Seguir o O MINHO

Alto Minho

Nove suspeitos de tráfico de droga detidos no distrito de Viana

em

Foto (arquivo): DR

Nove suspeitos de tráfico de droga foram detidos nos concelhos de Valença e Vila Nova de Cerveira após dez buscas domiciliárias resultantes de uma investigação que durava há um ano, revelou hoje a GNR de Viana do Castelo.


Em comunicado, a GNR esclarece que os detidos, oito homens e uma mulher com idades compreendidas entre os 19 e os 43 anos, foram detidos no sábado, nas localidades de Valença e de Vila Nova de Cerveira, no distrito de Viana do Castelo.

A operação, “que envolveu 66 militares” de diferentes valências da GNR para cumprir “dez mandados de busca domiciliária” levou ainda à apreensão de 29 doses de cocaína, 76 de canábis e 445 de haxixe, para armas, dinheiro, automóveis e balanças.

O Comando Territorial de Viana do Castelo da GNR descreve ter apreendido “cinco plantas de canábis, duas viaturas ligeiras, uma moto 4, uma arma de ar comprimido com mira telescópica, cinco armas brancas, uma soqueira e um bastão extensível”.

Na ação que resultou “de um processo de investigação criminal por tráfico de estupefacientes”, em curso “há cerca de um ano”, a GNR apreendeu também “nove telemóveis, três balanças de precisão e 870 euros em dinheiro”.

De acordo com a GNR, cinco dos nove detidos “permanecem nas instalações da GNR”, devendo ser presentes na segunda-feira no Tribunal Judicial de Viana do Castelo.

A GNR acrescenta que “os detidos têm antecedentes criminais pela prática dos crimes de furto, tráfico de estupefacientes e de ofensas à integridade física”.

Anúncio

Alto Minho

Caminha reforça policiamento para impedir ajuntamentos

Nas ruas onde há diversão noturna

em

Foto: DR

O presidente da Câmara de Caminha anunciou hoje o reforço de policiamento no centro histórico, durante a segunda quinzena de agosto e face ao previsível aumento de visitantes, como forma de prevenir a propagação do novo coronavírus.

“O reforço da GNR não está ligado a nenhuma notícia do presente. Não há registo de casos ativos de covid-19 no concelho. Na verdade, o número de doentes tem sido baixo. A generalidade das pessoas tem cumprido as normas e os estabelecimentos, salvo poucas exceções, cumprem as regras. Mas não podemos facilitar, nem dar mostras que abrandamos no rigor”, frisou Miguel Alves, citado numa nota hoje enviada à imprensa.

O autarca socialista de Caminha explicou que o reforço de policiamento “nas ruas onde costuma acontecer a diversão noturna” foi “contratualizado com a GNR” e entra em vigor na sexta-feira.

Segundo dados da GNR, hoje avançados pelo município, Caminha regista 28 infrações às normas sanitárias em vigor devido à pandemia de covid-19, “essencialmente relacionadas com o consumo de bebidas alcoólicas na via pública”.

“As coisas estão a correr bem, as pessoas têm tido uma atitude muito cuidadosa, os empresários percebem que devem cumprir as regras, o concelho de Caminha está cheio de turistas e os casos de doença são residuais, mas, basta um ato irrefletido ou uma atitude irresponsável para colocar o trabalho de todos em xeque. Sabemos que os últimos dias de verão mobilizam muita gente para a vida noturna e não queremos deitar tudo a perder. Podemos sair, podemos descontrair, mas sempre, sempre mesmo, cumprindo as regras, zelando pela nossa saúde e respeitar a dos outros”, apelou Miguel Alves, que é também presidente da comissão distrital da proteção civil de Viana do Castelo.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 743 mil mortos e infetou mais de 20,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.764 pessoas das 53.223 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Continuar a ler

Alto Minho

Trio de jovens assaltava casas de férias em Caminha

Crime

em

Foto: GNR

Três jovens foram constituídos arguidos por furtos em residências no concelho de Caminha, anunciou hoje a GNR.

Os detidos, de 20, 24 e 27 anos, já têm antecedentes criminais por furto e ofensas à integridade física.

A ação do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Viana do Castelo aconteceu quarta-feira, no âmbito de uma investigação por dois furtos em residência que decorria desde o início do ano.

Em comunicado, a GNR explica que os militares “apuraram que os suspeitos arrombaram as portas das residências de veraneio para conseguirem entrar e furtar os bens”.

No cumprimento de dois mandados de busca, uma domiciliária e uma em veículo, foi apreendido material furtado: consola e acessórios, um aparelho via verde e material de casa (candeeiros).

Os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Caminha.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Padre de Viana infetado com covid pede aos fiéis para estarem atentos a sintomas

Monsenhor Manuel Vilar

em

Foto: Diocese de Viana do Castelo

O pároco da Meadela, em Viana do Castelo, confirmou hoje à Lusa ter testado positivo para o novo coronavírus e pediu aos fiéis que com ele contactaram nos últimos dias para estarem atentos a eventuais sintomas da covid-19.

“Pedi ao sacerdote que me veio substituir na paróquia e que tem celebrado as missas desde a última sexta-feira para informar as pessoas do que se está a passar comigo, para estarem atentas a eventuais sintomas”, afirmou monsenhor Vasco Vilar.

O sacerdote de 76 anos que, na terça-feira, viu confirmada a infeção pelo novo coronavírus adiantou que a saúde pública de Viana do Castelo contactou as três pessoas da paróquia por ele indicadas por manterem relações de maior proximidade e que estão, como ele, em confinamento.

“As pessoas mais próximas de mim foram informadas pelas entidades de saúde pública. Estão todas bem. Eu também estou bem. Até estou intrigado por não ter nenhum sintoma”, declarou.

Desde 2013 integrada na União de Freguesias de Santa Maria Maior, Monserrate e Miadela.

Meadela tinha, de acordo com os Censos 2011, 9.782 habitantes.

“Acredito que tudo vai correr bem, mas é preciso que as pessoas estejam atentas”, alertou, referindo-se à necessidade do rastreio para evitar um surto da doença.

Vasco Vilar adiantou ter sido contactado, na sexta-feira passada, pelo delegado de saúde de Vila Nova de Famalicão, no distrito de Braga, após ter sido confirmada a infeção pelo novo coronavírus ao pároco de Ribeirão.

“Estive com o meu colega em finais de julho e na última sexta-feira fui contactado pelo delegado de saúde pública de Vila Nova de Famalicão e logo que me comunicaram meti-me em casa e pedi a outro padre para assegurar o serviço religioso da paróquia”, explicou o monsenhor.

Vasco Vilar afirmou que, desde o princípio da pandemia, se preocupou “em cumprir” as normas impostas pelas entidades de saúde e que, após estar curado, vai ser “mais exigente”.

“A igreja é desinfetada sempre, as pessoas usam máscara, temos gel desinfetante à entrada do templo, e para a comunhão mandei fazer uns acrílicos para não haver contacto com os féis”. especificou.

Contactada hoje pela Lusa, fonte do Secretariado Diocesano de Viana do Castelo disse tratar-se do primeiro caso de infeção entre sacerdotes, garantindo que os serviços religiosos no distrito de Viana do Castelo “cumprem as normas impostas pelas autoridades de saúde”.

“A Diocese de Viana do Castelo sempre colaborou com as autoridades de saúde no cumprimento das medidas de prevenção da covid-19 e assim continuará a ser”, salientou a mesma fonte.

A Diocese de Viana do Castelo, fundada através de uma bula do beato Paulo VI, publicada em 03 de novembro de 1977, abrange os 10 concelhos do Alto Minho.

A diocese mais jovem do país integra 291 paróquias espalhadas pelos 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo e tem cerca de 120 sacerdotes.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 743 mil mortos e infetou mais de 20,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.764 pessoas das 53.223 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Populares