Seguir o O MINHO

Região

Orquestras da Casa da Música tocam em Braga e Viana

Entrada livre

em

Foto: DR/Arquivo

A Orquestra Sinfónica do Porto e a Orquestra Barroca, agrupamentos da Casa da Música, atuam, de quinta-feira a 11 de setembro, em sete cidades do país, em concertos de entrada livre em espaço público.

A Orquestra Barroca assume cinco dos sete concertos, atuando na quinta-feira em Évora, na Praça do Giraldo, no sábado, em Mafra (Terreiro de D. João V), no domingo, em Faro (Praça da Sé), no Museu Francisco Júnior em Castelo Branco, no dia 10, e na Praça da República de Viana do Castelo, no dia seguinte, fechando este ciclo.

Antes, a Sinfónica sobe a palco no sábado, na Avenida dos Aliados, no Porto, pelas 22:00, inserido no já habitual programa de Concertos na Avenida que a Casa da Música costuma organizar, seguindo-se, no domingo, a cidade de Braga, ambos pelas 21:00.

O programa apresentado pela Barroca arranca com a sinfonia “Les éléments”, do compositor e violinista Jean-Féry Rebel (1666-1747), uma figura de proa da corte do rei Luís XIV que nesta obra explora a criação do mundo e inclui um movimento dedicado ao caos.

Seguem-se obras do Georg Friedrich Handel (1685-1759), um dos mais reconhecidos compositores da síntese do barroco tardio, com uma suíte de “Música Aquática” e partes das óperas “Radamisto” e “Partenope”.

Os concertos, marcados para as 22:00, terminam com o Concerto para violino, dois oboés, duas trompas, tímpanos e cordas do veneziano Antonio Vivaldi (1678-1741), “melodias contagiantes” e que dão protagonismo aos instrumentos de sopro.

À Barroca junta-se o violinista, contratenor e maestro russo Dmitry Sinkovsky, que em 2017 dirigiu a Sinfónica de Seattle, nos Estados Unidos, nas mesmas funções, então também em torno da música de Vivaldi.

O programa dos dois concertos da Sinfónica, dirigida pelo maestro titular Baldur Brönnimann, inclui sete peças focadas na música de dança, da festa popular a valsas e a ritmos da música eletrónica.

O “Carnaval Romano”, do francês Hector Berlioz (1803-1869), abre para a “Dança das Horas”, do italiano autor da ópera “A Gioconda” Amilcare Ponchielli (1834-1886), antes de obras dos ingleses Eric Coates e Frederick Delius.

“O Chapéu de Três Bicos”, do espanhol Manuel de Falla, abre a ligação latina a “La Milonga del Angel”, do argentino Astor Piazzolla, antes da sonoridade ‘techno’ da obra do norte-americano Mason Bates, com “Mothership”.

Segundo comunicado da organização, o objetivo do ciclo é “contribuir para a valorização desses centros históricos e fomentar o gosto pela música mais erudita, derrubando barreiras e conquistando novos públicos”.

Na apresentação do programa, o diretor artístico da Casa da Música, António Jorge Pacheco, garantiu à Lusa a continuidade do programa para 2020, por ser capaz de mudar “a forma como a Casa da Música é vista em todo o território nacional”.

Este trabalho, que arrancou em julho com um concerto da Sinfónica em Lisboa, envolve “uma logística brutal” e um orçamento “de mais de 500 mil euros”, através da parceria com a Fundação La Caixa.

Anúncio

Braga

IPMA coloca Braga em aviso laranja: Rua propícia a inundações interdita

IPMA

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A rua Maria Amélia Bastos Leite, em Ferreiros, cidade de Braga, foi interdita ao trânsito esta noite, pelas forças de proteção civil e autoridades, devido ao agravamento das condições meteorológicas a partir das 03:00 desta sexta-feira, apurou O MINHO no local.

Os Bombeiros Sapadores de Braga colocaram baias e fitas de sinalização para impedir a circulação de carros na rua, face às constantes inundações que se registam quando chove de forma mais persistente.

Bombeiros rebocam 15 carros nas cheias em Braga

A PSP garantiu que ninguém da laboração noturna do complexo Max Grundig, iniciada às 23 horas, estacionasse na referida rua, de forma a evitar possível submersão parcial (ou até total) das viaturas.

Aviso laranja

Os distritos de Braga e Viana do Castelo encontram-se sob aviso laranja entre as 03:00 e as 09:00 desta sexta-feira, de acordo com o Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA), devido a períodos de chuva, por vezes forte e persistente. Também o distrito do Porto estará em grau laranja.

O aviso baixa à intensidade de amarelo, mantendo-se até às 12:00.

Continuar a ler

Famalicão

Famalicão: Roubam 16 mil euros de moradia e deixam proprietário em estado grave

Em Ribeirão

em

Foto: DR / Arquivo

Um homem, de 65 anos, ficou com ferimentos graves na sequência de um violento assalto na moradia onde reside com a esposa, de 62, em Ribeirão, concelho de Famalicão, na terça-feira.

Os larápios entraram na moradia de forma violenta, dá conta o jornal Correio da Manhã, esta quinta-feira, relatando que os quatro assaltantes surpreenderam o casal no quarto, sequestraram a mulher na casa de banho e agrediram o companheiro, de forma a obter o código de um cofre.

Imagem via Correio da Manhã

A vítima acabou por revelar o código, não evitando ter sofrido ferimentos graves que o levaram a ser transportado diretamente para o Hospital de São João, no Porto.

Os ladrões, que ainda não foram alvo de detenção, terão levado 16 mil euros em dinheiro e várias peças em ouro. O mesmo jornal dá conta de que alguns documentos levados pelos assaltantes foram encontrados, na quarta-feira, em Lisboa.

A GNR de Famalicão registou a ocorrência que passou para investigação da Polícia Judiciária.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Grupo francês negocia novo hotel de 13 milhões no centro de Viana do Castelo

Hotelaria e turismo

em

Foto: DR / Arquivo

Um grupo francês está em “negociações” com a Câmara de Viana do Castelo para instalar, no centro da cidade, um hotel de três estrelas, anunciou o presidente da autarquia, citado pela Rádio Alto Minho. De acordo com José Maria Costa, o investimento será entre “12 a 13 milhões de euros” e a nova unidade terá 80 quartos.

O edil avançou com a informação no primeiro dia do 31.º Congresso Nacional de Hotelaria e Turismo, que decorre na capital do Alto Minho, depois de já ter assegurado que são necessários mais hotéis em Viana.

Explicou que foi necessário recorrer a um navio, com 60 quartos, para acomodar todos os visitantes deste evento nacional. José Maria Costa mostra-se preocupado porque estão previstos mais “nove congressos” na cidade, e não há alojamento.

O edil disse ainda que a autarquia está, atualmente, em negociações com outras três unidades hoteleiras, num total de 300 quartos, em investimento de 25 milhões de euros.

Continuar a ler

Populares