Seguir o O MINHO

Região

Projeto de Regeneração da Indústria Têxtil apoiou Norte e Centro com 250 mil euros

em

O projeto Regeneração da Indústria Têxtil (R’ITV) que beneficiou de 250 mil euros de fundos comunitários capacitou 20 empreendedores das regiões Norte e Centro, tendo uma parte deles visto as suas criações premiadas a nível nacional.

Desenvolvido no âmbito do financiamento comunitário “Portugal 2020” e integrado no “sistema de incentivo de ações coletivas que se enquadram na tipologia do empreendedorismo”, o R’ITV visou, segundo o coordenador Adriano Fidalgo, “a criação de novas empresas e a capacitação de 20 projetos” tendo para o efeito “recebido cerca de 250 mil euros de apoios comunitários”.

Neste projeto da responsabilidade da Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP) foi feita a gestão de quatro estudos, sendo que num deles “foi comparado o posicionamento dos têxteis da Galiza e os dos Norte e Centro de Portugal” e noutro foram avaliados 10 casos de sucesso de empreendedorismo na indústria têxtil e de vestuário, “normalmente entre empresas constituídas nos últimos três a cinco anos”, acrescentou o responsável.

LEIA MAIS: Alunos e professores ingleses visitam empresas têxteis de Guimarães e Famalicão

A “aferição e caraterização dos empreendedores da indústria têxtil e de vestuário” e o “mapeamento de oportunidades sobre o que é expectável que venham a ser as oportunidades futuras nesta área” foram os restantes estudos desenvolvidos no projeto da ATP.

A iniciativa teve por base o facto de a “taxa de mortandade das novas empresas ser demasiado elevada em Portugal”, algo muitas vezes provocado “pelo perfil do promotor, que tem um perfil mais técnico e quando inicia a atividade não sabe muito bem como operacionalizar a sua ideia”, explicou o coordenador.

Adriano Fidalgo assinala que, por esse motivo, o projeto partiu para o terreno sob a “forma de mentor”.

Neste trajeto, acrescentou, os empreendedores “foram treinados, evoluindo da ideia para o modelo de negócio e deste para o plano de negócio”.

Foi feita uma avaliação da “sua viabilidade económica, tentando ao mesmo tempo identificar onde estão os seus pontos fracos, capacitando-os e dotando-os de competências de gestão.”

Entre os projetos premiados no âmbito da iniciativa figura o de Sónia Ferreira, criadora de “um adesivo têxtil, com nanotecnologias, sem cola”.

Hugo Miranda, “que se afirma pela conceção de roupa inteligente”, também foi distinguido, tal como a Têxtil Penedo “que está a conceber tecidos com efeitos luminosos para lar e decoração”.

Também foram galardoadas Daniela Sá, criadora de “todo o tipo de artigos de moda em cortiça”, Nazareth Collection, que “utiliza uma fotografia para cada padrão de peça de vestuário” e Mónica Ferreira, autora dos “lençóis que previnem a asfixia dos bebés”.

“Atingidos todos os objetivos” previstos no arranque do projeto, garantiu à Lusa Adriano Fidalgo, há “vontade para continuar” e “mal abram os concursos a ATP avançará com novas candidaturas”.

Anúncio

Braga

35 anos depois da morte, Amares atribui medalha de ouro a António Variações

Medalha de Mérito Municipal

em

Homenagem a António Variações. Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Os familiares de António Ribeiro (Variações) receberam, este sábado, a Medalha de Mérito Municipal – grau de ouro – da Câmara de Amares, numa homenagem a título póstumo ao malogrado artista natural da freguesia de Fiscal.

Medalha grau de ouro. Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Cerimónia de homenagem a António Variações. Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Presidente da câmara entrega medalha, a título póstumo, a irmão de António Variações. Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

A homenagem decorreu esta noite, no Mosteiro de Santo André, em Rendufe, naquele concelho, juntando familiares e conhecidos do cantor, que faria 75 anos se fosse vivo.

O evento contou com um recital de música de câmara, protagonizado pelo Flexus Trio, com Ana Sofia Matos (clarinete), Maria Isabel Mendonça (piano) e Mariana Morais (Viola d’ arco).

Recital durante homenagem a António Variações. Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Recital durante homenagem a António Variações. Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Durante o recital, esteve exposta a obra Variações, em resina cristal, da autoria de Rueffa, artista plástica, que fez uma breve apresentação no intervalo do recital.

Rueffa apresentou a obra de homenagem a Variações. Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

Obra de Rueffa. Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

A homenagem foi levada a cabo pela Câmara Municipal de Amares em articulação com a Comissão Promotora da Homenagem a António Variações (2018-2020), Junta de Freguesia de Rendufe e a Paróquia de Rendufe (Santo André).

Homenagem a António Variações. Foto: Luís Ribeiro / O MINHO

A Comissão Promotora de Homenagem a António Variações, criada em outubro de 2018 e que encerraria a sua missão em novembro, irá prolongar os seus trabalhos até dezembro de 2020.

Continuar a ler

Braga

Carro da Securitas galga passeio e embate contra poste em Braga

Ocupantes recusaram transporte hospitalar

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Um carro da empresa Securitas Direct sofreu um despiste, ao início da noite deste sábado, na Avenida João Paulo II, no sentido Póvoa de Lanhoso – Braga, depois da rotunda da Rodovia, na cidade de Braga.

Foram acionados os Bombeiros Sapadores de Braga com um veículo de desencarceramento e uma ambulância.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A viatura entrou em despiste e ficou entalada entre um muro e um poste de iluminação pública, em cima do passeio.

Os dois ocupantes saíram pelos próprios meios e recusaram transporte hospitalar. Os bombeiros acabaram por desligar alguns componentes tecnológicos do carro.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Um agente do destacamento de trânsito da PSP registou a ocorrência.

Continuar a ler

Alto Minho

Empresa de Cerveira é exemplo a nível nacional pelo aumento de exportações

Empresa de desenvolvimento de airbags e volantes

em

A empresa multinacional Dalphi Metal Portugal, sediada em Vila Nova de Cerveira, venceu o prémio Exportações na segunda edição dos Prémios Expresso Economia CGD, ficando entre o lote restrito das doze empresas que mais se destacaram ao longo do último triénio.

Com capital alemão do grupo ZF, produz componentes e acessórios para automóveis, como airbags e volantes de condutor, exportando grande parte da produção.

Entre 2015 e 2018, o volume de negócios de 115 milhões para 169 milhões de euros, com as vendas no exterior a subirem de 14,3 milhões para os 169 milhões, sendo, segundo dados da consultora Deloitte, uma das principais exportadoras do país.

Explica o jornal Expresso que, nos últimos três anos, o número de empresas que conseguiram crescer em volume de negócios, crescer em valor absoluto de exportações e mantiveram um mínimo de 50 empregados, eram 131.

A Dalphi foi a que mais se destacou por “melhor incorporar o perfil exportador na sua estratégia de crescimento”.

Bosch Braga é das que mais cresce, em volume de negócios, no país

A Bosch Car Multimédia Portugal, com sede em Braga, venceu na categoria principal de Crescimento, por entre as empresas que faturam mais de 100 milhões ao ano.

De igual modo com investimento alemão, a empresa de investigação subiu o volume de negócios de 515,6 milhões em 2015, para 1130,8 milhões em 2018, sendo das que mais cresceu em Portugal, segundo a consultora.

Os prémios Crescimento distinguem as empresas que apresentam o maior crescimento sustentado do seu negócio, através de vendas e prestações de serviços, durante os últimos três anos.

A vimaranense/londrina Farfetch também foi premiada, com a “Conquista Empresarial do Ano”.

Norauto Portugal, M. Cunha & Companhia e Têxteis J.F. Almeida

Outras três empresas minhotas foram distinguidas com prémios importantes, neste evento que decorreu na Culturgest, em Lisboa, e “serve para homenagear quem mais contribui para o crescimento do país”.

A Norauto Portugal (Braga, Guimarães e Viana do Castelo), a Têxteis J.F. Almeida (Moreira de Cónegos, Guimarães) e a M. Cunha & Companhia (Feitosa, Viana do Castelo), foram distinguidas, entre outras 11 empresas, com o prémio Longevidade, por aumentaram consecutivamente o seu volume de negócios nos últimos dez anos.

Antigos gestores do Hospital de Braga distinguidos

Vasco de Mello, o presidente do grupo José de Mello, foi o grande vencedor do prémio Empresário do Ano. A Socitrel (Trofa) e a MyCar Center (Paredes), venceram, em categorias com números inferiores, o mesmo prémio atribuído à Bosch Braga (Crescimento).

Nas exportações, para além da empresa de Cerveira, a Socitrel (Trofa) foi premiada, assim como a AJ. Pinto Leitão (Porto).

A empresa Modelo Continente Hipermercados foi distinguida com o prémio Emprego, com crescimento sustentado do volume de negócios e maior crescimento do emprego nos últimos três anos.

Entre 2015 e 2018, este retalhista sediado em Matosinhos viu o seu volume de negócios expandir de 3.406 milhões para 3.830 mil milhões e o número de empregados subir de 22.272 para 26.857.

As empresas Carvoeiro Golfe e PSAR Portugal venceram o prémio Dimensão, por subirem de escalão no volume de negócios.

A distinção Longevidade foi também atribuída às empresas Pingo Doce, ANA — Aeroportos de Portugal, Teleperformance Portugal, Lusíadas, Aquinos, Sopropé, Savibel, Hospor — Hospitais Portugueses, Damião de Medeiros, Centrauto e Algartalhos.

Alemanha e o município da Maia também foram premiados.

Continuar a ler

Populares