Seguir o O MINHO

País

Ministério da Defesa lança portal para ajudar a recrutar jovens para forças armadas

Portal de recrutamento

em

Foto: O MINHO / Arquivo

O Governo apresentou hoje o portal do recrutamento, que o ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, considerou uma “ferramenta urgente” que pode ajudar a recrutar jovens para as forças armadas.

“É uma ferramenta inserida num plano muito mais amplo que tem por objetivo facilitar o recrutamento e o conhecimento” por quem quer fazer carreira nas forças armadas, afirmou o ministro Gomes Cravinho, na apresentação do portal do recrutamento, no Ministério da Defesa Nacional, em Lisboa.

Face aos últimos números de recrutamento, Gomes Cravinho afirmar esperar que se confirme, em 2019, a quebra da tendência registada desde 2012 para menos pessoas se candidatarem à carreira militar, dado que em 2018 verificou-se um ligeiro aumento.

“Em 2018, registou-se uma interrupção nessa degradação que se verificou de ano para ano desde 2012”, afirmou o ministro, frisando a sua expectativa de nos próximos dois anos haver “uma estabilização ou melhoria dos números”.

A expectativa do governante é que o Governo e as forças armadas saberão, “com esta e outras medidas, responder ao desafio de recrutar mais e reter” os militares, afirmou, referindo-se ao plano de ação para a profissionalização, relativizando a polémica em torno dos alertas do Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, António Silva Ribeiro, sobre as dificuldades de recrutamento.

“Queremos oferecer uma carreira militar mais sólida e estruturada aos jovens que ingressam nas fileiras das forças armadas e estamos seguros de estarmos a identificar metas concretas e realistas que permitam valorizar a carreira militar e torná-la atrativa”, afirmou, no discurso que fez para apresentar o portal do recrutamento.

O objetivo é, também, dar “uma ferramenta de comunicação mais eficaz no apoio ao recrutamento”, que seja “direcionada para os jovens”.

Anúncio

País

Euromilhões saiu em Portugal. Desta vez foi em Faro

Sorte grande

em

Foto: O MINHO

O 1.º prémio do Euromilhões, no valor de mais de 66 milhões de euros, saiu em Portugal.

De acordo com o Departamento de Jogos da Santa Casa, o boletim vencedor foi registado no distrito de Faro, região do Algarve.

É esta a chave do sorteio do Euromilhões desta sexta-feira, 28 de fevereiro: 8, 11, 20, 22 e 23 (números) e 3 e 4 (estrelas).

Continuar a ler

País

Os números do Euromilhões

Sorte

em

Foto: O MINHO

É esta a chave do sorteio do Euromilhões desta sexta-feira, 28 de fevereiro: 8, 11, 20, 22 e 23 (números) e 3 e 4 (estrelas).

Em jogo para o primeiro prémio está um valor de 66 milhões de euros.

Continuar a ler

País

Preços dos combustíveis rodoviários aumentaram entre 3% e 7% em janeiro

Combustíveis

em

Foto: Ilustrativa / DR

Os preços dos combustíveis em Portugal sofreram um agravamento médio em janeiro entre 3% e 7%, face a dezembro de 2019, segundo um boletim acerca deste mercado publicado pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

No documento, o regulador explicou que “os preços médios de venda ao público dos combustíveis em Portugal sofreram um agravamento, sobretudo por via dos esperados aumentos de incorporação de biocombustíveis e da taxa de carbono”.

Assim, de acordo com a informação no boletim, “o ano de 2019 encerrou com o preço da gasolina simples 95 a manter-se estável em 1,524 euros/litro. No início do ano 2020, o preço médio de venda ao público (PVP) aumentou cerca de 3%”, para 1,569 euros/litro.

Já no caso do gasóleo simples, 2019 encerrou “em tendência crescente”, registando uma subida de 1% entre novembro e dezembro, para 1,408 euros/litro.

“No início do ano 2020, o preço médio de venda ao público aumentou de forma mais acelerada em cerca de 3,4%”, atingindo os 1,456 euros/litro, de acordo com a ERSE.

A maior subida foi no GPL (Gás de Petróleo Liquefeito) Auto, sendo que 2019 encerrou “com uma tendência crescente, acompanhando a evolução do preço do propano e butano nos mercados internacionais”.

No início do ano 2020, “o preço médio de venda ao público aumentou de forma mais acelerada em cerca de 7%”, atingindo os 0,728 euros/litro, face aos 0,681 euros/litro de dezembro.

Em todos estes combustíveis, os hipermercados é que registaram os preços mais competitivos, de acordo com a ERSE.

O regulador analisou ainda a variação de preços geográfica a nível nacional e concluiu que, “em janeiro, a diferença de valor entre o preço médio nacional e o preço médio nos distritos portugueses para a gasolina simples 95 e gasóleo simples é mais elevada nos distritos do litoral, à exceção de Aveiro, Braga e Coimbra”.

De acordo com a ERSE, “Beja e Bragança são os distritos onde os combustíveis rodoviários se verificaram mais caros face ao preço médio nacional”.

Já Aveiro, Braga, Santarém e Castelo Branco “são os distritos com gasolinas e gasóleos mais baratos. Em mais de metade dos distritos, a diferença de preços médios por litro de combustível não ultrapassa os cinco cêntimos”, adiantou a ERSE.

No caso do GPL engarrafado, no mês passado, “a diferença de valor entre o preço médio nacional e o preço médio nos distritos, principalmente a sul de Portugal, é mais pronunciada, sendo o gás engarrafado mais caro, sobretudo nos distritos de Faro e Beja”.

Por sua vez, “os distritos mais a norte do país, como Viana do Castelo, Vila Real e Bragança apresentam os preços de GPL engarrafados mais baratos”, sendo que os distritos interior mais próximos de Espanha também registaram preços mais baixos, segundo a ERSE.

Continuar a ler

Populares