Seguir o O MINHO

Ave

Passageiros de autocarros vão deixar de atravessar a pé ponte na EN 207 em Fafe

em

A Câmara de Fafe e o operador de transportes na EN207 acordaram uma solução para evitar que os passageiros atravessem a ponte de Passos a pé, como acontecia devido à proibição de trânsito de pesados na travessia.


O presidente da autarquia, Raul Cunha, explicou hoje que a empresa de transportes “Arriva” vai passar a usar miniautocarros nas carreiras com menor procura. Nos períodos com mais passageiros, como de manhã e ao fim da tarde, o serviço será efetuado por autocarros pesados, mas usando um percurso alternativo, por Revelhe e Queimadela, com um tempo de viagem superior em cerca de 20 minutos. Caberá ao Município, explicou o presidente, assumir o encargo acrescido da solução encontrada, mas esse custo vai ser reportado pela autarquia à Infraestruturas de Portugal.

Na quarta-feira, Raul Cunha tinha afirmado estar indignado com a forma “negligente” como a Infraestruturas de Portugal mantém uma ponte, na EN 207, impedida à circulação de pesados desde 2006.

“É verdadeiramente escandalosa a forma negligente e leviana como as Estradas de Portugal lidaram com a situação da ponte de Passos”, exclamou.

O autarca socialista explicou que a situação naquela Estrada Nacional que liga Fafe à Póvoa de Lanhoso, se tornou ainda mais grave com a recente entrada em obras (infraestruturas de saneamento básico) de uma via municipal, por Santa Rita, que servia há vários anos de alternativa à circulação de pesados.

“Repetidamente, por vários meios e formas, a Câmara avisou que a necessidade de intervir na estrada de Passos iria impedir a utilização desta via como alternativa para evitar a ponte”, anotou.

Segundo o autarca, os ocupantes dos pesados de passageiros, a maioria habitantes da zona norte do concelho, incluindo estudantes, estavam a ser obrigados a atravessar a ponte sobre o rio Vizela a pé e apanhar outro autocarro na margem oposta para prosseguirem viagem.

“A solução ensaiada com transbordo de passageiros nos extremos da ponte, na nossa opinião, não é aceitável”, afirmou o presidente da Câmara.

Raul Cunha assinalou que “a reparação da Ponte de Passos é da responsabilidade da Infraestruturas de Portugal”.

O autarca disse hoje ter informação da tutela de que já foi iniciado o procedimento para uma intervenção na travessia, mas lembrou que até a obra estar realizada se impõe encontrar uma alternativa.

O presidente da Câmara de Fafe defende, como hipótese, a colocação de uma infraestrutura militar provisória que permita o trânsito normal e que essa vontade do Município vai ser comunicada ao secretário de Estado da tutela.

 

logo Facebook Fique a par das Notícias de Fafe. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Ave

Bombeiro de Famalicão que esteve em coma com covid já regressou ao quartel

Covid-19

em

Foto: Facebook dos Bombeiros Famalicenses

O operacional n.115 dos Bombeiros Famalicenses, que esteve em coma durante várias semanas face à infeção por covid-19, regressou esta quarta-feira ao quartel para uma visita aos colegas, anunciou aquela corporação através das redes sociais.

Manuel, de 56 anos, esteve em coma induzido apoiado por ventilação mecânica na unidade de cuidados intensivos do Hospital de Braga durante parte dos meses de abril e de maio, depois da covid-19 ter provocado complicações respiratórias.

O bombeiro foi um dos oito elementos do quartel a contrair infeção do coronavírus no início de abril, encontrando-se já recuperado da doença após dois testes negativos.

Em meados de abril, e já sabendo que estava infetado, Manuel estava a recuperar em casa quando viu o quadro clínico agravar-se com dificuldades respiratórias. Acabou por dar entrada na ‘ala covid’ de Braga onde ficou internado durante um mês.

Foto: Facebook de BV Famalicenses

Quanto aos restantes elementos, já todos testaram negativo à doença, depois de um mês conturbado no quartel, onde decorreram algumas homenagens de amigos e familiares de todo o corpo ativo, assim como de civis.

Este bombeiro foi o único a necessitar de internamento hospitalar e padecia de comorbidade.

“A notícia que tanto esperávamos… O nosso Manuel voltou ao Quartel”, escrevem os Bombeiros Famaliceses na sua página de Facebook, apelidando o voluntário como “guerreiro” e “vencedor”.

“Irá continuar agora a sua recuperação funcional, para minimizar os impactos criados pelos tratamentos”, explica a mesma publicação.

Continuar a ler

Guimarães

Crematório em freguesia de Guimarães pronto dentro de um ano

Obras públicas

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

As obras do crematório de Guimarães, no cemitério de Monchique, arrancam na próxima semana e estarão concluídas dentro de um ano, disse hoje fonte municipal.

Segundo a fonte, o investimento será suportado pela empresa que ficará com a exploração do crematório.

Situado na encosta poente da montanha da Penha, o cemitério de Monchique foi construído pela Câmara de Guimarães e inaugurado a 23 de outubro de 2004, sendo autores do projeto os arquitetos Maria Manuel Pinto de Oliveira e Pedro Mendo.

Em 2005, foi galardoado com o 1º Prémio Nacional de Arquitetura Paisagista na categoria “Espaços Exteriores de Uso Público”

Continuar a ler

Ave

Despiste seguido de capotamento faz um ferido em Famalicão

Em Fradelos

em

Foto: Facebook de Bombeiros de Famalicão

Um homem de 67 anos sofreu ferimentos na sequência de um despiste, seguido de capotamento, durante a tarde desta quarta-feira, em Famalicão, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

A viatura terá entrado em despiste por motivos ainda não apurados na rua D. Sancho I, na freguesia de Fradelos, mobilizando meios de socorro.

No local esteve uma equipa dos Bombeiros de Famalicão, com oito operacionais, apoiados por duas viaturas (uma ambulância e uma VSAT).

Houve necessidade de desencarcerar a vítima, disse a mesma fonte.

O ferido foi transportado para o Hospital de Famalicão.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Populares