Seguir o O MINHO

Futebol

“O Matheus só fez uma defesa”

Carlos Carvalhal

em

Declarações do treinador Carlos Carvalhal após o jogo Vitória SC – SC Braga (0-1), da quinta jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado em Guimarães:


Carlos Carvalhal (treinador do SC Braga): “Fizemos uma primeira parte de continuidade face ao passado recente. Não digo que poderíamos sentenciar o jogo, porque 2-0 não sentencia nada, mas tivemos oportunidades para fazer esse resultado e poderíamos tê-lo feito. Na segunda parte, esperávamos uma reação do Vitória. Tem boa equipa, com bons jogadores. A nossa capacidade de pressão à frente já não era à mesma. Perdemos frescura. O Vitória começou a entrar pela nossa estrutura. Houve ali um ou outro remate perigoso, mas o Matheus só fez uma defesa. As melhores oportunidades da segunda parte foram nossas: a do Galeno, na esquerda, e a do Schettine, isolado.

A nossa equipa tem uma capacidade grande de ter bola. Fomos a equipa que mais ataques fez na primeira jornada da Liga Europa – 22 ataques [contra o AEK de Atenas]. A equipa tem mantido essa tónica, essa postura de procurar golos e de criar oportunidades.

Gostamos de uma vitória assim, com os jogadores a sofrerem. Terminámos o jogo com nove jogadores, em sofrimento. Fechámos a nossa baliza e procurámos o golo. Jogámos de forma estoica. Jogámos com nove jogadores e não concedemos oportunidades ao adversário. Estou orgulhoso da equipa. Ainda não tínhamos testado a capacidade de sofrimento da equipa. Estava ‘mortinho’ por ter um jogo destes. Vamos ganhar mais jogos assim, porque temos uma equipa com caráter.

É uma entrada para parar o contra-ataque [sobre o lance que originou os desacatos entre jogadores]. O árbitro entendeu que deveria ser vermelho [a David Carmo]. Possivelmente, é. São situações do jogo. A entrada é muito brusca e depois há empurrões em simultâneo. Não devia acontecer, mas acontece.

É sempre uma incógnita [o que o jogo pode ser quando se fica reduzido a nove jogadores]. Nunca preparámos a equipa para jogar com duas linhas de quatro [jogadores]. Com duas expulsões, é complicado [gerir o jogo]”.

Anúncio

Futebol

“Dos 19 amigos que tive no meu último aniversário, dois já não estão cá”

Carlos Carvalhal

em

Imagem: Next / SC Braga

Declarações após o jogo SC Braga-Farense (1-0), da oitava jornada da I Liga portuguesa de futebol:

– Carlos Carvalhal (treinador do SC Braga): “Queria mandar um abraço à família do Vítor Oliveira [treinador que morreu no sábado]. Dos 19 amigos que tive no meu último aniversário, dois já não estão cá, o Dito e o Vítor Oliveira. Num curto espaço de tempo [morreram], têm sido meses muito duros, os dois com um passado como jogadores no Sporting de Braga, o Vítor também como treinador.

Sobre o jogo, o contexto não é nada fácil. O jogo de quinta-feira, para a Liga Europa [3-3 com o Leicester], foi extremamente intenso até ao último segundo. Hoje, era muito importante vencer, mas defrontámos uma equipa boa, muito bem organizada, sobretudo defensivamente, que nos criou muitas dificuldades.

Vencemos na parte final, mas foi de inteira justiça, podíamos ter marcado antes, uma bola no poste, boas defesas do guarda-redes.

Para o comum dos adeptos, meter três médios e tirar um avançado [Iuri Medeiros] seria um tiro sem pólvora, mas precisávamos de agarrar o jogo, solidificá-lo, ter mais capacidade de ter a bola. Depois, com a entrada do Schettine, arriscámos mais ainda e a vitória é inteiramente justa da equipa que mais fez para vencer o jogo.

A vitória é importante porque é melhor preparar o próximo jogo sobre uma vitória do que perder pontos. Já estamos focados no jogo com o AEK Atenas [quinta-feira, para a Liga Europa]. Estamos muito bem colocados para seguir em frente na Liga Europa, estamos na Taça de Portugal, na segunda fase da Taça da Liga, no campeonato estamos bem posicionados.

O Al Musrati está envolvido numa dinâmica boa, é um bom jogador, de construção, tem uma capacidade técnica muito elevada, joga para a frente o que não é muito comum num ‘6′, e faz golos, tem um remate potente, como os outros médios, estou muito satisfeito com a equipa toda”.

– Sérgio Vieira (treinador do Farense): “Quero deixar uma palavra de gratidão para Vítor Oliveira [treinador que morreu sábado], os sentimentos para os amigos e família. Lembro os valores humanos que nos deixou e a forma de o honrar é colocar em prática os valores enquanto homem.

Foi um jogo difícil, contra uma excelente equipa, com excelentes jogadores, um excelente treinador, um clube com um projeto fantástico, mas sentíamos que podíamos vir aqui fazer um grande jogo, lutar por pontos e levar a vitória.

Houve circunstâncias que não nos deixaram, algumas pela qualidade do Braga, outras pela questão da arbitragem.

Já vi dezenas de vezes o lance [do golo anulado] e é o Sequeira que faz o passe e é o VAR que diz que é Bilel. É um lance que pode mexer com o resultado, mas isso não tira mérito à vitória do Braga, o destino não quis assim.

A sensação que temos é que, para a equipa de arbitragem, o lance foi cortado pelo Sequeira. Dizem que há um ‘frame’ muito preciso em que se vê que é o Bilel que faz o passe. Mas, o futebol não é isto, é o que se vê a olho a nu e todos viram que é o Sequeira. Todos têm direito a errar, mas não se pode errar tanto, foi aqui, foi o golo com o Rio Ave que foi limpo.

Fica a nossa organização, atitude e compromisso, são coisas que levámos para o futuro, para conseguirmos o objetivo da época.

A paragem não foi nada positiva para nós e há dados concretos que comprovam isso. Vínhamos de uma vitória, de um bom momento, de muita confiança. Foram três semanas sem competição, na nossa região não há equipas para fazer jogos amigáveis, as do Campeonato de Portugal não fazem testes para a covid-19 e é muito arriscado. Perdemos dois ou três jogadores por lesão neste período. O campeonato é longo e temos a noção de que vamos realizar um campeonato bonito e que vamos acabar muito melhor do que começámos.

O Ryan Gauld é um jogador fantástico, com muita qualidade, com muito potencial, com uma personalidade excecional, um trabalhador, é dos que mais corre e mais trabalha, adapta-se bem a qualquer posição, vai chegar a equipas que podem lutar por títulos, em Portugal ou noutros países”.

Continuar a ler

Futebol

“Thank you and goodbye”: A caricata ‘flash-interview’ de Al Musrati

SC Braga

em

Imagens Sport TV / Twitter

O jogador Al Musrati, autor do golo que deu a vitória ao SC Braga frente ao Farense, neste domingo, foi protagonista de um momento caricato durante a ‘flash-interview’ da Sport TV. Questionado em inglês pelo jornalista, o avançado que alinhou no Rio Ave acabou por dizer “Thank you and goodbye”, não respondendo à questão que parece não ter compreendido.

Um golo de Al Musrati já perto do final deu hoje ao SC Braga um difícil, mas justo triunfo sobre o Farense, o sexto consecutivo na prova, por 1-0, na oitava jornada da I Liga de futebol.

O único golo da partida surgiu aos 87 minutos, quando o Braga carregava em força: após um corte incompleto da defesa algarvia, a bola sobrou para o suplente Al Musrati, que rematou, já bem dentro da área, com força e colocação.

A vitória ‘arrancada a ferros’ veio premiar a melhor segunda parte dos minhotos, depois de um primeiro período ‘cinzento’ em que o Farense mostrou personalidade e criou muito perigo junto da baliza ‘arsenalista’.

O SC Braga mantém o segundo lugar, enquanto o Farense volta às derrotas, depois de um empate e uma vitória, e cai para a última posição da tabela classificativa.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga vence Farense e mantém segundo lugar da Liga

I Liga

em

Foto: SC Braga / Twitter

Um golo de Al Musrati já perto do final deu hoje ao SC Braga um difícil, mas justo triunfo sobre o Farense, o sexto consecutivo na prova, por 1-0, na oitava jornada da I Liga de futebol.

O único golo da partida surgiu aos 87 minutos, quando o Braga carregava em força: após um corte incompleto da defesa algarvia, a bola sobrou para o suplente Al Musrati, que rematou, já bem dentro da área, com força e colocação.

A vitória ‘arrancada a ferros’ veio premiar a melhor segunda parte dos minhotos, depois de um primeiro período ‘cinzento’ em que o Farense mostrou personalidade e criou muito perigo junto da baliza ‘arsenalista’.

O SC Braga mantém o segundo lugar, enquanto o Farense volta às derrotas, depois de um empate e uma vitória, e cai para a última posição da tabela classificativa.

A equipa da casa entrou melhor e Castro (13 minutos) e, sobretudo, Paulinho (23) obrigaram Rafael Defendi a defesas muito atentas, mas esse ímpeto durou pouco.

Sem velocidade e sem ideias, o Farense foi crescendo, tendo mesmo chegado a introduzir a bola na baliza, por Mansilla, mas o VAR anulou o golo ao argentino por fora-de-jogo de Ryan Gauld, que tinha feito a assistência (27 minutos).

Os algarvios eram agora bem mais perigosos e, aos 39 minutos, uma grande jogada coletiva criou muito perigo, mas Bilel e Ryan Gauld, no ‘coração’ da área, falharam os remates.

A resposta chegou com um cabeceamento de Paulinho, após cruzamento de Castro, mas Defendi mostrou novamente atenção, a três minutos do intervalo.

O SC Braga reentrou mais pressionante e, aos 52 minutos, Iuri Medeiros rematou da meia lua ao poste esquerdo.

Depois de jogar na quinta-feira, para a Liga Europa (empate 3-3 com o Leicester), Carlos Carvalhal refrescou a equipa à passagem do minuto 63, lançando três de uma vez – Al Musrati, João Novais e André Horta -, mas foi Galeno a desperdiçar uma grande ocasião, cinco minutos depois.

Aos 71 minutos, Sequeira serviu Ricardo Horta, que rematou forte, de primeira, mas à figura de Rafael Defendi e, um minuto depois, o mesmo Horta desferiu um ‘tiro’ de muito longe que passou perto da baliza algarvia.

O treinador do Farense, Sérgio Vieira, quis dar mais vigor à sua equipa com a dupla entrada de Hugo Seco e Patrick (73 minutos), mas o Farense foi uma nulidade ofensivamente na segunda parte e seria a equipa da casa a recolher os frutos das investidas que fazia com muita ‘alma’, com o golo do médio internacional líbio.

Ficha de Jogo

Estádio Municipal de Braga.

SC Braga – Farense, 1-0.

Ao intervalo: 0-0.

Marcador:

1-0, Al Musrati, 87 minutos.

Equipas:

– SC Braga: Matheus, Esgaio, Bruno Viana, David Carmo, Sequeira, Castro (Al Musrati, 63), Fransérgio (João Novais, 63), Ricardo Horta, Iuri Medeiros (André Horta, 63), Galeno (Schettine, 84) e Paulinho.

(Suplentes: Tiago Sá, Tormena, Raul Silva, João Novais, André Horta, Al Musrati, Abel Ruiz, Rodrigo Gomes e Schettine).

Treinador: Carlos Carvalhal.

– Farense: Rafael Defendi, Alex Pinto, César Martins, Cláudio Falcão, Abner, Filipe Melo (Madi Queta, 90+1), Amine (Licá, 90+1) Ryan Gauld, Bilel (Hugo Seco, 73), Mansilla (Bura, 77) e Stojiljkovic (Patrick, 73).

(Suplentes: Hugo, Hugo Seco, Madi Queta, Bura, Fabrício Isidoro, Patrick, Cássio Scheid, Alvarinho e Licá).

Treinador: Sérgio Vieira.

Árbitro: António Nobre (Leiria).

Ação disciplinar: cartão amarelo para David Carmo (04), Amine (46), Fransérgio (58), João Novais (80), Abner (81), Rafael Defendi (81) e Ryan Gauld (90+2).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Continuar a ler

Populares