Seguir o O MINHO

Futebol

Moreirense conquista um ponto na Luz contra o Benfica

I Liga

em

O Moreirense empatou 1-1 com o Benfica, em jogo da 18.ª jornada da I Liga.

No estádio da Luz, o Moreirense adiantou-se no marcador aos 61 minutos, beneficiando de um autogolo do brasileiro Gilberto, com o uruguaio Darwin Núñez, aos 65, a fazer o golo do empate, que se manteve até ao final.

Com este empate, o Benfica está em terceiro, com 41 pontos, e pode ver o líder FC Porto, com 47, e o Sporting, segundo com 44, aumentarem a sua vantagem, pois apenas entram em campo no domingo, enquanto o Moreirense soma o segundo jogo sem perder e está em 13.º, com 16 pontos.

Depois de uma primeira parte sem golos, o Moreirense adiantou-se no marcador, aos 61 minutos, quando Gilberto, hoje com uma exibição negativa, introduziu a bola na própria baliza. Darwin, aos 65, fez a igualdade que acabaria por ser o resultado final.

Um resultado que poderá prejudicar gravemente as ligeiras aspirações do Benfica, que poderá ver o líder FC Porto ficar com nove pontos de vantagem, caso vença este domingo o Belenenses SAD.

Com o regresso de Vlachodimos à baliza e de Darwin no ataque, a grande novidade apresentada pelo Benfica foi a estreia de Paulo Bernardo no onze inicial, como médio direito, lugar habitualmente de Rafa, que esta noite passou para o lado oposto fruto da ausência de Everton, infetado com o novo coronavírus.

Os ‘encarnados’ até entraram mais fortes no jogo, a dominar a posse bola, mas mostraram pouca clarividência na chegada à zona de finalização. Aliás, o primeiro e único remate de perigo do Benfica na primeira parte foi aos 20 minutos, quando Rafa levou a bola a bater na trave da baliza defendida por Kewin Silva.

O Moreirense, embora tenha sentido dificuldades para reter a posse de bola, a verdade é que quando o conseguiu mostrou qualidade para sair em ataque rápido e em contra-ataque. Deixando claro que esta poderia ser a forma para surpreender a linha defensiva do Benfica, depois das iniciativas de Walterson Silva, aos 23 minutos, e de Rafael Martins, aos 38, que acabaram nas mãos de Vlachodimos.

A igualdade ao intervalo espelhava bem a falta de eficácia dos ‘encarnados’, que viram as tentativas de Seferovic, aos 34 minutos, João Mário, aos 36, e Morato, aos 42, saírem ao lado da baliza dos forasteiros.

Na segunda parte, a toada manteve-se e os erros também. Os ‘encarnados’ teimavam em jogar pelo corredor central, afunilando o jogo, em vez de aproveitar as capacidades de Grimaldo, na esquerda.

Na direita, Gilberto parecia ter o ‘toque de midas’. Quando tocava na bola ‘estragava’. E estragou tanto que foi dele o golo, aos 61 minutos, que colocou o Moreirense a vencer.

Após um cruzamento para o segundo poste, Gilberto cortou de maneira deficiente, Otamendi tentou afastar a bola, mas aliviou contra o lateral brasileiro e esta entrou na baliza do Benfica.

Lá diz o ditado que ‘quem com ferros mata, com ferros morre’. Aos 65 minutos, a defesa do Moreirense tentou aliviar a bola, esta foi ter com Darwin e o uruguaio, a dois tempos, fez a igualdade.

Com isto, o encontro ganhou nova cor, com oportunidades de parte a parte, com destaque para o remate de André Luís, aos 71 minutos, valendo a defesa de Vlachodimos sem grandes dificuldades.

Depois de já ter feito entrar Diogo Gonçalves para o lugar de Seferovic, Nélson Veríssimo colocou em campo Valentino Lázaro e Yaremchuck, que renderam Gilberto (vaiado pelos adeptos por sair a passo) e Paulo Bernardo, aos 73 minutos, coincidindo com o melhor período do Benfica.

Ao perceber que os ‘encarnados’ estavam muito subidos no terreno, Ricardo Sá Pinto, consciente que o Moreirense estava a defender bem, refrescou a frente de ataque. Colocou em campo Felipe Pires, André Luís e Derik Lacerda, procurando impedir que o Benfica se lançasse no ataque.

Satisfeito com o empate, o Moreirense ia aproveitando para ‘queimar tempo’ nas reposições de bola em jogo, para desespero do Benfica, que ainda viu Otamendi, de cabeça, falhar a última tentativa de golo, aos 90+6.

Ficha de jogo

Jogo no Estádio da Luz, em Lisboa.

Benfica – Moreirense, 1-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

0-1, Gilberto, 61 minutos (na própria baliza).

1-1, Darwin, 65 minutos.

Equipas:

– Benfica: Vlachodimos, Gilberto (Valentino Lázaro, 73), Otamendi, Morato, Grimaldo, Rafa (Pizzi, 82), Weigl, João Mário (Gonçalo Ramos, 82), Paulo Bernardo (Yaremchuk, 73), Darwin e Seferovic (Diogo Gonçalves, 60).

(Suplentes: Hélton, Vertonghen, Meïte, Yaremchuk, Diogo Gonçalves, Pizzi, Valentino Lázaro, André Almeida e Gonçalo Ramos.

Treinador: Nélson Veríssimo.

– Moreirense: Kewin Silva, Artur Jorge, Steven Vitória, Pablo, Paulinho (Franco, 84), Fábio Pacheco (Matheus Silva, 84), Ibrahima, Pedro Amador, Yan Matheus (Pires, 77), Walterson (Derik, 70) e Rafael Martins (André Luís, 70).

(Suplentes: Pasinato, Rodrigo Conceição, André Luís, Pires, Matheus Silva, Jambor, Derik, Galego e Franco.

Treinador: Ricardo Sá Pinto.

Árbitro: Rui Costa (AF Porto).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Fábio Pacheco (40), Rafael Martins (45+1), Rafa (55), Paulinho (72), Otamendi (86), Artur Jorge (89), Kewin Silva (90+6) e Grimaldo (90+6)

Assistência: cerca de 40.000 espetadores.

Populares