Seguir o O MINHO

Futebol

Resultados: Quatro clubes minhotos avançam na Taça de Portugal

Segunda eliminatória decorreu este fim de semana.

em

Fafe avançou na prova. Foto: Divulgação

A segunda eliminatória da Taça de Portugal decorreu este fim de semana. Valenciano, Maria da Fonte, Limianos e Fafe avançaram na prova, enquanto Gil Vicente, Merelinense, GD Joane, Famalicão e Caçadores das Taipas foram afastados.

Veja os resultados

Gil Vicente-Chaves Satélite, 0-1
Merelinense-U. Madeira, 0-3
FC Felgueiras-GD Joane, 2-0
Praia Milfontes-Valenciano, 2-5
CD Torres Novas-Maria da Fonte, 0-4
Limianos-Mafra, 2-1
Águeda-FC Famalicão, 1-0
Caçadores das Taipas-Arouca, 0-1
Fafe-Sp. Ideal, 1-0

Anúncio

Futebol

Santa Clara já chegou a Lisboa, para jogar com o SC Braga, depois de dois adiamentos

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O Santa Clara já chegou a Lisboa, onde irá disputar o resto da I Liga de futebol, depois do voo, inicialmente marcado para sexta-feira, ter sido adiado por duas vezes, confirmou à Lusa fonte do clube.

Os açorianos aterraram por volta das 13:00 no aeroporto Humberto Delgado e já estão instalados na unidade hoteleira que os irá hospedar até ao fim do campeonato.

O dia de hoje da equipa insular será marcado pela realização de testes de despiste à covid-19 e pela realização de treino de ginásio.

O voo do Santa Clara para o continente estava inicialmente marcado para o meio da tarde de sexta-feira, tendo sido adiado para as 23:45 (hora local) e depois para as 10:00 (hora local) deste sábado.

Segundo o que agência Lusa apurou, a comitiva do Santa Clara chegou a entrar no avião, mas a entrada de um pássaro no motor impediu a descolagem.

O emblema açoriano viajou para Lisboa para disputar os restantes jogos da I Liga de futebol como visitado na Cidade do Futebol, em Oeiras, para evitar possíveis surtos da covid-19.

Por indicação da Direção-Geral da Saúde, o Santa Clara teve de voar num voo fretado, operado pela SATA e que custou cerca de 30 mil euros aos cofres do emblema açoriano.

No retomar do campeonato, os açorianos vão receber o Sporting de Braga no dia 05 de junho, às 18:00 na Cidade do Futebol.

Nas restantes jornadas, os ‘encarnados’ de Ponta Delgada vão enfrentar o Vitória de Setúbal (fora), o Portimonense (casa), o Benfica (fora), o Boavista (fora), o Marítimo (casa), o Sporting (fora), o Aves (casa), Rio Ave (fora), e Vitória de Guimarães (casa).

Uma vez que o último jogo do campeonato frente aos vimaranenses ainda não tem data marcada, o emblema insular ainda não sabe quando irá regressar aos Açores.

A I Liga, na qual o Santa Clara está no 10.º lugar, com 30 pontos, tem o seu retorno previsto para 03 de junho, para se disputar as restantes 10 jornadas.

Após 24 jornadas, o FC Porto lidera a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.

Continuar a ler

Futebol

Estádio do Moreirense é aprovado e fecha lote de estádios para retoma da I Liga

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O Estádio Parque Comendador Joaquim de Almeida Freitas, casa do Moreirense, foi aprovado pela autoridades de saúde para acolher encontros da I Liga portuguesa, anunciaram hoje a Liga de Clubes (LPFP) e a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

“A Autoridade de Saúde do ACES [Agrupamento de Centros de Saúde] do Alto Ave emitiu parecer favorável à utilização do Estádio Parque Comendador Joaquim de Almeida Freitas para os jogos que faltam disputar da Liga NOS da época 2019/20”, lê-se no comunicado dos dois organismos.

Com a aprovação do estádio do Moreirense, fica completa a lista de estádios que vão receber jogos na retoma da I Liga, após a interrupção causada pela pandemia de covid-19.

Assim, além do recinto de Moreira de Cónegos, foram aprovados pela Direção-Geral da Saúde o Estádio da Luz (Benfica), Estádio do Dragão (FC Porto), Estádio José Alvalade (Sporting), Estádio D. Afonso Henriques (Vitória de Guimarães), Estádio João Cardoso (Tondela), Estádio do Marítimo, Estádio Municipal de Braga, Portimão Estádio, Cidade do Futebol (FPF), Estádio Capital do Móvel (Paços de Ferreira), Estádio Cidade de Barcelos (Gil Vicente), Estádio do Bessa (Boavista), Estádio do Rio Ave, Estádio do Desportivo das Aves, o Estádio do Bonfim (Vitória de Setúbal) e o Estádio Municipal de Famalicão.

O Belenenses SAD e o Santa Clara são os únicos clubes que não vão jogar no seu recinto e já anunciaram que vão jogar na Cidade do Futebol, em Oeiras, enquanto o Famalicão chegou a revelar que ia usar o Cidade de Barcelos para os seus encontros caseiros, mas acabou por ver o seu estádio aprovado.

A I Liga vai ser reatada sob fortes restrições e sem público nos estádios em 03 de junho, com o encontro entre Portimonense e Gil Vicente, naquele que vai ser o primeiro dos 90 jogos das últimas 10 jornadas, até 26 de julho.

Após 24 jornadas, o FC Porto lidera a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.

Além do principal escalão, também a final da Taça de Portugal, entre Benfica e FC Porto, integra o plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, ainda em data e local a designar.

Os campeonatos de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso gradual à competição, como Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, depois de a Liga alemã ter sido retomada.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 364 mil mortos e infetou mais de 5,9 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 2,4 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.396 pessoas das 32.203 confirmadas como infetadas, e há 19.186 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Futebol

Falta de unanimidade impede cinco substituições na próxima jornada da I Liga

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

A falta de unanimidade das SAD dos clubes da I Liga portuguesa de futebol impede a entrada em vigor das cinco substituições já na 25.ª jornada, que começa na quarta-feira, anunciou hoje a Liga de clubes.

Em comunicado, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional refere que “a infeliz oposição de uma sociedade desportiva, no decurso das reuniões de hoje”, impede que “esta medida entrasse em vigor já na primeira jornada da retoma”, após a paragem motivada pela covid-19.

Para a LPFP, a posição do Marítimo, “além de desautorizar os departamentos de futebol, abria a porta a impugnações e procedimentos disciplinares que, a todo o custo, o futebol profissional deve evitar”.

O organismo que tutela o futebol profissional recordou que o plano de retoma decorreu “num clima de cooperação construtiva, com os contributos dos consultores de saúde pública da Liga Portugal e em articulação com o Grupo de Trabalho da USP [Unidade de Saúde e Performance] da FPF [Federação Portuguesa de Futebol] e com a DGS [Direção-Geral da Saúde]”, e foi feito “na exclusiva defesa dos interesses das sociedades desportivas”.

“A decisão, do regresso da Liga NOS, foi tomada em benefício dos clubes e dos seus compromissos, mas não pode, em circunstância alguma, comprometer as atuais condições de segurança e saúde ou as determinações do executivo governamental e da Direção-Geral de Saúde dirigidas ao futebol”, lê-se.

Neste processo, ficou “pelo caminho”, segundo a LPFP, “a transposição para os regulamentos internos da deliberação do International Football Association Board (IFAB), hoje divulgada oficialmente pela Federação Portuguesa de Futebol e já adotada para a Taça de Portugal, que, com vantagem, permitiria a utilização de cinco substituições e nove suplentes na Liga NOS”.

“É um claro revés para os interesses dos clubes e – ainda mais importante – para a preservação da condição física dos atletas, que foi bloqueada por uma interpretação excessivamente restritiva dos estatutos e que foi tão mais surpreendente quanto veio ao arrepio da posição unânime dos clubes, consultados os seus departamentos de futebol”, refere.

A LPFP relembra ainda que esta “foi uma proposta que, desde a primeira hora, se anunciou que seria submetida à ratificação da Assembleia Geral da Liga Portugal”.

“Com efeito, na falta da unanimidade dos participantes na competição, poder-se-ia suscitar a questão da utilização irregular de jogadores, que é sancionado com a pena de derrota, subtração de pontos e multa”, assume a LPFP.

O organismo adia, assim, a entrada em vigor desta medida até à Assembleia Geral, marcada para 09 de junho, dia em que começa a 26.ª jornada.

“Como forma de proteger a competição e as sociedades desportivas, de boa-fé, com ética, lealdade e transparência entendeu a Liga Portugal que a prudência impunha que a decisão não produzisse efeitos até que fosse aprovada pelo órgão (em condições normais) competente para o efeito”, lê-se.

O Marítimo tinha informado na sexta-feira que “renuncia” à possibilidade de impugnar a I Liga portuguesa de futebol, com regressa em 03 de junho, mas que rejeita ser “coagido” a assinar uma declaração “ilegal” no plano de retoma.

A I Liga vai ser reatada sob fortes restrições e sem público nos estádios em 03 de junho, com o encontro entre Portimonense e Gil Vicente, naquele que vai ser o primeiro dos 90 jogos das últimas 10 jornadas, até 26 de julho.

Após 24 jornadas, o FC Porto lidera a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.

Além do principal escalão, também a final da Taça de Portugal, entre Benfica e FC Porto, integra o plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, ainda em data e local a designar.

Continuar a ler

Populares