Seguir o O MINHO

Desporto

Olímpicos em 2021 obrigam a “revolução” nos calendários das modalidades

Covid-19

em

Foto: DR

O adiamento dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 para 2021, devido à pandemia da covid-19, coloca enormes desafios ao Comité Olímpico Internacional (COI) e às federações das modalidades, muitas das quais com campeonatos mundiais agendados para o próximo ano.


O atletismo, modalidade rainha dos Jogos Olímpicos, já se disponibilizou para adiar para 2022 os Mundiais que estão marcados para o verão do próximo ano, em Eugene, nos Estados Unidos.

A Federação Internacional de Natação (FINA) também já mostrou abertura para alterar as datas dos mundiais de 2021, que deveriam disputar-se entre 16 de julho e 01 de agosto, na cidade japonesa de Fukuoka.

O organismo tem outro problema para resolver ainda este ano: o reagendamento dos Europeus de natação, que deviam disputar-se em maio, em Budapeste.

A ginástica e o judo, duas modalidades com campeonatos mundiais todos os anos, exceto em ano olímpico, tem marcados para o próximo ano duas competições mundiais.

A principal competição mundial de judo deverá disputar-se em Tashkent, no Uzbequistão, em setembro, e os mundiais de ginástica estão marcador para outubro do próximo ano, em Copenhaga, na Dinamarca.

A Federação Internacional de Ginástica (FIG) afirmou que tudo fará “para adaptar o seu calendário”, enquanto o organismo que gere o judo, se mostrou disponível para repensar o agendamento do próximo ano.

Com Europeus masculinos e femininos agendados para junho e agosto o basquetebol “sofre” o mesmo problema das outras modalidades: falta de espaço no calendário para incluir os Jogos Olímpicos.

Da Federação Internacional de Basquetebol (FIBA) já veio a sugestão de adiar o Europeu feminino para 2023 e transformá-lo num evento teste para os Jogos Paris2024, e o masculino para 2023.

Caso se mantenham nas datas que estavam previstas para 2020, os Jogos Olímpicos do próximo ano vão começar no fim de semana em que termina a Volta a França, algo que não é inédito. Os mundiais não deverão ser afetados.

Entre as várias modalidades que organizam competições mundiais em ano pós-olímpico, estão, entre outras o remo, o badminton, a canoagem, a esgrima, o halterofilismo, o taekwondo e o tiro.

A opção de realizar os Jogos na primavera, já admitida pelo COI, afetará sobretudo o calendário dos desportos coletivos: os “play-offs” da Liga Norte-Americana de Basquetebol (NBA), as fases finais das ligas dos campeões de andebol, basquetebol e voleibol, e, claro, as ligas de futebol, podendo também interferir no Europeu da modalidade.

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio2020 foram adiados para 2021, devido à pandemia de covid-19, anunciaram na terça-feira o Comité Olímpico Internacional (COI) e o Comité Organizador dos Jogos, em comunicado.

“Nas presentes circunstâncias e baseado nas informações dadas hoje pela Organização Mundial de Saúde, o presidente do COI [Thomas Bach] e o primeiro-ministro do Japão [Shinzo Abe] concluíram que os Jogos da XXXII Olimpíada em Tóquio devem ser remarcados para uma data posterior a 2020 e nunca depois do verão de 2021”, lê-se no comunicado.

Esta decisão foi, de acordo com o mesmo documento, tomada “para salvaguardar a saúde dos atletas, de toda a gente envolvida nos Jogos Olímpicos e O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 226.000 infetados, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 6.820 mortos em 69.176 casos registados até terça-feira.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Em Portugal, há 43 mortes e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito, esta quarta-feira, pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira. Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril. de comunidade internacional”.

Anúncio

Futebol

Desportivo das Aves SAD desiste do Campeonato de Portugal

Futebol

em

Foto: DR / Arquivo

O Desportivo das Aves SAD vai abdicar da participação no Campeonato de Portugal (CdP) de futebol, após ter falhado até terça-feira as negociações com o Perafita para utilizar as instalações do clube de Matosinhos.

“As inscrições fechavam ontem [terça-feira] e nenhum atleta foi inscrito devido às dívidas antigas da SAD. O Aves SAD não vai competir esta época. Fecho definitivo de portas? Não fazemos ideia do futuro”, explicou à agência Lusa fonte do clube.

Os avenses foram autorizados a usar as instalações do Perafita para arrancar em 11 de setembro os trabalhos de pré-época com 17 jogadores, sob orientação de Paulo Gentil, ex-treinador do clube matosinhense, numa altura em que equacionavam a fusão com o emblema da I Divisão Distrital da Associação de Futebol do Porto.

“Ontem [terça-feira] tinha sido o último dia para que o acordo de arrendamento do estádio para treinos e jogos se realizasse. Como as condições impostas pelo Perafita não foram cumpridas, informamos que, a partir de hoje, não existe mais qualquer margem de negociação com a Aves SAD”, lê-se em comunicado emitido pela direção de Pedro Vaz.

O emblema do concelho de Santo Tirso estava impossibilitado de inscrever jogadores e viu negado o pedido de adiamento do jogo de estreia no CdP, falhando no domingo a visita ao Berço, que pode significar uma derrota administrativa e a dedução de pontos, antes do duelo com o Felgueiras 1932 para a primeira ronda da Taça de Portugal.

“A equipa estava preparada para o próximo jogo e fomos todos surpreendidos. Por questões logísticas, processuais e económicas, transmitiram-nos que o clube não teria condições para competir no Campeonato de Portugal. Lamento pelos atletas valorosos que cá estavam, mas fica a frustração”, partilhou à Lusa o treinador Paulo Gentil.

O Aves SAD reprovou em julho os requisitos de licenciamento nas provas profissionais de 2020/21 junto da Liga de clubes e dispensou o recurso para o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma temporada assinalada por sucessivos incumprimentos salariais e culminada com a descida no relvado à II Liga.

A estrutura liderada pelo chinês Wei Zhao tem sido acompanhada pelo administrador judicial provisório António Dias Seabra e beneficia de um Processo Especial de Revitalização (PER), que reparte dívidas de 17,1 milhões de euros por 110 credores.

Já a entidade fundadora, presidida por António Freitas e responsável por ações de destituição e despejo dos órgãos sociais da SAD no Tribunal da Comarca de Santo Tirso, inscreveu uma equipa sénior na II Divisão distrital da Associação de Futebol do Porto.

O Desportivo das Aves SAD (série B) junta-se ao Armacenenses (série F) no lote de desistentes após o sorteio do Campeonato de Portugal, que registou nove adiamentos e três faltas de comparência face aos 47 jogos programados da primeira jornada.

De acordo com o artigo 68.º do Regulamento Disciplinar do órgão federativo, “o clube que não compareça injustificadamente em dois jogos oficiais consecutivos ou três interpolados é sancionado com impedimento de participação em competição entre uma e três épocas desportivas e cumulativamente com multa entre 10 e 20 unidades de conta”.

Continuar a ler

Futebol

Famalicão contrata Iván Jaime por cinco épocas

Mercado de transferências

em

Foto: FC Famalicão

O médio Iván Jaime, de 19 anos, assinou um vínculo válido por cinco temporadas com o FC Famalicão, anunciou hoje o clube.

Formado no Málaga CF, o espanhol foi promovido à equipa principal do emblema da Andaluzia com apenas 17 anos. Já na última temporada, Iván Jaime fez parte do plantel da equipa que disputou o segundo escalão espanhol, apresentando ainda no currículo várias internacionalizações pela seleção sub-19 de La Roja.

“Senti que esta era uma oportunidade irrecusável. O FC Famalicão apresenta-se como um clube que privilegia um futebol positivo e isso faz me acreditar que irei evoluir ao longo desta temporada”, afirmou Iván Jaime.

Continuar a ler

Futebol

Treinador do Gil Vicente recuperado da covid-19

I Liga

em

Foto: Gil Vicente FC

O treinador Rui Almeida, um dos 18 elementos do Gil Vicente que acusaram positivo nos testes à covid-19, já recuperou da infeção, confirmou hoje o clube da I Liga portuguesa de futebol, numa nota na rede social Facebook.

O emblema de Barcelos frisou que o técnico, de 50 anos, contratado neste verão para substituir Vítor Oliveira, está “totalmente recuperado da covid-19”, tal como o treinador de guarda-redes, Miguel Matos.

Com a recuperação desses dois elementos, que cumpriram “quarentena obrigatória”, a equipa técnica está agora completa, refere ainda a nota do emblema minhoto.

O plantel gilista espera agora a ‘luz verde’ das autoridades de saúde para voltar a treinar em conjunto, no relvado, após ter sido colocado em quarentena obrigatória, devido aos casos de infeção detetados entre 11 e 13 de setembro, em 10 jogadores, cinco elementos da equipa técnica e restante estrutura do futebol e três pessoas alheias ao futebol profissional.

O Gil Vicente já adiantou, na terça-feira, que a receção ao Portimonense, relativa à segunda jornada do campeonato e agendada para as 16:00 de domingo, “não está em risco”.

O embate com a turma de Portimão pode marcar a estreia dos ‘galos’ na edição 2020/21 da I Liga, depois de o encontro da primeira ronda, com o Sporting, em Lisboa, previsto para as 18:30 do passado sábado, ter sido adiado para a semana entre 12 e 16 de outubro.

O jogo entre Sporting e Gil Vicente, duas equipas com casos confirmados de covid-19, foi o primeiro do principal campeonato português a ser adiado, depois das autoridades de saúde terem decidido “não estarem reunidas as condições necessárias” para a sua realização.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 965.760 mortos e mais de 31,3 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.925 pessoas dos 69.663 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Populares