Seguir o O MINHO

Braga

Oficial: Fábrica Confiança vai ser residência universitária em Braga

Por 3,7 milhões de euros

em

Antiga fábrica Confiança, em Braga. Foto: Sérgio Freitas / CM Braga

A Câmara de Braga vai avançar com a venda da antiga saboaria Confiança, mas com um “novo caderno de encargos” que obriga a manter a volumetria do edifício principal e “transformar” o complexo numa residência universitária, foi esta quarta-feira anunciado.

Esta manhã, em conferência de imprensa, o presidente da autarquia, Ricardo Rio (PSD/CDS-PP/PPM), anunciou que a hasta pública do edifício, que estava suspensa “por opção do executivo” depois de ter sido aberto o processo de classificação do imóvel como de interesse patrimonial pelo Estado, terá como valor base cerca de 3,6 milhões de euros.

Segundo explicou o autarca, o processo de classificação do imóvel “criava dúvidas” sobre o que ali podia ser construído, pelo que a autarquia “ultrapassou a questão” com a abertura de um Pedido de Informação Prévia (PIP), já aprovado pela Direção Regional de Cultura do Norte e pela Comissão Nacional de Cultura.

A hasta pública da Confiança já esteve por duas vezes marcadas, tendo sido adiada por duas providências cautelares que, segundo lembrou o autarca, deram razão à câmara: “Apesar de a autarquia ter toda a legitimidade para avançar com a alienação da Confiança, decidiu suspender essa venda até que não houvesse para eventuais investidores dúvidas sobre o que podia ser ali feito, mesmo com o caderno de encargos existente”, referiu Ricardo Rio.

Ricardo Rio explicou que, “devido ao PIP, houve mudanças no caderno de encargos que permitem não só assegurar de forma mais efetiva a memória imaterial da antiga saboaria, como a preservação do edifício e o destino a dar complexo”.

Segundo o Regime Jurídico da Urbanização e Edificação, o PIP específica que “qualquer interessado pode pedir (…), a título prévio, informação sobre a viabilidade de realizar determinada operação urbanística ou conjunto de operações urbanísticas diretamente relacionadas, bem como sobre os respetivos condicionamentos legais ou regulamentares, nomeadamente relativos a infraestruturas (…)”.

Uma vez favorável, o PIP “vincula as entidades competentes na decisão sobre um eventual pedido de licenciamento e no controlo sucessivo de operações urbanísticas sujeitas a comunicação prévia”.

O autarca apontou como “principais mudanças” a exigência de “manter toda a volumetria do edifício principal [o primeiro caderno de encargos apenas exigia a manutenção das três fachadas principais], sendo que as principais obras têm que ser feitas no terreno e que o único destino a dar ao imóvel é a criação de uma residência universitária que, segundo os cálculos da câmara, pode criar 300 novos alojamentos”.

Com esta solução, realçou o autarca, “não só se garante a memória e integridade do edifício como se potencia a ligação à cidade, nomeadamente à Universidade”.

Questionado sobre a redução no valor que a autarquia pedirá nesta nova hasta pública, as duas anteriores tinham por valor base cerca de 3,8 milhões de euros e a nova 3.651.380 euros, Rio explicou que se deve “às condicionantes adicionais” para o promotor do projeto.

A autarquia explicou ainda que o assunto será agora debatido na próxima reunião do executivo municipal, na segunda-feira, e na Assembleia Municipal do dia 24, pelo que “a intenção é avançar com o processo de alienação ainda no primeiro trimestre deste ano”.

O edifício foi desenhado por José da Costa Vilaça e inaugurado em 1921, e produziu perfumes e sabonetes até 2005, tendo sido adquirido pela autarquia em 2012, após decidida a expropriação do edifício, que estava a deteriorar-se, com o objetivo de “perpetuar a memória” da unidade fabril.

Anúncio

Braga

Braga apresenta novo albergue para peregrinos

Freguesia de Merelim São Pedro

em

Foto: Facebook de Caminhos por Braga / DR

Braga disponibilizou um novo albergue público para peregrinos situado na Rua do Carmo, na freguesia de Merelim São Pedro.

Foto: Facebook de Caminhos por Braga / DR

 

Segundo a página Caminhos Por Braga, o albergue conta com cozinha completa, camarata, casas de banho separadas para o sexo masculino e feminino e Wi-Fi.

Foto: Facebook de Caminhos por Braga / DR

Os peregrinos terão também acesso a um mini-mercado e a uma Caixa Multibanco situadas na proximidade do local.

 

 

 

 

Continuar a ler

Braga

Queijaria de Braga vence prémio de melhor loja gourmet em Portugal

Prémios da revista Vinho Melhores Escolhas

em

Foto: Facebook de Corriqueijo

A empresa Corriqueijo, sediada no centro da cidade de Braga, na Rua dos Biscainhos, foi considerada a “Melhor Loja Gourmet” nos prémios da revista VINHO Grandes Escolhas.

O prémio foi entregue na passada sexta-feira, durante a gala que decorreu no velódromo nacional de Sangalhos, no distrito de Coimbra, recolhendo vários elogios do júri.

De acordo com os jurados, a marca artesanal bracarense“distingue-se pela grande variedade de queijos artesanais, internacionais e nacionais, garantindo um contacto pessoal e privilegiado com os pequenos produtores do país e uma experiência única a todos os que a visitam”.

Recorde-se que, na mesma gala, a quinta Soalheiro, sediada em Melgaço, foi distinguida como “Melhor Marca do Ano”.

Soalheiro eleito Marca do Ano 2019 nos prémios Revista dos Vinhos

O grande destaque desta edição foi para o Niepoort Porto Vintage 2017, considerado o Vinho do Ano 2019. O prémio produtor do ano foi para a Quinta da Boavista. O Produtor de Vinhos Fortificados do Ano foi para o grupo Fladgate Partnership (Taylor”s, Fonseca, Croft e Krohn).

Continuar a ler

Braga

Investigador da UMinho desenvolve composto capaz de matar células cancerigenas

Ricardo Pires

em

Foto: researchgate.net / DR

O investigador da UMinho, Ricardo Pires, comanda uma investigação responsável pela criação de um composto capaz de neutralizar células cancerígenas criando uma cápsula de fibras que envolve o tumor e provoca a sua morte celular.

Segundo o programa 90 Segundos de Ciência, da Antena 1, Ricardo Pires, do grupo 3B’s – Biomateriais, Biodegradáveis e Biomiméticos da Universidade do Minho (UM), tem criado métodos para a distinção das células cancerígenas das células saudáveis utilizando enzimas e proteínas para reduzir os avanços da doença.

O composto criado é capaz de se auto-organizar em estruturas pré-programadas e será este avanço que permitirá ao investigador neutralizar as células malignas.

O investigador afirma que “ao haver esta conversão é formada uma rede à volta da célula que encapsula a célula nessa rede e inibe a troca de nutrientes promovendo a morte celular auto-regulada. Isto é, a própria célula cancerígena inicia processos internos para se suicidar. Nesta altura estamos a ultimar as partes dos testes in vivo em animais e a seguir iremos fazer testes de eficácia do composto a longo termo, utilizando tempos mais longos, para ver se há algum retrocesso no cancro ou não”, conclui.

Os testes efetuados até agora utilizam com modelos de osteossarcoma, um cancro que afeta os ossos.

 

Continuar a ler

Populares