Seguir o O MINHO

Braga

Legislativas: Lisboeta candidato a deputado por Braga? Vereador do CDS critica “amiguismo”

Altino Bessa muito crítico

em

Foto: Divulgação / Arquivo

Altino Bessa criticou a escolha do lisboeta Telmo Correia para encabeçar a lista do partido nas próximas eleições legislativas, no distrito de Braga. Numa publicação partilhada através das redes sociais, o vereador centrista da coligação “Juntos por Braga” (PSD/CDS-PP/PPM), que governa a autarquia da capital do Minho, fala mesmo em “amiguismo”.

“O amiguismo continua a prevalecer no CDS. Lisboa continua a “enxamear” o resto do país”, escreve Altino Bessa, ressalvando que “não queria ser candidato”.

“Os tiques do Portismo [liderança de Paulo Portas] continuam vivos”.

Na reunião de sexta-feira do conselho nacional do CDS, em Lisboa, que já terminou na madrugada de sábado, as listas da chamada quota nacional foram aprovadas por 100 conselheiros (82,6%), 14 contra, seis nulos e um branco.

Legislativas: Anacoreta Correia cabeça de lista do CDS em Viana do Castelo

Em Viana do Castelo, foi escolhido para cabeça de lista Filipe Anacoreta Correia. A escolha, ao que O MINHO sabe, também não caiu bem em certos sectores do CDS do Alto Minho.

Telmo Correia

Telmo Correia, ao lado da líder, volta a ser cabeça de lista em Braga. Foto: Facebook de CDS/PP

Nascido a 04 de fevereiro de 1960, em Campo Grande, Lisboa, Telmo Correia lidera pela quarta vez consecutiva a lista de deputados pelo círculo eleitoral de Braga – em 2015, foi o número 4 na lista da coligação com o PSD, o primeiro nome centrista, onde a número 8, a vimaranense Vânia Dias da Silva, também foi eleita para a bancada do CDS.

De nome completo Telmo Augusto Gomes de Noronha Correia é licenciado em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa onde chegou a exercer o cargo de dirigente da Associação Académica.

Várias vezes deputado, cargo que mantém actualmente, já liderou a bancada parlamentar do CDS-PP por duas vezes e chegou, inclusive, a ocupar o posto de ministro do Turismo.

Em termos políticos foi, ainda, vereador na Câmara Municipal de Lisboa.

Casado duas vezes, tem três filhos, duas raparigas e um rapaz.

O pai de Telmo Correia, lisboeta de raiz, tem ascendência britânica e macaense. Já a mãe é natural de Leiria e foram os dois médicos.

Telmo Correia é ainda, presidente da distrital de Lisboa do CDS-PP e, como adepto do Benfica, é um conhecido comentador na Antena1, TVI e na BTV.

Corrente interna do CDS é contra

A Tendência Esperança em Movimento (TEM), uma corrente interna do CDS-PP, votou contra os cabeças de lista às legislativas por discordar do “método e da forma” com foram feitas, afirmou um dirigente centrista.

Numa mensagem enviada à Lusa, Abel Matos Santos, da TEM, explicou que os conselheiros nacionais da tendência votaram contra a proposta de Assunção Cristas por discordarem da “metodologia e da forma” como foram feitas as listas da chamada quota nacional pela direção, dado que defendem “um papel maior das estruturas concelhias e distritais” na definição dos candidatos.

Abel Matos Santos disse que os membros da sua tendência estão “obviamente empenhados no melhor resultado possível do CDS” e farão “tudo por isso”, atribuindo a Assunção Cristas o mérito de um bom resultado.

Assim “como um mau resultado será totalmente da sua responsabilidade”, afirma o dirigente centrista.

Na votação para a lista para as europeias, encabeçada por Nuno Melo e que teve 81% dos votos, a TEM absteve-se.

A chamada quota nacional inclui, além dos cabeças de lista aos 18 distritos e círculos da Europa e Fora da Europa, os primeiros candidatos nos dois maiores círculos (Lisboa e Porto). Estatutariamente, e por uma questão de autonomia, Açores e Madeira escolhem os seus candidatos.

Assunção Cristas deixará a lista de Leiria, por onde concorreu em eleições passadas, para liderar a lista de Lisboa, cidade onde é vereadora na câmara. No Porto, a primeira candidata será a vice-presidente Cecília Meireles.

O líder da Juventude Popular, Francisco Rodrigues dos Santos, é indicado para número dois na lista do Porto.

No total, há nove deputados como cabeças-de-lista: Assunção Cristas em Lisboa, Cecília Meireles no Porto, Nuno Magalhães, líder parlamentar, em Setúbal, João Almeida em Aveiro, Telmo Correia em Braga, João Rebelo em Faro, Patrícia Fonseca em Santarém, Filipe Anacoreta Correia em Viana do Castelo e Helder Amaral em Viseu.

Entre os independentes, destacam-se três ex-jornalistas: Raquel Abecasis, que encabeça a lista em Leiria, Rui Lopes da Silva, ex-RTP e chefe de gabinete de Cristas, e Sebastião Bugalho, atual colunista do Observador, que concorrem em 6.º lugar na lista de Lisboa.

De saída está Teresa Caeiro, até agora eleita pelo círculo de Faro.

Populares