Seguir o O MINHO

Motores

Rali de Portugal. Câmara diz que salto da pedra sentada é o melhor do mundo

em

Foto: Divulgação

O presidente da Câmara de Fafe destacou a importância do “melhor salto” do mundial de ralis, por proporcionar imagens transmitidas para 150 países, projetando a “catedral dos ralis” e o país além-fronteiras.

“Fafe é conhecido em todo o mundo como a catedral dos ralis. Não é por acaso que o nosso salto é considerado o melhor do mundo”, disse Raul Cunha, em declarações à Lusa, referindo-se ao famoso salto da “Pedra Sentada”.

Para o autarca, o facto de o último dia do rali ser integralmente disputado em Fafe, com cinco provas de classificação, incluindo a “power stage”, traduz o reconhecimento do Automóvel Clube de Portugal.

Raul Cunha refere que toda a câmara está, há cerca de um mês, envolvida nas tarefas de preparação dos troços, mas também ao nível da segurança e conforto dos espetadores.

“Estamos todos preparados para acolher o rali. Em colaboração com o ACP, fizemos um trabalho grande de garantir a segurança, acolhermos bem os nossos visitantes e estou em crer que será novamente uma grande festa”, disse, garantindo que “toda a câmara está mobilizada nesse sentido”.

Fafe é conhecido como a “catedral dos ralis” e este ano volta a fazer jus ao título, ao receber cinco classificativas, incluindo a ‘power stage’, que preenchem o quarto e último dia do Rali de Portugal.

Ao todo, os concorrentes do mundial que sobreviverem até domingo vão percorrer 51,53 quilómetros, repartido pelos troços de Montim, por duas vezes, de Fafe, também por duas vezes, e de Luílhas.

A primeira classificativa em território de Fafe é a primeira passagem por Montim, com a extensão de 8,64 quilómetros, em terra batida, às 09:08. Este é o troço de Fafe mais próximo da cidade, terminando na localidade de Silvares.

Segue-se a primeira passagem pelo mais famoso dos três troços de Fafe, conhecido pelo seu salto da pedra sentada, e o troço de Luílhas, ambos disputados nas serranias do concelho.

Os pilotos seguem de novo para Montim, cumprindo a segunda passagem pelo troço e fazem depois o reagrupamento na cidade, para terminar a prova cumprindo, às 13:50, a ‘power stage’, no famoso troço de Fafe.

Nesse percurso, com 11,18 quilómetros, para além do espetacular salto que antecede a meta, que permite, com sinalizou o presidente, recolher as imagens que percorrem o mundo, existe outra zona espetáculo muito concorrida, o chamado Confurco. Ali costumam reunir-se milhares de espetadores, formando uma espécie de estádio nas montanhas que rodeiam aquele ponto do traçado muito apreciado por várias gerações de pilotos do mundial de ralis.

Populares