Seguir o O MINHO

Região

Minho em alerta vermelho devido à agitação marítima. Ondas podem chegar aos 15 metros

Distritos de Viana e Braga

em

Foto: Ilustrativa / Arquivo

Viana do Castelo e Braga, no Minho, e outros quatro distritos do país vão estar sob aviso vermelho a partir das 12:00 de quinta-feira e até à madrugada de sexta-feira devido à previsão de agitação marítima forte, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).


De acordo com o IPMA, para além dos dois distritos da região do Minho, Porto, Leiria, Aveiro e Coimbra vão estar sob aviso vermelho, prevendo-se ondas de noroeste com sete a oito metros, podendo atingir 15 metros de altura máxima.

A partir das 06:00 de quinta-feira estes seis distritos já estarão sob aviso laranja, devido à previsão de ondas de noroeste com cinco a sete metros, podendo atingir 14 metros de altura máxima.

O distrito de Lisboa estará sob aviso laranja a partir das 06:00 de quinta-feira, até às 12:00 de quinta-feira, também devido à agitação marítima, com ondas de noroeste com cinco a sete metros, podendo atingir 14 metros de altura máxima.

Os distritos de Faro, Setúbal e Beja estarão igualmente sob aviso laranja, prevendo-se ondas entre os cinco e os seis metros, podendo atingir 12 metros de altura máxima.

Na quarta-feira de manhã, o IPMA já tinha alertado para uma descida acentuada das temperaturas máximas a partir de quinta-feira, devido a uma massa de ar muito frio, ar polar, proveniente da Irlanda.

Em declarações à Lusa, a meteorologista do IPMA Ângela Lourenço adiantou que se prevê uma descida de oito graus Celsius das temperaturas máximas.

“Estes valores baixos vão manter-se sexta-feira e sábado, e no domingo espera-se uma subida da temperatura”, disse, acrescentando que, na quinta-feira, “a descida da temperatura não será só acentuada, mas também acompanhada de vento forte”.

Segundo a especialista, está prevista uma descida da ordem dos oito graus nas temperaturas máximas e dois a quatro graus nas mínimas.

“Estamos a falar de máximas da ordem dos 13 a 16 graus no litoral e cinco a sete graus no interior. O valor mais baixo será na Serra da Estrela e em Bragança”, referiu.

O IPMA emitiu também avisos amarelos por causa do vento que irá “atingir principalmente as terras altas do litoral norte e centro com rajadas de 80 a 110 quilómetros por hora na região da Serra da Estrela” e “aviso amarelo de queda de neve nas terras do interior norte e centro, em cotas acima dos mil metros”, acrescentou.

A neve, segundo o IPMA, deverá cair nas serras do Gerês, Montemuro, Montesinho, Marão e Estrela.

Barras fechadas e condicionadas

Sete barras marítimas estão hoje fechadas à navegação por causa do estado do mar e outras tantas estão condicionadas, segundo a Autoridade Marítima Nacional (AMN).

Em causa estão as barras de Aveiro, Caminha, Esposende, Vila Praia de âncora, Póvoa do Varzim, Vila do Conde e da Ericeira.

De acordo com a AMN, cinco barras do continente (Viana do Castelo, Douro, Figueira da Foz, S. Martinho do Porto e Lagos) e duas na ilha das Flores, grupo ocidental dos Açores, (barra de Santa Cruz das Flores e Lage das Flores) estão hoje condicionadas.

Anúncio

Braga

Braga quer “utilidade pública” para terreno do futuro quartel dos Bombeiros

Obras públicas

em

Foto: DR / Arquivo

O Município de Braga vota, segunda-feira, em reunião do Executivo, uma   proposta de reconhecimento do interesse público da construção do novo   quartel dos Bombeiros Voluntários num terreno em Cachada, São Paio de Arcos.

A iniciativa, que partiu do vereador Miguel Bandeira, terá, depois, de ser aprovada pela Assembleia Municipal. Visa, diz o documento a debater, criar condições para que a sua função – a de uso do solo – seja alterada no PDM-Plano Diretor Municipal onde consta, desde 1994 como terreno rural, integrando a RAN (Reserva Agrícola Nacional), a REN (reserva ecológica nacional) e a APA (Agência Portuguesa do Ambiente), neste caso, no que toca ao domínio hídrico.

Embora o PDM de 2015 tenha alterado o uso do solo para zona de equipamento, aquelas três condicionantes obrigam a que a mudança tenha de ser ratificada pela Secretaria de Estado do Ordenamento do Território.

Conforme O MINHO já revelou, o Município vai aumentar, em 2020, o subsídio anual atribuído aos Bombeiros Voluntários, de 15 para 20 mil euros e, em 2022, esse valor duplicará, chegando aos 30 mil euros.

Recorde-se que, o edifício do atual quartel será transformado em hotel.

Na reunião de vereadores estão, ainda, em análise, os relatórios anuais de contas das empresas municipais; a proposta de Investimento Social no âmbito do Programa de Parcerias para o Impacto aprovadas pelo ‘Portugal Inovação Social’; a transferência da gestão do gnration para o Theatro Circo, o protocolo de colaboração entre o Município e a Associação Florestal do Cávado; contratos inter-administrativos de delegação de competências com várias freguesias e propostas de apoios financeiros.

Continuar a ler

Aqui Perto

Nuvem ‘Arcus’ abrilhantou o pôr do sol na Póvoa de Varzim

Meteorologia

em

Foto: FAMATV

Uma nuvem ‘Arcus’ foi registada por vários cidadãos ao início da noite deste sábado, na Póvoa de Varzim.

Este fenómeno é geralmente associado a uma nuvem baixa e horizontal que aparece como “frente de rajada” à saída de uma tempestade, segundo a Wikipédia.

Foto: Vasco Linhares

“Algumas das formações arcus mais dramáticas marcam as frentes de raios dos sistemas convectivos que produzem direito. As nuvens de rolo também podem surgir na ausência de tempestades, formando ao longo das curvas de ar frio superficial de alguns limites da brisa do mar e frentes frias”, refere a mesma fonte.

Foto: Jukka Ferraz

Recorde-se que este sábado, apesar das temperaturas acima dos 30 graus, há uma elevada carga de trovoada um pouco por todo o país, formando nuvens características de tempestade.

Continuar a ler

Guimarães

Câmara de Guimarães entrega habitação social partilhada

Solidariedade

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Coordenação de Âmbito Social e Financeiro das Habitações do Município de Guimarães (CASFIG) procedeu à entrega de uma habitação social partilhada, iniciativa que beneficia famílias unipessoais, refere um comunicado camarário divulgado hoje.

Em causa está uma residência partilhada, um projeto que segue o modelo de distribuição espacial permitindo a ocupação individual da habitação, de modo totalmente independente, com quarto, casa de banho e cozinha.

“Reconhecendo a importância desta modalidade alternativa ao alojamento convencional, a CASFIG tem vindo ao longo dos anos a aperfeiçoar o seu modelo de implementação e funcionamento, procurando sempre melhorar a sua funcionalidade e garantir maior privacidade individual a cada residente. Nesta linha de atuação foi criada mais uma residência partilhada, com um modelo inovador que permite conferir ainda mais privacidade aos seus residentes, bem como um melhor funcionamento das dinâmicas de convivência diária”, descreve a Câmara de Guimarães.

Até hoje foram entregues 12 residências masculinas partilhadas e seis residências femininas partilhadas, que resulta no apoio total a 45 famílias unipessoais.

Continuar a ler

Populares