Seguir o O MINHO

Alto Minho

Nova Câmara de Cerveira de maioria PS toma posse sem ex-presidente na oposição

Fernando Nogueira renuncia ao cargo

em

Rui Teixeira e Fernando Nogueira. Foto: DR

O novo executivo municipal de Cerveira, de maioria PS, tomada posse no sábado, mas o presidente derrotado nas últimas autárquicas, Fernando Nogueira, não vai assumir as funções de vereador do Movimento Independente Pensar Cerveira – PenCe.

Logo após as eleições de autárquicas de setembro, em que saiu vencedor o socialista Rui Teixeira, Fernando Nogueira manifestou-se indisponível para ocupar o lugar na oposição por ter concorrido para manter a presidência da câmara num último mandato.

O novo presidente da câmara, que devolveu ao PS um município perdido em 2009 para o movimento Pensar Cerveira, toma posse no sábado, às 10:30, no cineteatro de Vila Nova de Cerveira.

Segundo os dados do Ministério da Administração Interna, e apuradas as 11 freguesias daquele concelho do distrito de Viana do Castelo, Rui Teixeira venceu as eleições autárquicas de setembro, com 50,83% dos votos, e garantiu três mandatos, protagonizando uma das surpresas das autárquicas no distrito de Viana do Castelo.

O Movimento Independente Pensar Cerveira – PenCe, apoiado pelo PSD e CDS-PP, e liderado por Fernando Nogueira, atual presidente da câmara, foi o segundo mais votado, com 41,18%, assegurando um lugar no executivo municipal.

Hoje, em nota enviada à imprensa, o presidente cessante adiantou que “os independentes deixam, ao novo executivo, projetos aprovados e financiados de nove milhões de euros”.

“Entre aprovados, financiados e prontos a arrancar, o executivo independente liderado por Fernando Nogueira entrega ao novo executivo socialista mais de 30 projetos na ordem dos nove milhões de euros, com um financiamento FEDER de 6,5 milhões de euros, além de uma redução da dívida municipal superior a 50%, passando de cerca de oito milhões de euros de dívida, em 2013, para cerca de 3,9 milhões de euros a 30 de junho de 2021”, refere a nota.

Citado na nota, o presidente cessante, Fernando Nogueira, explica ser “imperioso para qualquer autarquia ter, de antemão, uma vasta carteira de projetos, de forma a agilizar todo o processo de submissão de candidatura, aproveitando no imediato a oportunidade para captar financiamentos europeus, e não perder tempo importante na elaboração em cima da hora”.

“O que fizemos foi programar sustentadamente o desenvolvimento futuro do concelho nas várias áreas de atuação. Obviamente, é legítimo o novo executivo fazer a sua ponderação, e atuar mediante as suas opções”, acrescenta Fernando Nogueira.

Segundo a autarquia, “à data da cessação de funções, e segundo o Relatório Intermédio do Auditor Externo, o atual executivo municipal deixa um crescimento do ativo líquido de 4,32% (+ 2,5 milhões de euros) face a 31 de dezembro de 2020, uma autonomia financeira do município que passa de 89,63% para 90,69%, e a ausência de pagamentos em atraso.

“À data de hoje, 15 de outubro, o resumo diário da tesouraria apresenta-se com 2.983.555,98 euros”, destaca.

Populares