Seguir o O MINHO

Alto Minho

Quinta do Regueiro, de Melgaço, vence prémio nacional de produtor do ano

Revista Vinho Grandes Escolhas

em

Foto: Divulgação

Um produtor e um vinho da região dos vinhos verdes estiveram, esta sexta-feira em destaque nos prémios da revista Vinho Grandes Escolhas.

A Quinta do Regueiro, de Melgaço, foi distinguida como Produtor do Ano de 2019, sendo mesmo o grande destaque deste evento.

Entre os melhores de 2019 dos “Prémios Grandes Escolhas”, revelados numa cerimónia que decorreu em Sangalhos, Anadia, está ainda o Parcela Única Vinho Verde Monção e Melgaço Alvarinho branco 2017, eleito como o Melhor Branco.

Segundo informação, o título de Melhor Fortificado foi para o Taylor’s Vargellas Vinha Velha Porto Vintage 2017, enquanto o Murganheira Esprit de la Maison Távora-Varosa Espumante branco 2011 foi escolhido como o Melhor Espumante.

A região do Douro foi a que mais se destacou com a presença de sete ‘propriedades’ no top-30, entre eles o Lavradores de Feitoria Três Bagos Douro Grande Escolha tinto 2015, o Quinta do Crasto Vinha Maria Teresa Douro tinto 2016 e o Quinta do Noval Douro Reserva tinto 2016.

Pintas, Quinta do Vale Meão, Quinta do Vallado Field Blend Reserva e Aeternus foram os restantes vinhos com origem no Douro premiados, todos tintos de 2017.

A revista Vinho Grandes Escolhas reúne uma das mais antigas equipas de críticos e jornalistas de vinhos portugueses e distingue, há 22 anos, as empresas e personalidades que mais se destacam em Portugal na área do vinho e da gastronomia.

O troféu Garrafeira do Ano foi entregue à Garrafeira Néctar das Avenidas, de Lisboa, tendo sido distinguida pelas iniciativas que promove, nomeadamente provas e jantares vínicos a um ritmo mensal, enquanto o galardão Wine Bar foi atribuído à garrafeira premium Wines by Heart, também de Lisboa.

Entre as diversas distinções da noite, destacam-se o prémio Viticultura do Ano, troféu atribuído à viticóloga-investigadora Vanda Pedroso, do Centro de Estudos de Nelas, Dão, e o prémio Adega Cooperativa do Ano, atribuído à Adega de Cantanhede.

Já a Quinta da Pacheca, em Lamego, foi distinguida como Enoturismo do Ano e o projeto da família Relvas de Évora – Casa Relvas recebeu o título de Empresa do Ano.

O troféu de Iniciativa do Ano foi atribuído ao programa de sustentabilidade dos vinhos do Alentejo e o Prémio Singularidade, destinado a homenagear iniciativas e personalidades que marcam pela diferença, ao produtor e enólogo Márcio Lopes (Douro e Vinhos Verdes).

Além do setor dos vinhos, a área gastronómica foi agraciada, com o Epur, de Lisboa, que possui uma estrela Michelin, a conquistar o troféu de Restaurante do Ano, enquanto o Arcoense, de Braga, foi eleito como Restaurante Cozinha Tradicional Portuguesa do Ano e o Go Juu, em Lisboa, de cozinha clássica japonesa, como o Restaurante Cozinha do Mundo.

Já o Prémio Gastronomia David Lopes Ramos, reconhecido como um dos maiores críticos de gastronomia e vinhos em Portugal, foi entregue ao chef Nuno Diniz.

A Revista Vinho Grandes Escolhas avaliou milhares de vinhos durante o ano de 2019.

Anúncio

Alto Minho

Aprovados apoios ao emprego, às empresas e às instituições de Caminha

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Caminha

A Câmara de Caminha aprovou por unanimidade, em reunião ordinária do executivo municipal, um pacote de medidas de apoio ao emprego, às empresas e às instituições do concelho, informou hoje à Lusa o presidente da autarquia.

A proposta da maioria socialista no executivo municipal “prevê isenções de pagamento de rendas habitacionais e de comércio em espaços municipais, isenção do terrado das feiras semanais e de esplanadas, pagamento de tarifas fixas no abastecimento de água, saneamento e resíduos urbanos para pequenas e microempresas e o apoio financeiro a Instituições Particulares do Solidariedade Social (IPSS) e corporações de bombeiros”.

As medidas hoje aprovadas, por unanimidade, têm como objetivos “a manutenção do emprego, o equilíbrio financeiro da atividade empresarial e de suporte ao trabalho das IPSS que trabalham com idosos no concelho, incluindo as corporações de bombeiros de Caminha e Vila Praia de Âncora”.

No final da sessão, em comunicado enviado às redações, os três vereadores do PSD no executivo municipal informaram ter apresentado “nove medidas adicionais” à proposta da maioria socialista que consideram ser “geradoras de apoios importantes em época pandémica”.

Entre essas medidas, apontaram a isenção do pagamento das tarifas fixas da água e saneamento, com calibre de adução até 25 milímetros, nos meses de abril, maio e junho, do pagamento de tarifas fixas de recolha de resíduos sólidos para todos até julho do presente ano, o apoio de forma excecional e temporária às famílias que tiveram perdas do rendimento familiar iguais ou superiores a 25%, comparticipando em 50% no pagamento das rendas habitacionais” e defenderam “maior rapidez no pagamento a fornecedores, assegurando maior liquidez às empresas para fazerem face aos seus compromissos com os trabalhadores”.

Os vereadores do PSD alertaram ainda para a necessidade de “acompanhamento das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), no sentido de garantir apoio na aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (UEPI), sobretudo as IPSS que apenas têm creches e jardins-de-infância nas suas respostas sociais, uma vez que, pelo facto de estarem encerrados, não garantem receitas suficientes para o pagamento das despesas mensais, nomeadamente os salários dos trabalhadores”.

“O PSD estará sempre responsavelmente ao lado da população de Caminha, conforme continua a demonstrar reunião atrás de reunião, propondo novas alternativas e medidas para que todos possamos ultrapassar este estado pandémico o melhor possível”, sustenta a nota dos vereadores sociais-democratas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 70 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 311 mortes, mais 16 do que na véspera (+5,4%), e 11.730 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 452 em relação a domingo (+4%).

Continuar a ler

Alto Minho

Lar em Arcos de Valdevez confirma utente infetado

Covid-19

em

Foto: Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez

Há um caso positivo de covid-19 no Lar Vila Gerações, em Arcos de Valdevez, confirmou hoje a própria instituição à Altominho.tv.

Em causa está um utente na casa dos 90 anos que está internado no Hospital de Viana do Castelo.

Em declarações à Altominho.tv, o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez, Francisco Araújo, adiantou que a instituição “irá proceder ao longo do dia de hoje à realização de testes a todos os utentes e funcionários” e estão a ser exercidos “todos os procedimentos exigidos nestas circunstâncias pela Direção Geral de Saúde”.

Arcos de Valdevez regista 21 casos de covid-19, segundo os dados divulgados hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Portugal, em estado de emergência até 17 de abril, regista ​​​​​​311 mortes, 11.730 infeções e 140 recuperados.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Lar em Darque, Viana do Castelo, com 30 idosos infetados

Covid-19

em

Foto: RTP

A direção do centro social e paroquial de Darque, em Viana do Castelo, confirmou hoje à Lusa a infeção por covid-19 de 30 dos 41 utentes do lar da instituição e de três funcionários.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da direção, Xavier Moreira, adiantou que os resultados “começaram a chegar no final da semana passada e os últimos na tarde de domingo e vieram confirmar o pior dos receios”.

“Os 30 idosos, com idades entre os 70 e os 90 anos, estão todos estáveis. Estão todos no lar a ser acompanhados pelas autoridades de saúde, sendo que temos quatro utentes, cujos testes deram negativo e que estão isolados, num espaço da instituição”, explicou o padre Xavier Moreira.

O responsável acrescentou que “dos 40 funcionários já testados, apenas três estão infetados”.

O pároco criticou a “demora” na realização dos testes de despiste da doença, justificando “o número tão elevado de infetados por serem feitos a conta gotas”.

Além do lar, com 41 idosos, o Centro Paroquial de Promoção Social e Cultural de Darque, na margem esquerda do rio Lima, dispõe ainda de uma unidade de cuidados continuados de média e longa duração, com 32 utentes.

No total, trabalham naquela Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) 90 funcionários.

“Amanhã [terça-feira] vamos testar os 32 utentes da unidade de cuidados de média e longa duração e, entre amanhã e quarta-feira serão testados mais 52 funcionários. O problema disto é não existirem testes para toda a gente”, referiu.

Questionado sobre a possibilidade de o edifício ser alvo de uma operação de desinfeção, Xavier Moreira disse ser um objetivo da instituição, mas disse desconhecer quando ocorrerá face à situação atual.

“Temos o lar transformado num hospital com os utentes a serem acompanhados pelos funcionários, sob supervisão das autoridades de saúde”, apontou.

Viana do Castelo tem 68 casos registados, segundo os dados divulgados hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Portugal, em estado de emergência até 17 de abril, regista ​​​​​​311 mortes, 11.730 infeções e 140 recuperados.

Continuar a ler

Populares