Seguir o O MINHO

Desporto

“Maldição” do nevoeiro ataca em Viana e adia título mundial júnior

Organização do evento está a cargo do Surf Clube de Viana.

em

Foto: Divulgação

O nevoeiro atacou este domingo na Praia da Arda e impediu a realização daquele que seria o último dia do Viana World Bodyboard Championships, evento que atribui o título mundial de juniores da Association of Professional Bodyboarders (APB), obrigando a organização, a cargo do Surf Clube de Viana, a adiar a conclusão do campeonato para segunda-feira.

De facto, tudo estava preparado para arrancar às 8:30 mas só depois das 15:00 se reuniram as condições de visibilidade necessárias. Ainda se conseguiram realizar as duas meias finais, que apuraram para a bateria do título o espanhol Armid Soliveres e o brasileiro Luan Tavares (que derrotaram, respetivamente, o francês Noah Capdeville e o espanhol Javier Zerpa Domingues), mas foi uma aberta demasiado curta: a final ainda entrou na água mas, a 18 minutos do fim, o nevoeiro fechou completamente.

Refira-se que, à altura da interrupção forçada, o espanhol Armid Soliveres liderava a bateria com 15.65 contra 8.75 de Luan Tavares.

“O nevoeiro impediu-nos de fazer a final de juniores, pelo que decidimos tomar uma medida inédita no circuito mundial e prolongar a competição um dia além do inicialmente previsto. É um esforço enorme que se pede à organização, aos atletas e ao ‘staff’, mas que é necessário pois está em causa a decisão de um título mundial”, explicou João Zamith, presidente do Surf Clube de Viana, a entidade organizadora do Viana World Bodyboard Championships.

Refira-se que um caso destes, em que o nevoeiro impediu a realização de uma prova, apesar de muito invulgar, teve precedente no início do mês, quando outra etapa do Mundial APB, o Sintra Portugal Pro, foi efetivamente interrompida antes das finais, no caso, open masculina e feminina, optando-se pela divisão regulamentar dos pontos e prémios monetários em disputa.

Esta segunda-feira, o Viana World Bodyboard Championships deverá arrancar às 8:30, imediatamente com os 18 minutos em falta que atribuirão o título mundial júnior.

Anúncio

Desporto

João Sousa termina 2019 no ‘top 60’ do ténis mundial

Tenista de Guimarães

em

Foto: Facebook de João Sousa (Arquivo)

João Sousa terminou o ano em 60.º do ‘ranking’ mundial de ténis, que tem, no topo, o espanhol Rafael Nadal, apesar da eliminação na fase de grupos das ATP Finals.

O tenista vimaranense, melhor português de sempre, subiu uma posição e segue bastante distanciado de Pedro Sousa (146.º), Frederico Silva (191.º, com uma queda de 17 lugares) ou João Domingues (192.º).

Ainda mais distantes estão Gonçalo Oliveira (269.º), Gastão Elias (378.º) ou Frederico Gil (462.º).

João Sousa assume perante o Presidente da República que quer ser ‘top-20’ mundial

Em número 1, Nadal termina a época com 9.985 pontos, mais 840 do que o sérvio Novak Djokovic, eliminado igualmente em Londres, enquanto Roger Federer encerra o ano em terceiro lugar, a mais de três mil pontos da frente.

Numa classificação em que o ‘top10’ apenas registou a troca entre Dominic Thiem, finalista vencido em Londres, que termina em quarto, e o russo Daniil Medvedev, que é quinto, à frente do grego Stefano Tsitsipas, vencedor das ATP Finals.

Em femininos, o ‘ranking’ fechou há duas semanas, após as WTA Finals, com a vencedora, a australiana Asleigh Barty, a terminar em primeiro, à frente da checa Karolina Pliskova e da japonesa Naomi Osaka.

Continuar a ler

Futebol

Flamengo, de Jesus, a dois pontos do sexto título de campeão brasileiro

Treinador português, ex-SC Braga

em

Foto: Twitter

O Flamengo, orientado pelo português Jorge Jesus, colocou-se, no domingo, a escassos dois pontos do seu sexto título de campeão brasileiro de futebol, com quatro jogos por disputar, ao vencer por 1-0 no reduto do Grêmio.

Em encontro da 33.ª ronda, o técnico luso, que orientou o SC Braga em 2008/2009, apenas utilizou de início três potenciais titulares (Diego Alves, De Arrascaeta e Gabriel Barbosa) na final de sábado da Taça Libertadores, face ao River Plate, mas, ainda assim, somou mais um triunfo.

O ex-benfiquista Gabriel Barbosa foi o ‘herói’ do ‘Fla’, ao marcar o golo do triunfo, aos 37 minutos, de penálti, num embate em que também de destacou pela negativa, ao ver dois amarelos, aos 74, para ainda sair a ‘gozar’ com os adeptos do Grêmio.

A formação do Rio de Janeiro beneficiou ainda do empate cedido pelo Palmeiras no reduto do Bahia (1-1), onde os locais se adiantaram, aos 45+2 minutos, por Arthur, e os forasteiros empataram aos 71, pelo colombiano Miguel Borja.

Na classificação, o Flamengo, que já disputou 34 jogos, passou a contar 81 pontos, mais 13 do que o Palmeiras, que recebe no domingo o Grêmio e pode ‘entregar’ o título ao conjunto de Jorge Jesus, bastando para isso que não triunfe.

O conjunto de Jorge Jesus somou o 25.º jogo consecutivo sem perder em todas as provas (20 vitórias e cinco empates), incluindo 21 (18 triunfos e três igualdades) no ‘Brasileirão’, depois do 0-3 no reduto do Bahia, em 04 de agosto.

Caso consiga o título brasileiro e a Taça Libertadores, o Flamengo consegue um feito único na sua história, já que só foi campeão brasileiro em 1980, 1982, 1983, 1992 e 2009 e vencedor da principal prova sul-americana em 1981, há 38 anos.

Continuar a ler

Futebol

Julgamento do ataque à academia de futebol do Sporting começa hoje

Ex-presidente do clube é um dos arguidos

em

Foto: DR / Arquivo

O julgamento do processo do ataque à academia de futebol do Sporting, em Alcochete, começa hoje no Tribunal de Monsanto, em Lisboa, com 44 arguidos, entre os quais o ex-presidente Bruno de Carvalho.

O processo pertence ao Tribunal de Almada, mas por “questões de logística e de segurança” realiza-se em Monsanto, em Lisboa, explicou anteriormente à agência Lusa fonte judicial, e terá como presidente do coletivo de juízes Sílvia Pires.

Em 01 de agosto, o juiz de instrução criminal Carlos Delca pronunciou (decidiu levar a julgamento) todos os arguidos nos exatos termos da acusação do Ministério Público (MP), deduzida pela procuradora Cândida Vilar, depois de vários arguidos requererem abertura de instrução, fase facultativa que visa decidir se o processo segue e em que moldes para julgamento.

Na decisão instrutória, este juiz determinou que todos os arguidos que se mantinham em prisão preventiva passassem para prisão domiciliária (OPHVE), exceto o líder da claque Juventude Leonina, ‘Mustafá’, que continua em prisão preventiva.

Com Obrigação de Permanência na Habitação, com Vigilância Eletrónica (OPHVE), permanecem 36 dos 44 arguidos, depois de Elton Camará ter cortado a pulseira eletrónica, o que levou um juiz a ordenar a prisão preventiva deste arguido.

Bruno de Carvalho, que até esse dia estava sujeito à medida de coação de apresentações diárias às autoridades e ao pagamento de uma caução de 70.000 euros, passou a estar obrigado a apresentar-se quinzenalmente.

A acusação do Ministério Público (MP), assinada pela procuradora Cândida Vilar, conta que, em 15 de maio de 2018, a equipa de futebol do Sporting foi atacada na academia do clube, em Alcochete, distrito de Setúbal, por elementos do grupo organizado de adeptos da claque Juventude Leonina e do subgrupo Casuais (Casuals), que agrediram técnicos, jogadores e ‘staff’.

Bruno de Carvalho, Mustafá e Bruno Jacinto, ex-oficial de ligação aos adeptos, estão acusados, como autores morais, de 40 crimes de ameaça agravada, de 19 crimes de ofensa à integridade física qualificada e de 38 crimes de sequestro, todos estes (97 crimes) classificados como terrorismo.

Os três arguidos respondem ainda por um crime de detenção de arma proibida agravado e Mustafá também por um crime de tráfico de estupefacientes.

Aos arguidos que participaram diretamente no ataque à academia, o MP imputa-lhes a coautoria de 40 crimes de ameaça agravada, de 19 crimes de ofensa à integridade física qualificada e de 38 crimes de sequestro, todos estes (97 crimes) classificados como terrorismo.

Estes 41 arguidos vão responder ainda por dois crimes de dano com violência, por um crime de detenção de arma proibida agravado e por um crime de introdução em lugar vedado ao público.

Para a procuradora Cândida Vilar, que viu a acusação do MP confirmada pelo juiz de instrução criminal Carlos Delca, o então presidente do clube, Bruno de Carvalho, Mustafá e Bruno Jacinto estavam a par do plano e “nada fizeram” para impedir o ataque.

“Bruno Jacinto, Bruno de Carvalho e Nuno Mendes [Mustafá] conheciam o plano delineado pelos restantes primeiros 41 arguidos e determinaram-nos à prática dos crimes de ameaça, ofensa à integridade física e sequestro”, lê-se na acusação.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares