Seguir o O MINHO

Braga

Polícia à civil trava assalto em Braga e é ameaçado de faca. PSP busca dupla

Crime

em

Foto: DR

Dois homens que alegadamente estariam a tentar um assalto numa empresa estão a ser procurados pela PSP de Braga depois de terem ameaçado um agente da Polícia Municipal com uma arma branca, apurou O MINHO junto de fonte das autoridades.


Ao que apurámos, o duo estaria a tentar efetuar um assalto nas imediações da empresa JC Group, na rua Lopes Gonçalves, na cidade de Braga, quando foram abordados por um agente da Polícia Municipal à civil que se encontrava de passagem.

O duo acabou por conseguir escapar com o agente a solicitar apoio dos colegas que acionaram a PSP para ajudar nas buscas.

A polícia já se encontra na posse da discrição física dos suspeitos e está a proceder a diligências para os encontrar.

Não há feridos na ocorrência.

Anúncio

Braga

Brássicas, margaridas e tulipas regressam ao centro histórico de Braga

Espaços verdes

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Os jardineiros do município de Braga plantaram 300 mil flores pelos principais jardins e canteiros de toda a cidade.

As novas hospedeiras do centro histórico serão novamente colhidas no início de junho, antes do S. João.

As plantas são produzidas no horto municipal da cidade, que segundo disse a O MINHO António Vilas, chefe da Divisão de Espaços Verdes, “é um horto de alta produção, mesmo em comparação com os particulares”.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Anualmente, por toda a cidade, são plantadas cerca de 700 mil plantas.

Margaridas, tulipas, silenas, amarantos e as famosas brássicas, ou couves ornamentais, compõe o conjunto de espécies que, na plantação de inverno, invadem os principais jardins do centro histórico de Braga.

Em deterimento dos Amores Perfeitos que “adaptam-se mal ao clima minhoto”, afirma o chefe de divisão.

A plantação semestral envolve o esforço de diversas equipas de jardineiros, durante um mês, desde as oito horas da manhã até às duas da tarde.

O chefe da Divisão de Espaços Verdes da Câmara de Braga adiantou que o custo de produção de cada planta é de quatro cêntimos.

As sementes são compradas a produtores.

Continuar a ler

Braga

Em Braga, há uma árvore dos desejos para realizar sonhos de Natal aos mais desfavorecidos

Árvore dos Sonhos

em

Foto: Divulgação / CM Braga

Utentes de quatro instituições de solidariedade social de Braga podem vir a ter um Natal diferente, através do projeto Sonhos de Natal, organizado pelos comerciantes da Rua dos Biscaínhos, em Braga, com apoio da autarquia local.

Até 05 de janeiro, uma árvore de Natal, afixada à entrada do Museu dos Biscainhos, comportará cerca de 100 postais de Natal, cada um com pedido de uma prenda, por parte destes utentes que podem ser realizados com ajuda do comércio instalado naquela rua.

Foto: CM Braga / Divulgação

Foto: CM Braga / Divulgação 

Em comunicado, a autarquia “desafia” os bracarenses a aderir a esta iniciativa para ajudar a “realizar os sonhos destas crianças e jovens”, mas também de adultos com necessidades especiais.

A Câmara de Braga explica que, para compreender melhor esta iniciativa, os interessados podem dirigir-se ao balcão de qualquer uma das várias lojas de comércio da Rua dos Biscainhos, para obter mais informações.

Esta iniciativa conta ainda com a parceria do Museu dos Biscainhos e da União de Freguesia de Maximinos, Sé e Cividade.

As IPSS ajudadas são: Fundação Bomfim, Centro Novais e Sousa, Centro Social de Santo Adrião, APPACDM – CAO Lomar e ÍRIS.

Continuar a ler

Braga

Póvoa de Lanhoso mantém isenção de derrama para 2021

Impostos

em

Foto: DR

A Câmara da Póvoa de Lanhoso vai manter em 2021 a isenção do pagamento de derrama das empresas sediadas no concelho como “estímulo para a fixação e manutenção de empresas geradoras de desenvolvimento” no seu território.

Em comunicado hoje enviado à Lusa, aquela autarquia do distrito de Braga explica que “pretende ver compensada a perda de receita com a disponibilização de emprego”.

A decisão do executivo, liderado por Avelino Silva (PSD), baseia-se, enumera o texto, em quatro aspetos: “Em primeiro lugar, tem em conta que o município optou, nos últimos anos, por não fixar esta taxa, em segundo lugar, o Plano de Atividades para 2021 revela uma estratégia de dinamização económica assente na criação de condições favoráveis ao acolhimento empresarial”.

Em terceiro lugar, refere a autarquia, “atende a que os concelhos competem entre eles e que é na minimização dos custos de contexto que os investidores definem as suas opções, e, em quarto lugar, tem em consideração que esta perda de receita é compensada com emprego”.

A autarquia explica ainda que a Derrama é uma receita dos municípios, que “podem deliberar lançar derrama até ao limite máximo de 1,5%, sobre o lucro tributável sujeito e não isento de imposto sobre o rendimento de pessoas coletivas (IRC), que corresponda à proporção do rendimento gerado na área geográfica por sujeitos passivos residentes em território português que exerçam, a título principal, uma atividade de natureza comercial, industrial ou agrícola e não residentes com estabelecimento estável nesse território”.

Continuar a ler

Populares