Seguir o O MINHO

Braga

Moradores preocupados com assaltos em Braga

Em Nogueira

em

Palmira Macedo, residente em Nogueira. Foto: O MINHO

Uma vaga de assaltos está a assolar a freguesia de Nogueira, em Braga, revelaram moradores a O MINHO,  no sábado, dia em que o casal proprietário de um minimercado, naquela localidade, foi vítima de um roubo frustrado com uma faca de grande dimensão.

Palmira Macedo, residente em Nogueira, disse a O MINHO que não se recorda de tanta ‘ladroagem’: “Vivi sempre aqui e com 55 anos de idade, não me recordo nunca de tantos assaltos, em tão pouco tempo, eles até há dias chegaram a encostar um escadote a uma vizinha aqui ao lado, eram duas horas da madrugada, com as pessoas lá dentro, pelo que andamos sempre com medo dos assaltos”.

“Aquilo que tememos é quando regressarmos das compras darmos com os assaltantes já dentro da nossa casa, porque eles têm vindo a atacar principalmente aqui as pessoas mais idosas, aquelas que não se pode defender”, salientou.

PSP em Nogueira. Foto: O MINHO

A maior preocupação dos moradores são os roubos dentro das residências com gente lá dentro, havendo iminência de confrontos físicos, como a situação noticiada recentemente por O MINHO, na Rua do Pinheiro, em que um homem subiu até ao primeiro andar de um edifício habitacional, surpreendendo mãe e filha num apartamento, e fugiu com a carteira de uma mulheres, contendo cerca de 150 euros.

Outro furto foi praticado no Café Lagrifa, igualmente na Rua do Pinheiro, na chamada zona de Nogueira de Baixo, durante a madrugada, quando se encontrava fechado. Foi também em Nogueira, mas já há alguns meses, onde uma funcionária da BP, que por ter tentado evitar o assalto, foi sucessivamente agredida pelos ladrões, ficando muito ferida.

PSP em Nogueira. Foto: O MINHO

A PSP, através da Esquadra de Investigação Criminal e de outras estruturas operacionais, tem vindo a deter os autores de assaltos na cidade de Braga. A maioria dos quais já em prisão preventiva, devido aos fortes indícios recolhidos e meios de prova consolidados pelos investigadores do Comando Distrital de Braga, com equipas permanentes de prevenção e reação, 24 horas por dia e sete dias por semana.

Populares