Seguir o O MINHO

Desporto

Relvado de clube de Famalicão incendiado

em

Foto: Facebook de Ribeirão FC

Partes do relvado sintético do centro de formação do Ribeirão FC foram queimados este fim de semana, segundo revelou o clube nas suas redes sociais.

Comunicado Ribeirão FCA direcção do Ribeirão FC vem por este meio repudiar os actos de vandalismo ocorridos no Centro…

Publicado por Ribeirão Futebol Clube em Sábado, 20 de julho de 2019

Os responsáveis do clube apelam à população que, no caso de terem informações sobre este ato de vandalismo, informem as autoridades competentes.

A direção informou que irá apresentar queixa na GNR Famalicão contra desconhecidos.

Anúncio

Futebol

Sá Pinto espera um Spartak de Moscovo ao nível dos ‘grandes’ em Portugal

Liga Europa

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Sporting Clube (SC) de Braga, Ricardo Sá Pinto, disse hoje que os jogos do playoff de acesso à Liga Europa de futebol com o Spartak de Moscovo serão tão difíceis como os embates com os ‘grandes’ portugueses.

“Sem dúvida, será um jogo da mesma exigência [como com Benfica, FC Porto e Sporting]. Será um jogo muito difícil para nós, mas também para eles. É uma equipa muito madura, com jogadores internacionais nos diversos setores, com experiência e qualidade, muito perigosa no contra-ataque e no ataque rápido”, disse na conferencia de imprensa de antevisão da partida da primeira mão, que se realiza na quinta-feira, em Braga.

O técnico quer, por isso, um Braga muito cuidadoso: “temos que ser equilibrados em todos os momentos e agressivos defensivamente e não dar espaço a jogadores como Schurrle, Bakaev ou Ponce”, disse.

Para Sá Pinto, “os detalhes vão fazer a diferença nesta eliminatória”, considerando que “as duas equipas têm valor para passar à fase de grupos”.

“É importante fazer um bom resultado e isso passa por não sofrer e marcar: é o resultado que queremos para amanhã (quinta-feira)”, afirmou.

A Rússia é sexta classificada no ranking da UEFA e Portugal sétimo e, para Sá Pinto, esse é outro motivo para querer bater os moscovitas.

“Queremos fazer as duas coisas, ajudar o Braga a entrar na fase de grupos e Portugal através dessa qualificação”, disse.

O técnico não quis revelar se vai fazer alterações em relação ao ‘onze’ que começou o jogo em Alvalade, contra o Sporting, no domingo (derrota por 2-1), mas frisou que, seja qual for a equipa, isso não significa fazer gestão.

“Não faço gestão, faço uma convocatória a pensar que aqueles jogadores são os melhores para aquele jogo. Tenho muitos e bons jogadores, mas não os posso meter a todos. Estou muito satisfeito com a prestação de todos. Na quinta-feira jogarão os que têm as características ideais para começar este jogo”, disse.

Já o extremo Ricardo Horta frisou a vontade da equipa em chegar à fase de grupos.

“O Braga está a querer chegar perto dos ‘grandes’ e temos de estar nas competições europeias para mostrar quão fortes somos, vamos lutar por isso”, garantiu.

O Spartak de Moscovo já leva oito jogos oficiais esta época, o dobro dos do Braga, mas o jogador português considera que a equipa está preparada fisicamente para o embate.

“Estamos com muita ambição e ilusão para jogar este jogo, é um jogo difícil, mas é destes jogos que gostamos [e são estes] nos fazem crescer. Todo o plantel está pronto para jogar e certamente vamos fazer dois grandes jogos para esta grande equipa”, disse.

Questionado pelos jornalistas russos sobre a importância da Liga Europa para as equipas portugueses, Sá Pinto respondeu: “Em Portugal não descuramos nada, não abdicamos de nada, tudo é importante”.

SC Braga e Spartak de Moscovo defrontam-se a partir das 19:45 de quinta-feira, no Estádio Municipal de Braga, com arbitragem do espanhol Xavier Estrada Fernández.

Continuar a ler

Futebol

Liga Europa: Treinador do Vitória quer derrotar FCSB na Roménia

Liga Europa

em

Ivo Vieira Vitoria SC

O treinador Ivo Vieira assumiu esta quarta-feira que o Vitória SC quer surgir “competitivo e organizado” na Roménia para derrotar o FCSB, na quinta-feira, na primeira mão do playoff de acesso à Liga Europa de futebol.

Depois de, nas rondas anteriores, ter ultrapassado com distinção Jeunesse Esch, do Luxemburgo (triunfos por 1-0 e 4-0), e Ventspils, da Letónia (3-0 e 6-0), os portugueses vão disputar o acesso à fase de grupos com a equipa descendente do Steaua de Bucareste e estão, segundo o técnico, prontos para se imporem e vencerem a primeira mão.

“Esta é uma fase em que há muita responsabilidade de todos nós. Temos de lutar para que os resultados surtam a nosso favor. O playoff não vai mudar o que temos feito. Vamos com o intuito de ganhar, competitivos e organizados, como vamos para os outros jogos”, disse, na academia vitoriana, durante a antevisão ao jogo marcado para as 19:30 (hora de Lisboa).

O ‘timoneiro’ vitoriano realçou que o seu conjunto vai tentar encarar a partida somente concentrado em “ter bola, atacar e fazer golo”, de forma “equilibrada e consciente”, sem pensar muito num opositor que tem estado melhor na Liga Europa do que no campeonato.

Atual 11.º classificado da Liga romena, com quatro pontos em seis jogos, o FCSB ultrapassou o Milsami Orhei (Moldávia), o Alashkert (Arménia) e o Mladá Boleslav (República Checa) para chegar ao playoff.

Ivo Vieira lembrou que a turma romena tem apostado sobretudo na Liga Europa na fase inicial da época, com várias trocas nos onzes escolhidos para essa prova e para o campeonato, pelo seu técnico interino, Vergil Andronache, e frisou que o Vitória tem de fazer um esforço coletivo para travar o FCSB, em vez de se focar nos seus elementos mais cotados, como o extremo Florinel Coman.

“Pode haver algum atleta que faz o golo, que faz o passe, mas o coletivo é que pode resolver os problemas. Vamos ter atenção a alguns atletas que possam acrescentar algo ao jogo. O nosso adversário vai criar-nos problemas, mas não vamos estar focados num ou noutro jogador”, explicou.

Tal como aconteceu no Luxemburgo e na Letónia, o Vitória não vai jogar no recinto do adversário, a Arena Nacional, em Bucareste, mas sim no Estádio Marin Anastasovici, na cidade de Giurgiu, 60 quilómetros a sul, por imposição da UEFA.

O treinador do Vitória negou, contudo, que essa situação constitua um benefício para a sua equipa, tendo, por outro lado, rejeitado que o FCSB possa tirar alguma vantagem do maior número de partidas disputadas – já fez 12, contra seis dos portugueses.

Ao lado de Ivo Vieira, o lateral esquerdo Florent atribuiu favoritismo na eliminatória ao FSCB, por ser o cabeça de série, mas lembrou a ambição vimaranense em chegar à fase de grupos.

O encontro será arbitrado pelo esloveno Matej Jug.

Continuar a ler

Desporto

Portugueses ganham medalhas de ouro e prata nos Mundiais para Transplantados

Em natação

em

Foto: DR

Nas provas de natação realizadas na terça-feira, André Jorge venceu duas medalhas de ouro, nos 100 metros bruços e nos 100 metros livres, e Maria João Taborda conseguiu a medalha de prata nos 100 metros bruços.

Dois atletas portugueses conseguiram duas medalhas de ouro e uma de prata nos Jogos Mundiais para Transplantados 2019 que decorrem em Newcastle, Reino Unido, disse hoje à Lusa a responsável pela delegação de Portugal Sofia Santos.

Nas provas de natação realizadas na terça-feira o atleta André Jorge venceu duas medalhas de ouro, nos 100 metros bruços e nos 100 metros livres, e a nadadora Maria João Taborda conseguiu a medalha de prata nos 100 metros bruços.

A delegação portuguesa é constituída por cinco atletas que se repartem pelas modalidades de natação, petanca, atletismo, ténis e ténis de mesa.

Hoje vão estar quatro atletas portuguesas em competições de ténis e natação e na quinta-feira, atletismo e ténis de mesa.

“É preciso quebrar o mito de que não se pode fazer desporto após um transplante. É claro que temos de ter acompanhamento médico, temos de fazer exames complementares necessários, mas é possível. Este é o nosso testemunho e é claro que se vierem medalhas melhor, mas o importante é conseguirmos estar aqui porque esta é uma segunda oportunidade de vida para nós”, disse à Lusa Sofia Santos, do Grupo Desportivo de Transplantados de Portugal.

O grupo é uma associação promotora do desporto, reconhecida pela Instituto do Desporto que desempenha o papel de uma federação.

Nos jogos mundiais participam atletas com transplante de “órgão sólido: coração, rim ou fígado”.

“O importante destes jogos é a integração, a reabilitação e a inclusão através do desporto. Em Portugal falta divulgação. Vamos encontrando novos sócios. Temos apenas 70 sócios. Há muito trabalho a fazer, sobretudo, junto de pessoas que foram sujeitas a um transplante e que não praticavam desporto”, afirma Sofia Santos, atleta de ténis de mesa.

A chefe da delegação portuguesa aos jogos mundiais refere ainda que há um compromisso de prática desportiva por parte dos participantes e que é mais fácil para os transplantados que já praticavam desporto voltarem a praticar desporto após o transplante, mas frisa que a prática desportiva não se limita aos que já praticavam uma modalidade antes da doença.

“É normal que haja algum receio de rejeição após o transplante, temos de ter alguns cuidados”, diz.

A presença de Portugal nestas competições internacionais ocorre desde 1989, mas não tem sido regular.

Nos jogos mundiais, que realizam-se nos anos ímpares, participam apenas transplantados, sendo que nos jogos europeus, que se realizam ‘nos anos pares’, participam transplantados e hemodialisados.

De acordo com a organização dos Jogos Mundiais para Transplantados 2019, que se realizam entre 17 e 23 de setembro em Newcastle (http://worldtransplantgames.org/), estão envolvidos mais de 2.300 atletas e apoiantes de diferentes idades inscritos em 16 modalidades.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares