Seguir o O MINHO

Alto Minho

Ponte de Lima inicia recuperação de capela dedicada a Santiago

Investimento superior a 240 mil euros

em

Foto: DR

A Câmara de Ponte de Lima iniciou a recuperação da capela de S. Tiago da Quinta do Paço, na Correlhã, uma das poucas no Alto Minho dedicadas ao apóstolo bíblico, num investimento superior a 240 mil euros.

“Na semana passada foram iniciadas as primeiras escavações arqueológicas. Os trabalhos começaram com a remoção de algumas pedras contíguas à capela. Na próxima semana a empreitada arrancará em força para ser alargado o espaço de escavações”, afirmou hoje à agência Lusa o vereador Paulo Sousa.

Responsável pelos pelouros do Desenvolvimento Rural, Educação, Turismo e Modernização Administrativa, Paulo Sousa estimou que “em meados de julho ou em agosto” esteja concluída a recuperação da capela que integra o percurso religioso até Santiago de Compostela, na Galiza.

Segundo Paulo Sousa, as escavações agora iniciadas visam confirmar a existência, por baixo da atual capela, das ruínas de um templo dedicado a Santiago, anterior ao século XVII”.

“A que existe atualmente é do século XVII, mas há documentos que indicam que existiria uma outra capela por baixo desta, e o objetivo destes trabalhos é encontrar vestígios dessa capela que seria das primeiras da altura do românico a existir no Alto Minho e na região Norte”, adiantou.

O responsável referia-se a um estudo do historiador João Gomes de Abreu de Lima que serviu de fundamento à Qualificação e Valorização do Caminho Português de Santiago de Compostela apresentada pela Câmara Municipal de Ponte de Lima ao programa Norte 2020, e que “inclui vários projetos de restauro e qualificação de espaços associados ao Caminho Português para Santiago de Compostela”.

O distrito de Viana do Castelo é atravessado por duas rotas seculares do Caminho Português de Santiago, na Galiza, Espanha: uma pelo interior e outra junto à orla marítima.

Segundo o ‘site’ Alto Minho, a rota do interior faz-se por Ponte de Lima até Valença, num total de 38 quilómetros que integram a estrada real (Porto-Barcelos-Ponte de Lima-Valença), considerada a espinha dorsal dos caminhos portugueses de Santiago, onde confluem quase todos os demais percursos.

Segundo o vereador Paulo Sousa, o “objetivo global da intervenção na capela é musealizar todo o espaço de modo a permitir aos peregrinos dos Caminhos de Santiago conhecer mais o templo anterior, conhecer a atual e todo o processo de recuperação, tornando-se em mais um ponto de interesse e de visita para os peregrinos”.

“Esta capela está inserida no Paço da Correlhã, o ponto histórico mais importante da freguesia por onde passava a estrada romana que ligava o Porto a Santiago de Compostela, na Galiza”, referiu.

A empreitada agora iniciada, orçada em 240.440 euros (mais IVA), “prevê o restauro integral da capela de S. Tiago, uma das poucas capelas dedicadas a Santiago de Compostela, outrora pertencente à Casa de Bragança e, antes desta, à Igreja Compostelana, em pleno Caminho de Santiago, na freguesia da Correlhã”.

A candidatura ao Norte 2020 prevê um investimento global de 812.609 euros e tem uma taxa de comparticipação de 85%, o que equivale a 690.718.09 euros, garantindo a autarquia a restante verba, que ascende aos 121.891.42 euros.

No âmbito desta candidatura, em 2020 ficou concluída a requalificação do Caminho e Ponte do Arquinho.

Agora avançou o restauro integral da capela de S. Tiago, “estando ainda prevista a intervenção nas portas do Museu dos Terceiros, extinto convento franciscano do século XV, que seria uma das mais antigas hospedarias onde pernoitavam peregrinos, e a conservação e restauro da Capela-Abrigo do Anjo da Guarda, classificada como Monumento Nacional, de importância singular dado tratar-se de um exemplar medieval, de traça arquitetónica invulgar”.

O projeto visa requalificar e conservar “monumentos de caráter relevantes, numa parte do troço do Caminho Português de Santiago, bem como dinamizar o itinerário cultural com ações de promoção no Museu dos Terceiros (extinto convento franciscano com hospedaria), e promover a proteção, certificação e divulgação do Caminho de Santiago, em parceria com a Associação dos Amigos do Caminho Português de Santiago”.

Além da rota pelo interior, “o Caminho Português da Costa liga o Porto a outros concelhos costeiros do Litoral Norte, com a alternativa de ligação à Galiza ultrapassando o rio Minho em La Guardia (frente a Caminha), Goian (através de Vila Nova de Cerveira) ou mesmo a Tui (por Valença do Minho)”.

Os Caminhos de Santiago estão classificados como Património da Humanidade pela UNESCO em Espanha e França, detendo em Portugal apenas o estatuto de Itinerário Cultural Europeu.

Populares