Seguir o O MINHO

Ponte de Lima

Ponte de Lima aprova ciclovia urbana de 1,5 milhões com votos contra da oposição

em

No âmbito da Mobilidade Urbana Sustentável e no contexto do PAMUS (Plano de Ação para a Mobilidade Urbana Sustentável) a Câmara Municipal de Ponte de Lima deliberou na passada reunião do Executivo de 27 de novembro, aprovar o projeto de intervenção relativo à “Ciclovia e Vias Pedonais de Acesso à Zona Urbana de Ponte de Lima”, que garante a articulação técnica com as soluções das Infraestruturas de Portugal (IP, S.A.). O custo é de 1,5 milhões de euros. 


No entanto, a oposição criticou a ciclovia. Abel Baptista, militante e ex-dirigente democrata-cristão do CDS-PP, agora vereador eleito numa  lista independente, disse que é uma obra inútil e cara.

O projeto aprovado prevê a criação de condições para a fruição que estimulem o uso da bicicleta e o acesso pedonal, em segurança, entre as áreas de expansão urbana da vila e o centro da mesma, abarcando uma extensão considerável da EN 203 (Via do Foral Velho da D.ª Teresa), diz a câmara.

A via em causa consiste num dos principais acessos à Vila de Ponte de Lima, integrando uma malha urbana plenamente consolidada, onde se localizam diversos espaços e equipamentos públicos educativos e desportivos, bem como, estabelecimentos de comércio e de serviços.

A EN 203 apresenta-se por isso e neste contexto totalmente descaracterizada, mas a questão mais premente prende-se com a segurança rodoviária com especial destaque para os peões e bicicletas, não se promovendo, nas condições atualmente existentes, a utilização destes meios e consequentemente a sustentabilidade ambiental e a mobilidade na área urbana.

O investimento, estimado em 1,5 milhões de euros, será financiado a 85% pelo Norte 2020, estando considerado na candidatura enquadrada no âmbito na Prioridade de Investimento 4.5 que prevê a promoção de estratégias de baixo teor de carbono para todos os tipos de territórios, nomeadamente as zonas urbanas, incluindo a promoção da mobilidade urbana multimodal sustentável e medidas de adaptação relevantes para a atenuação, fazendo parte integrante, conforme já referido, do Plano de Ação para a Mobilidade Urbana Sustentável – PAMUS Alto Minho 2020.

Anúncio

Alto Minho

Cão desaparecido em Ponte de Lima reencontra donos cinco anos depois

Final feliz

em

Foto: DR / Arquivo

Um cão, de nome Popeye, reencontrou-se com os donos cinco anos depois de ter desaparecido em Ponte de Lima.


Segundo conta o Jornal de Notícias, o canídeo tinha desaparecido na vila liminana durante uma visita dos donos, residentes em Aveiro, em novembro de 2015.

Foi agora encontrado em Vila Nova de Gaia por uma mulher que o levou ao Hospital Veterinário de Santa Marinha, onde foi descoberta a proveniência do animal graças ao microchip.

O hospital chegou assim aos donos, que não queriam acreditar que o animal estava vivo. Confessaram que o tinham procurado durante algum tempo mas acabaram por desistir.

Por onde andou o Popeye durante os últimos cinco anos, não se sabe, mas o reencontro terá sido de muita emoção.

Continuar a ler

Alto Minho

Ponte de Lima reduz preço do saneamento para as famílias em 1,50 euros

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Ponte de Lima

A Câmara de Ponte de Lima anunciou hoje a redução da tarifa fixa de águas residuais como forma de minimizar os efeitos económicos causados pela pandemia da covid-19.


O município esclarece, em comunicado, que este apoio às famílias consiste “numa redução sobre o tarifário aprovado da Águas do Alto Minho para o ano de 2020, através da subsidiação parcial da tarifa fixa do serviço de águas residuais, no montante de 1,50 euros”.

Este apoio abrange “exclusivamente os atuais e novos clientes do tipo doméstico, que sejam utilizadores simultâneos de serviços de abastecimento de água e de águas residuais”, refere a Câmara.

A autarquia adianta que “o valor do apoio vigorará enquanto se mantiverem as condições de contingência da pandemia”, podendo inclusivamente manter-se em 2021 “após alteração do na Câmara Municipal e Assembleia Municipal”.

Segundo o município limiano, o apoio deverá refletir-se na faturação do mês de março, que está suspensa desde abril, até serem corrigidos todos os erros e anomalias registados nos primeiros quatro meses de gestão das Águas do Alto Minho.

Continuar a ler

Alto Minho

Violinista de Ponte de Lima entre os 14 melhores do mundo em concurso de Jazz

João Silva é de Freixo

em

Foto: DR

João Silva, violinista profissional natural de Freixo, Ponte de Lima, é um dos 14 semi-finalistas do Seifert Competition, o mais importante concurso mundial para violinistas de jazz.


A viver em Barcelona há 8 anos, onde integra vários projetos relacionados com diferentes estilos, o músico de 29 anos decidiu participar neste concurso quando a covid-19 interrompeu os concertos que dava no Palácio Del Flamenco, na Praça de Catalunha, um dos locais turísticos mais visitados na Europa.

“Como fiquei em confinamento e com algum tempo, decidi selecionar e enviar algum material para o concurso, que se realiza na Polónia, e acabei por ser apurado para as semi-finais, com mais 13 outros violinistas”, conta o jovem talento a O MINHO.

O conceituado concurso conta com dezenas de participantes de todo o mundo e almeja distinguir o melhor violinista de jazz. E João é o primeiro português a chegar tão longe.

Em Portugal, começou no Racho Infantil e Juvenil de Freixo, passou pela Escola Profissional de Música em Viana do Castelo, onde explorou uma vertente mais clássica da música com o violino. Passou depois três anos em Lisboa onde estudou no Hot Club de Portugal – e onde desenvolveu a paixão pelo jazz e pelo improviso.

“Depois vim para Barcelona e ainda por cá estou, tenho grupos, tiro formações e já gravei vários discos”, conta. Toca em clubes de jazz, bares musicais, mas a maior parte dos concertos são dados em salas, clubes e festivais. Viaja também pela Europa em digressão pelos maiores festivais de jazz.

A semi-final, marcada para o próximo dia 08 de julho, será transmitida via streaming, face à pandemia, e o voto do público conta, como explica o músico.

“Há gente de todas as partes do mundo e como não estamos em tempo de viagens, a organização decidiu realizar o concurso via digital. Se passar a meia-final, toco na final no dia 10”, sublinha.

Com concertos perante milhares de pessoas, como no caso do Festival Jazz Grand Canaria, João já está habituado à pressão, que combate com um bom improviso, ou não tivesse sido esse o motivo de seguir este estilo musical desde cedo.

“O objetivo é tocar a minha música de forma a que as pessoas gostem. É sempre esse o meu objetivo, seja em casa, num grande festival ou num concurso”, adianta.

E, embora a partir de Barcelona, estará a jogar em casa, uma vez que as suas duas grandes influências no violino são polacas, como Adam Baldych, estrela que, desde há um ano, tem feito parcerias com o limiano.

Mas também tem presente as grandes influências mundiais, como Miles Davis, no trompete, ou Coltrane, o eterno azul do saxofone.

Sobre a entrada deste estilo mais rebelde na vida, João recorda que já ouvia jazz em Ponte de Lima, mas não de uma forma aprofundada: “Quando acabei de estudar em Viana fui para Lisboa estudar clásssicas quando tive contacto com músicos de jazz, comecei a ver que o improviso era uma forma de composição instantânea e percebi que era o caminho para poder tocar a minha música e expressar-me de uma forma mais livre”.

Para o futuro, não prevê um regresso a Portugal, embora admita que o regresso poderá estar nos planos a longo prazo. “Neste momento tenho vários projetos em Barcelona que estão a correr muito bem e que me deixam feliz, por isso é que não regresso, embora saiba que poderia ter trabalho no meu país”, admite.

Para além de jazz, João ganha a vida a tocar flamenco e música balcânica nos grandes clubes de Barcelona. “Mas o jazz e a improvisação são a minha base”, reforça.

João Silva toca no próximo dia 08 de julho, via streaming, através da página de Facebook do concurso, e todos os que assistirem poderão votar e influenciar o resultado final.

Continuar a ler

Populares