioritários.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 43,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.371 pessoas dos 124.432 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Populares