Seguir o O MINHO

Braga

Projeto da UMinho cria robot ‘personal trainer’ para idosos

Investigadores portugueses e espanhóis.

em

Um grupo de investigadores portugueses e espanhóis desenvolveram um “personal trainer’ robotizado para idosos capaz de “definir planos de exercícios personalizados” e de “alerta para eventuais problemas de saúde”, anunciou hoje a Universidade do Minho (UMinho).

Em comunicado enviado à Lusa, a UMinho, que participou na invenção do “Pharos”, nome dado àquele “amigo interativo”, explica que o robot “pretende promover o envelhecimento ativo da população e combater a solidão”.

Desenvolvido em conjunto com a Politécnica de Valência e de Alicante (Espanha), o “Pharos” pode “tornar-se um assistente virtual, amigável e de fácil utilização, ajudando os seniores a manterem uma vida mais saudável”.

O “Pharos”, um “modelo humanoide fabricado no Japão”, funciona “graças a um sistema” criado por Ângelo Costa e Paulo Novais, do Synthetic Intelligence Lab do Centro Algoritmi da UMinho, que permite ao robot “avaliar o estado físico dos idosos para depois recomendar as atividades mais adequadas”.

Segundo o texto, um dos módulos do ‘software’ concebido na UMinho” integra um mecanismo de apoio à decisão, baseado no estado de saúde e no perfil do utilizador, que permite ao robô construir um plano de exercícios personalizado e ajustável consoante as necessidades”.

A academia minhota explana que “há ainda outro módulo que, recorrendo à inteligência artificial, possibilita a avaliação do rendimento, a identificação de eventuais problemas de saúde e a confirmação de que os exercícios estão a ser feitos de forma apropriada”.

O estado de saúde dos idosos é avaliado recorrendo a dois processos: “É verificado numa primeira fase se a capacidade de movimento se situa dentro dos limites de modelos genéricos, de acordo com a idade, sendo depois avaliado no histórico de cada utilizador se há manifestamente uma degradação linear das capacidades físicas”, descreve o comunicado.

“Um baixo rendimento nos exercícios pode revelar problemas subjacentes que seriam impossíveis de detetar de outra forma. Esta técnica de inteligência artificial é inovadora porque utiliza apenas as câmaras presentes no robô para a deteção dos movimentos”, explica no comunicado o investigador Ângelo Costa.

A informação é comunicada verbalmente e fisicamente pelo “Pharos”, através de movimentos de braços, cabeça e torso, e aparece também num ecrã integrado que permite uma interação mais direta com o utilizador.

O “Pharos” mede 1.2 metros e pesa 28 quilos, tendo um “aspeto amigável” que ajuda a adoção e o uso por parte dos idosos.

A Uminho lembra dados revelados pela ONU que apontam que a população europeia com mais de 60 anos é de 13%, prevendo-se que esta ultrapasse os 25% em 2050.

“Os serviços de apoio a estas pessoas, como cuidadores e residências, não vão conseguir acompanhar esta subida, fazendo com que cada vez mais idosos fiquem desamparados em casa”, alerta o professor Paulo Novais.

“Apesar do esforço realizado por várias entidades para colmatar este problema social, a UMinho coloca-se com este projeto na dianteira em termos de desenvolvimento de robôs assistentes para pessoas idosas”, realçam os cientistas.

Anúncio

Braga

Caso não seja vendida. Câmara de Braga pode doar Confiança à Universidade do Minho

Antiga saboaria deverá dar lugar a residência para estudantes

em

Antiga fábrica Confiança, em Braga. Foto: Sérgio Freitas / CM Braga

A antiga saboaria Confiança, em Braga, pode ser doada à Universidade do Minho para uma residência universitária pública, caso a autarquia não concretize a venda do complexo em hasta pública, disse hoje o presidente da câmara.

Durante a reunião de hoje do executivo, Ricardo Rio adiantou que “não há urgência na venda, mas sim na recuperação do edifício”, pelo que se na hasta pública de dia 11 de março não houver venda o edifício poderá passar para a Universidade do Minho.

A venda da antiga fábrica de perfumes e sabões foi adquirida pela Câmara Municipal de Braga por cerca de 3,5 milhões de euros em 2011, com o objetivo de “manter a memória fabril da cidade”, mas acabou por nunca ter sido alvo de nenhuma intervenção “por falta de fundos” próprios da autarquia ou fundos comunitários.

Segundo deu conta Ricardo Rio, caso a venda da Confiança não seja concretizada, a autarquia pretende doar o edifício à Universidade do Minho para que seja construída ali uma residência universitária pública.

No início do atual mandato, o executivo (PSD/CDS-PP/PPM) anunciou a intenção de vender a Confiança “para que não se degradasse ainda mais”, tendo havido três hastas públicas para o efeito, duas delas impedidas por providências cautelares interpostas por cidadãos.

O Tribunal Administrativo deu sempre razão à autarquia, pelo que o executivo decidiu avançar com a venda do edifício, mas com a obrigação daquele servir para uma residência universitária e com um caderno de encargos que, segundo a câmara, “garantia a preservação da memória da antiga saboaria”.

No entanto, o projeto tem sido alvo de muita contestação, nomeadamente do movimento constituído para “Salvar a Confiança”.

Continuar a ler

Braga

Talentos de Braga continuam a brilhar no Got Talent da RTP

Braga continua em grande no Got Talent Portugal. Começou com a jovem bailarina Carolina Costa, seguiram-se a Companhia Júnior Backstage e o jovem violoncelista Gonçalo Pires (premiado com um ‘botão dourado’). Na emissão transmitida ontem, na RTP, foi a vez dos bailarinos da Bracara Team brilharem no palco do concurso de caça talentos.

em

Braga continua em grande no Got Talent Portugal. Começou com a jovem bailarina Carolina Costa, seguiram-se a Companhia Júnior Backstage e o jovem violoncelista Gonçalo Pires (premiado com um ‘botão dourado’). Na emissão transmitida ontem na RTP, foi a vez dos bailarinos da Bracara Team brilharem no palco do concurso de caça talentos.

Continuar a ler

Braga

Theatro Circo lança festival “no feminino” com Ana Tijoux e Silvana Estrada

MUSA – Festival no Feminino

em

Foto: DR / Arquivo

O Theatro Circo, em Braga, vai organizar um novo festival, de nome MUSA – Festival no Feminino, a acontecer entre 16 e 18 de abril com as presenças de Ana Tijoux, Silvana Estrada, Maria José Llergo e Sílvia Pérez Cruz.

Segundo comunicado da sala de Braga, Silvia Pérez Cruz vai estrear em Portugal, no dia 17 de abril, “Proyecto Drama”, um trabalho que apresenta canções compostas “em colaboração com outros artistas e disciplinas artísticas”, desde o teatro à pintura, passando pela fotografia e a poesia.

No primeiro dia do evento, atuam a mexicana Silvana Estrada e a espanhola Maria José Llergo, esta última uma cantora de 26 anos que trabalhou com “o mentor de Rosalía”, José Miguel ‘Chiqui’ Vizcaya, e que se refere ao flamenco como um género musical “mais sincero acerca da história de Espanha do que a maioria dos manuais escolares”, como disse à Rolling Stone já este ano.

A mexicana Silvana Estrada já foi apelidada de “Chavela Millenial”, numa comparação com a cantora Chavela Vargas (1919-2012), um dos maiores nomes da música latino-americana do século XX, que Estrada “aceita com muito carinho”.

No dia 18 de abril, o Theatro Circo recebe a também mexicana La Bruja de Texcoco, que apresenta o disco de estreia, “De Brujas Peteneras y Chachalacas”.

Na mesma noite, apresenta-se em Braga Ana Tijoux, a “figura chilena de maior relevância internacional da sua geração”, como salienta o comunicado da organização, lembrando que a artista tem novo disco em espera para este ano.

Os bilhetes diários para o MUSA têm um custo de 15 euros, custando o dobro para os três dias.

Continuar a ler

Populares