Moreirense bate Portimonense e sobe ao sexto lugar da I Liga

O Moreirense voltou hoje às vitórias na I Liga de futebol, ao vencer 2-0 no reduto do Portimonense, num jogo da 31.ª jornada em que se mostrou mais eficaz e ‘castigou’ os ‘aflitos’ algarvios.

Os golos de Maracás, aos 76 minutos, e João Camacho, num ‘chapéu’ de belo efeito, aos 90+4, selaram a vitória dos eficazes ‘cónegos’, que à entrada para esta ronda somavam quatro jogos sem vencer, penalizando em demasia os anfitriões, que ouviram uma forte assobiadela após o apito final.

O Moreirense subiu ao sexto lugar, com 46 pontos, enquanto o Portimonense, que não ganha em casa desde 12 de janeiro (1-0 ao Farense), ocupa a 16.ª posição, de acesso ao play-off de manutenção, com 28.

No Portimonense, Paulo Sérgio operou duas alterações em relação à equipa que empatou (2-2) em Famalicão, lançando Igor Formiga e Luan Campos, enquanto Marcelo, Castro, Matheus Aiás e Luís Asué foram as quatro novidades do técnico Rui Borges nas escolhas iniciais do Moreirense, face à derrota (0-1) com o Gil Vicente.

As duas equipas entraram em campo com disposição ofensiva, dispensando a habitual fase de estudo para proporcionar uns primeiros 10 minutos emotivos, com o perigo a rondar ambas as balizas.

O lateral direito Fabiano foi o primeiro protagonista, aos três minutos, numa incursão ofensiva à esquerda concluída com um remate à barra, num lance em que Luís Asué, na recarga, atirou às malhas laterais.

O Portimonense respondeu com um ‘tiro’ de Carlinhos, para defesa apertada de Caio Secco, aos seis minutos, e os ‘cónegos’ voltaram a estar perto do golo numa tentativa de Castro travada pelo guardião Nakamura, um minuto depois.

Com o tempo a passar, a componente estratégica começou a levar a melhor sobre os instintos ofensivos, contribuindo para um jogo demasiado ‘mastigado’ a meio-campo, escasseando os momentos de perigo até ao intervalo.

Depois de dois golos anulados com ‘selo’ do videoárbitro, um para cada equipa e ambos por fora-de-jogo, o isolado Tamble Monteiro teve nos pés a melhor oportunidade da primeira parte para os algarvios, atirando ao lado na ‘cara’ de Caio Secco, aos 32 minutos, enquanto Marcelo atirou contra Lucas Ventura na sequência de um lance de bola parada, aos 34.

A segunda parte arrancou praticamente com mais um lance de perigo desperdiçado pelos algarvios – Hélio Varela rematou às malhas laterais –, dando o mote para um período de ascendente da formação da casa.

De fora da área, Igor Formiga, aos 54 minutos, e Carlinhos, aos 65, testaram os reflexos de Caio Secco, que defendeu os dois remates para canto, enquanto Alemão cabeceou para golo, aos 66, anulado após a terceira intervenção do género pelo VAR, que também chamou o árbitro para avaliar uma possível grande penalidade sobre Luan Campos (58), com Cláudio Pereira a manter a decisão inicial de simulação.

Com o Moreirense a ‘sacudir’ a superioridade algarvia, Matheus Aiás ameaçou, aos 67 minutos, o que Maracás acabou por conseguir, aos 76, assinando o seu terceiro golo na I Liga num cabeceamento, após canto e toque inicial ao primeiro poste do outro central, Marcelo.

O treinador do Portimonense ainda trocou quatro jogadores de uma vez para os últimos 10 minutos, mas as alterações não trouxeram frutos, perante um Moreirense que ‘matou’ o jogo no quarto minuto de descontos, por João Camacho, que aproveitou a saída incompleta de Nakamura e conseguiu fazer o ‘chapéu’.

Resumo

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Municipal de Portimão.

Portimonense – Moreirense, 0-2.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores

0-1, Maracás, 76 minutos.

0-2, João Camacho, 90+4.

Equipas

– Portimonense: Nakamura, Igor Formiga (Guga, 81), Pedrão, Alemão, Filipe Relvas (Hildeberto Pereira, 81), Lucas Ventura, Carlinhos, Taichi Fukui (Gonçalo Costa, 81), Luan Campos (Midana Cassamá, 81), Hélio Varela (Ronie Carrillo, 88) e Tamble Monteiro.

(Suplentes: Vinicius Silvestre, Hildeberto Pereira, Dener, Seck, Gonçalo Costa, Ronie Carillo, Paulo Estrela, Guga e Midana Cassamá).

Treinador: Paulo Sérgio.

– Moreirense: Caio Secco, Fabiano Souza, Marcelo, Maracás, Frimpong, Castro (Rúben Ismael, 70), Lawrence Ofori (Gonçalo Franco, 70), Luís Asué (Antonisse, 74), Alanzinho (Dinis Pinto, 90+5), João Camacho (Vinicius Mingotti, 90+5) e Matheus Aiás.

(Suplentes: Mika, Rúben Ismael, Pedro Aparício, Antonisse, Pedro Amador, Vinicius Mingotti, Gilberto Batista, Dinis Pinto e Gonçalo Franco).

Treinador: Rui Borges.

Árbitro: Cláudio Pereira (AF Aveiro).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Paulo Estrela (51), Luan Campos (58), Gonçalo Costa (90+1), Fabiano Souza (90+1), João Camacho (90+1) e Rúben Ismael (90+3).

Assistência: 1.810 espetadores.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Esposende: Vem aí uma ponte pedonal e ciclável sobre o rio Cávado

Próximo Artigo

Bugalho diz que não vê Europa “como ambição pessoal” ou “destino de carreira”

Artigos Relacionados
x