Seguir o O MINHO

Canoagem

Fernando Pimenta eleito Atleta do Ano

em

O canoísta Fernando Pimenta conquistou hoje pela primeira vez o prémio de Atleta Masculino do Ano na Gala da Confederação do Desporto de Portugal (CDP), com Telma Monteiro a ser distinguida pela quarta vez.

Isto é mais difícil do que fazer canoagem. Antes de mais, pedia ao João Pereira e ao Rui Bragança que se ponham de pé, merecem aplausos. Portugal tem vindo, ano após ano, a mostrar-se como uma grande potência do desporto europeu“, começou por dizer o canoísta, antes de prosseguir: “Infelizmente, este ano não consegui o resultado que ambicionava. Fiz tudo o que podia em prol de Portugal, mas às vezes as coisas não acontecem”.

Fernando Pimenta quinto

Fernando Pimenta, no Rio de Janeiro.

O campeão europeu de K1 1.000 metros e K1 5.000 metros e quinto classificado no K1 1.000 metros nos Jogos Olímpicos Rio2016 já tinha vencido na categoria de Equipa do Ano, ao lado de Emanuel Silva, em 2012.

Fernando Pimenta recebe o prémio de Atleta do Ano.

Fernando Pimenta recebe o prémio de Atleta do Ano.

Fernando Pimenta bateu o futebolista Pepe, campeão da Europa com a seleção portuguesa de futebol e vencedor da Liga dos Campeões com o Real Madrid, Rui Bragança, bicampeão europeu de taekwondo na categoria -58 kg e nono no Rio2016, Marcos Freitas, quinto em singulares masculinos no ténis de mesa do Rio2016, e o triatleta João Pereira, quinto no Rio2016.

No setor feminino, o prémio da atleta do ano da Confederação do Desporto de Portugal foi para a judoca Telma Monteiro, medalha de bronze na categoria -57 kg dos Jogos Olímpicos do Rio2016, que já tinha sido distinguida e 2010, 2011 e 2014.

“Este ano, realmente, foi um ano muito especial. Quero partilhar este prémio com todos os atletas que estiveram nos Jogos Olímpicos”, transmitiu no seu discurso.

Monteiro derrotou a atleta Patrícia Mamona, campeã europeia de triplo salto, a navegadora Inês Ponte, primeira mulher a conquistar o campeonato nacional de ralis, a cavaleira Luciana Diniz, nona na competição de saltos de obstáculos no Rio2016, e a canoísta Teresa Portela, 11.ª no K1 500 metros olímpicos.

Os restantes prémios foram dominados pelo futebol, algo raro na Gala do Desporto, com Fernando Santos a ser escolhido como Treinador do Ano, a seleção campeã europeia como Equipa do Ano e Renato Sanches como Jovem Promessa.

Fernando Santos, selecionador campeão da Europa de futebol, foi o preferido dos votantes, superando Carlos Resende, do ABC, campeão nacional de andebol e vencedor da Taça Challenge, José Uva, treinador de Patrícia Mamona, Rui Câncio, selecionador nacional de maratona (canoagem), e Luís Sénica, selecionador campeão europeu de hóquei em patins.

“Acho que este foi um ano de ouro para o desporto português. Obrigado em meu nome. Quero agradecer a todos os que trabalharam comigo ao longo destes dois anos e que contribuíram para que Portugal fosse campeão da Europa”, disse o selecionador português de futebol.

A seleção de futebol, campeã no Europeu de França, bateu na corrida a Equipa do Ano a formação feminina de atletismo do Sporting, campeã europeia de clubes em pista, o K2 1.000 metros, composto pelos canoístas Emanuel Silva e João Ribeiro, quartos no Rio2016, a seleção de ténis de mesa, nona nos Jogos Olímpicos, e a de hóquei em patins, campeã da Europa de seniores masculinos.

Já a sensação Renato Sanches, vencedor do prémio ‘Golden Boy’, atribuído pelo jornal italiano ‘Tuttosport’, que distingue o melhor jogador sub-21 a atuar na Europa, superou as ‘promessas’ Marisa Vaz de Carvalho, campeã e recordista juvenil da Europa dos 100 metros barreiras, o ciclista Ivo Oliveira, vice-campeão europeu de perseguição individual de sub-23, a nadadora Tamila Holub, campeã europeia júnior nos 1.500 metros livres, e Júlio Ferreira, ouro na categoria -74 kg do taekwondo nos Jogos Europeus Universitários.

Na Gala do Desporto foi igualmente entregue o Prémio Ética no Desporto ao motociclista Paulo Gonçalves, pela atitude que teve no Dakar’2016, quando assistiu um adversário que sofreu um acidente na corrida.

“Há valores que estão muito para além das vitórias e das derrotas, como o ‘fair-play’. Fico muito contente se este pequeno gesto servir de exemplo aos mais jovens. Temos muitas responsabilidades, são-nos exigidas vitórias, mas a solidariedade é mais importante do que isso”, frisou no seu discurso Paulo Gonçalves, que liderava a geral quando percebeu que o piloto austríaco Matthias Walkner, o seu rival, tinha sofrido um acidente e prestou-lhe auxílio até que a equipa médica chegasse ao local.

O Prémio Alto Prestígio, a mais alta distinção da entidade, foi repartido entre as Federações de futebol e de surf.

 

logo Facebook Fique a par das Notícias de Ponte de Lima. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Canoagem

Família da canoagem une-se segunda-feira para recuperar CAR de Montemor-o-Velho

Mau tempo

em

cheias Mondego Montemor
Foto: Federação Portuguesa de Canoagem

A limpeza e início da recuperação do Centro de Alto Rendimento (CAR) da canoagem, em Montemor-o-Velho, inundado pelas cheias no Mondego, vai principiar segunda-feira, reunindo a ‘família’ da modalidade.

“A nossa casa, a casa da canoagem, o CAR de Montemor-o-Velho, vai voltar a ser o que era, para receber os nossos atletas e os nossos clubes. Apelo à participação de todos para que a normalidade seja reposta, sem colocar em causa a preparação dos atletas, em ano de Jogos Olímpicos”, refere, em comunicado, o presidente da federação, Vítor Félix.

Será às 10:00 que dirigentes, atletas, treinadores, funcionários, colaboradores, familiares e amigos se vão juntar para iniciar o processo de restabelecimento da normalidade no CAR, submerso pelas águas que chegaram a atingir dois metros dentro do enorme hangar.

A solidariedade estende-se à federação de triatlo que vai unir-se à iniciativa, que conta com o apoio da autarquia, gestora da infraestrutura, bem como dos comités olímpicos e paralímpicos de Portugal e a Fundação do Desporto.

“É nos maus momentos que nos devemos juntar e é nestes momentos que necessitamos do auxílio de todos. O melhor ainda está para vir e não temos dúvida nenhuma que 2020 será um grande ano para a canoagem”, acrescentou o dirigente.

O Centro de Alto Rendimento ficou submerso por uma camada de cerca de dois metros de água, estando ainda a ser avaliados os prejuízos materiais para a federação de canoagem – sobretudo com o ginásio e caiaques – e autarquia.

A canoagem é a modalidade lusa com mais qualificados para Tóquio2020, com seis na pista e um no slalom, nomeadamente Fernando Pimenta, Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista, David Varela e Teresa Portela, bem como Antoine Launay nas águas bravas.

Em maio, na Alemanha, na fase de apuramento continental, a seleção vai procurar acrescentar vagas em K1 e K2 500 femininos, K1 200 e C1 2000 masculinos, além de tentar voltar a levar José Carvalho à prova olímpica de C1 no slalom, na qual foi nono no Rio2016.

Fernando Pimenta e Emanuel Silva conquistaram o único pódio da canoagem portuguesa em Jogos Olímpicos, com a prata em K2 1000 em Londres2012.

Continuar a ler

Canoagem

Tóquio 2020: Canoagem assume objetivo de conquistar duas medalhas

Fernando Pimenta, Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista, David Varela e Teresa Portela e Antoine Launay representam o país

em

Foto: Divulgação

A Federação Portuguesa de Canoagem (FPC) assumiu, este sábado, o objetivo de “trazer duas medalhas” dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, meta inserida no plano de atividades aprovado em assembleia geral.

“A FPC aponta à conquista de duas medalhas em Tóquio, competição para a qual já apurou oito canoístas: seis da velocidade, um do slalom e um da paracanoagem (Jogos Paralímpicos)”, justifica o organismo.

A canoagem é a modalidade lusa com mais qualificados para Tóquio2020, com seis na pista e um no slalom, nomeadamente Fernando Pimenta, Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista, David Varela e Teresa Portela, bem como Antoine Launay nas águas bravas.

Em maio, na Alemanha, na fase de apuramento continental, a seleção vai procurar acrescentar vagas em K1 e K2 500 femininos, K1 200 e C1 2000 masculinos, além de tentar voltar a levar José Carvalho à prova olímpica de C1 no slalom, na qual foi nono no Rio2016.

Fernando Pimenta e Emanuel Silva conquistaram o único pódio da canoagem portuguesa em Jogos Olímpicos, com a prata em K2 1000 em Londres2012.

Paralelamente, Norberto Mourão vai estrear a canoagem nos Jogos Paralímpicos, contudo há a esperança de engrossar a equipa também nesta vertente.

O mau tempo que assolou o país, nomeadamente a região do Baixo Mondego, onde a canoagem tem o seu Centro de Alto Rendimento, em Montemor-o-Velho, levou a assembleia geral a aprovar um voto de “solidariedade com as populações gravemente afetadas” bem como com o município, “entidade parceira” da federação e que gere o CAR.

“Num momento difícil para Montemor-o-Velho e para a canoagem nacional, a AG da FPC expressa solidariedade para com todos os clubes nossos associados, que, um pouco por todas as bacias hidrográficas, sofreram prejuízos nas suas instalações, se viram privados temporariamente do exercício da sua atividade e sofreram em alguns casos prejuízos elevados”, completou.

Por ser ano de preparação e realização dos próprios Jogos Olímpicos, ficou um apelo ao governo para que “acelere extraordinariamente todo o apoio necessário ao município de Montemor-o-Velho e à FPC em ordem à reposição urgente das condições de operacionalidade do CAR”.

O Centro de Alto Rendimento ficou submerso por uma camada de cerca de dois metros de água, estando ainda a ser avaliados os prejuízos materiais para a federação de canoagem e autarquia.

Continuar a ler

Canoagem

Darque Kayak Clube vai fechar o ano, pela primeira vez, com um apurado para os Jogos Olímpicos

Canoagem

em

Foto: DR / Arquivo

A Darque Kayak Clube voltou a manter-se nos lugares cimeiros da primeira divisão de clubes de canoagem ao obter o 5.º lugar no ranking nacional de medalhas em campeonatos nacionais e o 7.º no ranking nacional de clubes, ambos do ano de 2019. Mas o grande destaque não é esse.

Pela primeira vez na sua história, a equipa de canoagem conta com um atleta (Antoine Manuel Launay) que alcançou vaga olímpica para Portugal, para além do título colectivo de Campeão Nacional de Esperanças de Slalom, o que conquista pela terceira vez consecutiva.

Embora a época ainda não tenha terminado, a FPC decidiu publicar dois rankings nacionais, sendo que, no entender da mesma, não se devem registar alterações nos posicionamentos até ao final da época face às atuais diferenças pontuais, explicou Américo Castro, presidente da direção.

Esta foi a equipa darquense mais jovem de sempre a disputar os respetivos campeonatos em 2019.

A turma de Viana do Castelo espera ainda pelos resultados das medalhas nas taças de Portugal.

Continuar a ler

Populares