Seguir o O MINHO

Braga

Investigadores da UMinho criam “manual de instruções” para fabrico de máscaras

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / Arquivo

Um grupo de investigadores da Universidade do Minho (UMinho) elaborou um “manual de instruções” sobre o fabrico de máscaras de proteção para ajudar as empresas envolvidas na confeção daquele equipamento, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a Fibrenamics, plataforma internacional da UMinho, explica que o manual pretende ser um contributo para a “harmonização” da informação disponível relativamente aos meios de proteção respiratória (máscaras), abordando aspetos como os tipos de proteção requeridos em função dos agentes de risco, os materiais e os processos envolvidos na sua confeção, bem como a normalização aplicada à validação e certificação do seu desempenho.

O ‘White Paper’- “Máscaras de Proteção” é um trabalho que surge da atual necessidade de produção em grande escala destes equipamentos de proteção ao contágio do novo coronavírus, com várias empresas a disponibilizarem-se para o fazer mas identificando a falta de um documento informativo e de orientação para auxiliar no desenvolvimento desta solução.

A Fibrenamics diz que ao longo dos últimos dias tem recebido diversas solicitações de empresas que pretendem fabricar máscaras de proteção para os profissionais de saúde, mas que, não tendo experiência neste domínio, colocam diversas dúvidas sobre certificações, materiais e produção.

Acrescenta que, por outro lado, tem sido também contactada por profissionais de saúde que, face à escassez de equipamento de proteção individual, tentam, eles próprios, encontrá-los no mercado ou contribuir para a sua fabricação.

“Desta forma, existindo um documento de referência sobre este produto, torna-se mais simples responder a todos estes apelos, de uma forma integrada, e com o rigor técnico-científico que esta situação exige”, explica Raul Fangueiro, professor da Universidade do Minho e coordenador da Fibrenamics.

O documento está disponível para download gratuito através desta ligação .

A Fibrenamics sublinha que o documento, embora sendo de acesso livre com informação relevante para todos de forma indiscriminada, é direcionado preferencialmente para profissionais de saúde e outros que, no desenvolvimento das suas atividades, necessitam daquele tipo de proteção.

Por outro lado, destina-se de igual forma às empresas que pretendam contribuir para fazer face à escassez previsível deste tipo de produtos de proteção pessoal no mercado.

“Este ‘White Paper’ pode ser atualizado a qualquer momento, é um documento aberto à contribuição de todos aqueles que possuam informação relevante que possa ser disponibilizada de forma indiscriminada neste momento de necessidade de articulação de todos”, esclareceu Raul Fangueiro.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 19.000 morreram.

Em Portugal, há 43 mortes, mais 10 do que na véspera, e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Anúncio

Braga

Arcebispo de Braga quer velas à janela e sinos a tocar no domingo de Páscoa

Covid-19

em

Foto: DR

O Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, em carta pastoral enviada aos sacerdotes católicos da Arquidiocese, pede “às famílias que, para exteriorizarem a sua fé na noite de sábado para domingo de Páscoa, coloquem na janela uma ou mais velas. Recordar-nos-ão o batismo e convidar-nos-ão a ser luz no mundo”.

O prelado acrescenta que, “durante o Domingo de Páscoa, os sinos devem tocar festivamente. A criatividade pastoral pode e deve ser usada para inventar outros sinais que manifestem a alegria pascal, nomeadamente um almoço festivo, com muitas ou poucas coisas, antecedido de um momento de oração”.

Na carta pastoral, D. Jorge Ortiga realça que “há mensagens, contactos telefónicos, saudações pela internet” e conclui: “Tudo deve seguir o que a fantasia da caridade sugere. E digo mais uma vez: acrescenta-lhe a melodia dos gestos, como possas e quanto o amor te ditar. O teu gesto diz: Estou a teu lado, à tua frente, a teu lado, no teu meio, atrás de ti”.

A celebração no Sábado será às 21h e no Domingo às 11h30, ambas na Sé Primaz. Ambas transmitidas pela internet.

Continuar a ler

Braga

Parques de campismo em Braga e Vila Verde disponíveis para profissionais de saúde

Covid-19

em

Foto: Domingos Costa

Os parques de campismo situados em Braga e Vila Verde estão disponíveis para receber profissionais de saúde durante o tempo da pandemia de covid-19, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a Câmara de Braga explica que o Parque de Campismo e Caravanismo de Braga terá alojamento para até 24 pessoas da área da saúde e da proteção civil, após pareceria entre a autarquia, a Invest Braga, o movimento de caravanistas ISTAS e o Hospital de Braga.

Bungalows, autocaravans e caravanas estarão disponíveis a partir de quinta-feira, com a chegada de mais seis autocaravanas vindas de Lisboa, conforme já foi noticiado por O MINHO.

Oferece ainda quatro espaços livres para os profissionais que possuam autocaravanas ou caravanas e necessitem deste serviço.

Já em Vila Verde, na freguesia de Aboim da Nóbrega, o parque de campismo local decidiu colocar dois bungalows, com capacidade para quatro pessoas, à disposição da comunidade médica.

No Parque de Campismo e Caravanismo Rural de Aboim da Nóbrega existem sete espaços para autocaravanas e caravanas para quem possua meios próprios e necessite de um espaço.

Esta iniciativa surge após disponibilidade demonstrada pela ATAHCA, Associação de desenvolvimento das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave, proprietária do parque.

Continuar a ler

Braga

Empresa de perfumes de Braga dedica toda a produção ao fabrico de gel desinfetante

Covid-19

em

Foto: Divulgação / Yntenzo

A marca bracarense de perfumaria artesanal Yntenzo decidiu dedicar toda a sua capacidade produtiva à produção de álcool gel, fazendo também uma doação à Proteção Civil, que irá distribuí-la por instituições e entidades que necessitam deste apoio, anunciou a empresa.

Destinado à higienização das mãos, com 65% a 70% de álcool, cumpre com as normas europeias e está registado no Portal Europeu de Cosméticos e Infarmed. Esta formulação inclui uma componente de hidratação que evita que as mãos fiquem secas e gretadas, explica a marca. Há ainda uma oferta de produtos a várias instituições como IPSS, bombeiros, proteção civil e cruz vermelha

“Na Yntenzo fazemos questão de apoiar a nossa comunidade ao longo de todo o ano, pelo que não poderíamos falhar nesta época delicada que vivemos. Fizemos um grande esforço para desenvolver uma fórmula de forma a apresentarmos um produto com a qualidade que nos é associada e a um preço acessível para todos”, revela Daniel Vilaça, CEO da Yntenzo.

“Esta é a nossa forma de agradecer a todos os que estão na linha da frente desta batalha – a Proteção Civil pode, agora, distribuir estes recursos pelos profissionais, lares, instituições e entidades que mais precisam. Nesta fase difícil, todos devemos ajudar como podemos, até porque todas as ajudas são necessárias”, continua.

Sem perfume e de secagem rápida, o novo álcool gel da Yntenzo está disponível na loja online e pode ser comprado em embalagens de 250ml e de 500ml, avulso ou em packs de 6, com preços que começam nos 5,50€. As encomendas chegam em 48 horas e todas as opções estão disponíveis na loja online da marca portuguesa.

Continuar a ler

Populares