Mata ex-companheira em Arcos de Valdevez e bebe duas minis enquanto espera pelas autoridades

Lucília foi estrangulada até à morte
Foto: DR

O homem que estrangulou a ex-companheira até à morte em Arcos de Valdevez, em março passado, foi acusado pelo Ministério Público (MP) dos crimes de homicídio qualificado e posse de arma proibida.

Segundo a acusação, citada pelo Correio da Manhã (CM), depois de matar Lucília Brandão, de 53 anos, Leandro Cassimiro ligou ao 112 a confessar o crime e, enquanto aguardava a chegada das autoridades, entrou na casa da vítima e bebeu duas cervejas mini.

Não aceitando o fim da relação de mais de 10 anos com a vítima e sabendo que esta tinha um novo namorado, o homem, conhecido por “Brasileiro”, decidiu-matá-la.

Depois de ter ouvido que o novo namorado da sua ‘ex’ estava na freguesia de Jolda (Madalena), onde ocorreu o crime, quis surpreendê-lo com a ex, e saiu de casa com duas facas. Como não encontrou o homem, atacou Lucília, em casa desta, com um golpe mata-leão, quando estendia a roupa e apontou-lhe uma faca.

A mulher resistiu e esfaqueou o agressor, mas o homem estrangulou-a até à morte.

Como O MINHO noticiou na altura, Leandro Cassemiro, de 38 anos, operário madeireiro numa empresa em Lavradas, Ponte da Barca, relativamente próxima do local do crime, pediu dispensa de trabalhar na tarde de sexta-feira, alegando ter que ir à Segurança Social, em Arcos de Valdevez, para tratar de assuntos particulares.

Mas, na realidade, dirigiu-se à casa da antiga companheira, Lucília Brandão, munido com duas facas, ambas de grandes dimensões para assassinar a vítima.

Lucília Brandão, de 55 anos, deixou três filhos, todos homens adultos.

O homicida encontra-se em prisão preventiva.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Relatório da ONU documenta pelo menos 441 crimes de guerra russos na Ucrânia

Próximo Artigo

João Costa com novo recorde pessoal nos Mundiais de piscina curta

Artigos Relacionados
x