Seguir o O MINHO

Futebol

Nacional quer vencer em Guimarães para manter vivo sonho da manutenção

32.ª jornada da I Liga

em

O treinador do Nacional, Costinha, afirmou hoje acreditar no triunfo no terreno do Vitória, em jogo da 32.ª jornada, para poder continuar a sonhar com a manutenção na I Liga.

Na antevisão da partida, Costinha afirmou que “primeiro há que pensar neste jogo, contra uma equipa forte”, que acalenta ainda “o objetivo de chegar ao quinto lugar”.

“Temos noção de que a situação é muito complicada e, se queremos efetivamente continuar num caminho que nos permita ficar na I Liga, temos de ter uma abordagem boa em Guimarães”, disse o técnico do Nacional, penúltimo classificado, com 27 pontos.

Para poder alcançar um bom resultado que mantenha a esperança de a equipa madeirense continuar no principal escalão, Costinha considera que é fundamental “ter uma boa mentalidade”.

Até final do campeonato, faltando apenas três jornadas, o treinador defender que “há que manter uma postura digna de um clube que até agora, em termos de cumprimentos com os seus profissionais, não tem uma única falha”.

Quando o Nacional entrar em campo, já terá conhecimento dos resultados do Tondela e do Chaves, equipas que também lutam pela permanência, mas o treinador desvalorizou esse fator, sublinhando que “é importante que a equipa se foque naquilo que tem de fazer” sabendo que tem quatro pontos de desvantagem para aqueles adversários.

Com nove pontos em disputada, Costinha defende que “ainda é possível” e quer “brio e profissionalismo até ao último momento”.

O técnico analisa o Vitória SC como uma formação que “pratica bom futebol, tem um bom treinador e bons executantes”, não apontando especificamente pontos fortes ao clube vimaranense. “É uma equipa com boa posse de bola, com qualidade na transição ofensiva e perigosa nas bolas paradas”, frisou.

O jogo entre o Vitória, sexto classificado, com 45 pontos, e o Nacional, disputa-se a partir das 20:00 de domingo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, com arbitragem de Jorge Sousa da associação do Porto.

Anúncio

Futebol

Três jovens do FC Famalicão e um do Vitória entre as ‘pérolas’ da I Liga

Dois defesas, um médio e um avançado

em

Nehuén Pérez. Foto: Divulgação / Arquivo

A Liga Portuguesa de Futebol divulgou hoje o onze mais jovem do campeonato, decorridas que estão 13 jornadas.

O FC Famalicão, com três nomes, é o segundo clube com mais jogadores na lista, atrás do Belenenses SAD. O Vitória SC, a par de CD Tondela, Marítimo e Benfica, também tem um jogador entre os wonderkids.

Numa formação escalada em 4-3-3, a lista é então composta por: Hervé Koffi (23 anos, Belenenses SAD); Diogo Calila (21 anos, Belenenses SAD), Nehuén Pérez (19 anos, FC Famalicão), Tomás Ribeiro (20 anos, Belenenses SAD) e Álex Centelles (20 anos, FC Famalicão); Gustavo Assunção (19 anos, FC Famalicão), Pedro Pelágio (19 anos, Marítimo) e Florentino Luís (20 anos, Benfica); Richard (20 anos, Tondela), Edwards (21 anos, Vitória SC) e Kikas (21 anos, Belenenses SAD).

Imagem: LPFP

No critério utilizado, “os onze mais jovens selecionados têm que já ter atuado um mínimo de cinco partidas como titulares, sendo a idade mais baixa o fator de desempate, em caso de igualdade”.

FC Famalicão

No centro, Nehuén Pérez é totalista na atual edição da Liga NOS. Titular em todas as 13 partidas, o argentino, emprestado pelo Atlético de Madrid, foi chamado aos trabalhos da seleção da Argentina, já se estreou a marcar, na vitória por 2-3 diante do CD Aves, somando ainda 62 recuperações de bola e 11 cortes completos.

Na ala esquerda, Álex Centelles está em Famalicão por empréstimo de outro clube espanhol: o Valência. Lateral com valências ofensivas, já por duas vezes assistiu um companheiro de equipa para golo e que soma 21 ataques e 35 recuperações de bola, nos nove jogos que completou.

Também emprestado pelo Atlético de Madrid, outro jogador em grande destaque no terceiro classificado da I Liga é brasileiro e filho do ex-FC Porto Paulo Assunção. Titular em 12 das 13 jornada, Gustavo Assunção tem sido nuclear na formação de João Pedro Sousa, com 67 recuperações de bola e 18 cortes completos.

Vitória SC

Na asa esquerda do ataque surge Marcus Edwards. O inglês resgatado pelo Vitória SC ao Tottenham, no princípio da temporada, marcou o primeiro golo ao serviço dos vimaranenses na última jornada, tendo já efetuado, também, duas assistências para golo, nos sete jogos que cumpriu, dos quais seis como titular.

Continuar a ler

Futebol

FC Porto empata com Belenenses SAD e fica mais longe do líder Benfica

13.ª jornada da Liga portuguesa de futebol

em

Imagem via VSports

O FC Porto empatou hoje 1-1 na visita ao Belenenses SAD, em jogo da 13.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, aumentando para quatro pontos o atraso para o líder Benfica.

O médio André Santos inaugurou o marcador aos 14 minutos para os anfitriões, mas o defesa brasileiro Alex Telles igualou aos 32, de grande penalidade, minimizando os danos para os ‘dragões’, que empataram dois dos últimos três jogos disputados fora de casa na prova.

O FC Porto manteve-se no segundo lugar, agora com 32 pontos, mas ficou mais longe do Benfica, campeão nacional e líder isolado do campeonato, com 36, enquanto o Belenenses permaneceu na 12.ª posição, com 15.

Ficha de Jogo

Jogo realizado no Estádio Nacional, em Oeiras.

Belenenses SAD – FC Porto, 1-1.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

1-0, André Santos, 14 minutos.

1-1, Alex Telles, 32 (grande penalidade).

Equipas:

– Belenenses SAD: Koffi, Tiago Esgaio, Nuno Coelho, Tomás Ribeiro, Chima Akas, Show, André Sousa, André Santos (Hakim, 74), Silvestre Varela, Licá (Marco Matias, 87) e Cassierra (Kikas, 69).

(Suplentes: André Moreira, Hakim, Sphephelo Sithole, Benny, Marco Matias, Robinho e Kikas).

Treinador: Pedro Ribeiro.

– FC Porto: Marchesín, Manafá (Nakajima, 63), Pepe, Marcano, Alex Telles, Danilo Pereira, Loum (Sérgio Oliveira, 64), Otávio, Corona, Marega (Soares, 82) e Zé Luís.

(Suplentes: Diogo Costa, Mbemba, Sérgio Oliveira, Uribe, Nakajima, Luís Díaz e Soares).

Treinador: Sérgio Conceição.

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Silvestre Varela (53), Koffi (64), Chima Akas (65), Tomás Ribeiro (71), Nuno Coelho (90+2), Soares (90+4), Tiago Esgaio (90+4), Pepe (90+5) e André Sousa (90+5).

Assistência: cerca de 6.000 espetadores.

Continuar a ler

Futebol

“No fim o que conta é quem marca golos”

Declarações pós-jogo do Sporting-Moreirensa da 13.ª jornada da Liga

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações após o jogo Sporting-Moreirense (1-0), da 13.ª jornada da I Liga de futebol, disputado hoje no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

– Vítor Campelos (Treinador do Moreirense): “Os resultados no final são sempre justos e o Sporting marcou e nós não. Sabíamos que ia ser um jogo extremamente difícil, que teríamos de ser rigorosos e ter coragem para ter a bola, mas em alguns momentos errámos alguns passes fáceis. Mesmo assim, podíamos ter marcado em algumas transições. Há um penálti a nosso favor sobre o Fábio Abreu e depois da expulsão o Sporting ficou mais por cima. Parabéns ao Sporting, porque no fim o que conta é quem marca golos.

Entramos em todos os jogos para ganhar e este era mais um jogo que queríamos ganhar. Em determinada altura, se tivéssemos tido mais paciência com bola, podíamos ter criado maior perigo e mais oportunidades.

Temos de pensar jogo a jogo. É certo que ainda não ganhámos fora, mas agora temos de pensar já no Belenenses e em ficar com os três pontos”.

– Jorge Silas (Treinador do Sporting): “Foi um jogo que controlámos inteiramente, muito bem conseguido, com muitas ocasiões de golo e muitos remates para um só golo. Já na primeira parte podíamos ter ficado em vantagem e foi um dos nossos melhores jogos, a nossa sexta vitória consecutiva em casa perante um bom adversário. Foi uma vitória justa.

Devíamos ter controlado mais o jogo com bola e não nos devíamos ter deixado levar pela ansiedade, mas classificaria esta exibição com nota sete ou oito.

Neste momento, só estamos preocupados com os jogadores que temos e não com o mercado”.

Continuar a ler

Populares