Seguir o O MINHO

Futebol

Liga das Nações: Selecionador da Holanda assume vantagem de Portugal, mas numa final “tudo pode acontecer”

Final joga-se este domingo, no Estádio do Dragão, no Porto

em

Foto: DR

O selecionador da Holanda, Ronald Koeman, afirmou hoje que Portugal está mais bem posicionado para conquistar no domingo, no Estádio do Dragão, a Liga das Nações de futebol, mas lembrou que numa final “tudo pode acontecer”.


“Portugal tem equipa forte e defende bem. Vai ser difícil. Portugal joga em casa e isso é um fator importante. Temos de estar ao nosso melhor nível para conseguir marcar golos. É uma final e numa final tudo pode acontecer, tudo é possível”, afirmou Ronald Koeman.

O selecionador holandês falava aos jornalistas na conferência de imprensa de antevisão do jogo decisivo da Liga das Nações, no Estádio do Dragão, no Porto.

“Ninguém esperava que a Holanda estivesse aqui. É um prazer jogar a final e não há qualquer pressão. Sabemos o que temos que fazer. Para estar aqui, vencemos França, Alemanha e Inglaterra. Seria fantástico terminar com uma vitória na casa de Portugal”, referiu o antigo treinador do Benfica.

Questionado sobre se tem algum plano especial para parar Cristiano Ronaldo, Koeman explicou esse tipo de jogo “não faz parte da filosofia da Holanda” e considerou que são jogadores como o avançado português que fazem encher os estádios.

“Ele é um dos melhores e a melhor coisa do futebol é que não podemos 100% parar um jogador como ele, porque é demasiado bom. Se isso fosse possível, seria péssimo para os adeptos. Ronaldo consegue marcar contra os melhores defesas do mundo e isso é a parte boa do futebol”, disse o técnico de 56 anos.

O antigo defesa central comentou ainda estado físico da sua equipa, que teve menos um dia de descanso do que Portugal e foi obrigada a jogar o prolongamento com a Inglaterra (3-1).

“Claro que há fadiga, mas estão todos aptos. Como vamos jogar uma final, mentalmente é mais fácil recuperar os jogadores. Há outro tipo de motivação e isso ajuda”, concluiu.

O Portugal-Holanda está agendado para as 19:45 e vai ter arbitragem do espanhol Undiano Mallenco.

Anúncio

Futebol

Internacional portuguesa Rute Costa troca SC Braga pelo Famalicão

Futebol feminino

em

Foto: SC Braga / Arquivo

A internacional portuguesa Rute Costa assinou um contrato de uma temporada com o Famalicão, informou hoje a equipa da liga portuguesa feminina de futebol.

A guarda-redes, de 26 anos, deixa ao fim de quatro temporadas o Sporting de Braga, onde conquistou um campeonato português, uma Taça de Portugal e uma Supertaça.

Rute Costa tem quatro internacionalizações pela seleção portuguesa, duas das quais no Europeu de 2017, que marcou a estreia de Portugal em grandes competições.

Aquando do cancelamento das competições, devido à pandemia de covid-19, o Famalicão liderava a II divisão e garantiu a subida de divisão.

Continuar a ler

Futebol

Ida ao banho de Vítor Oliveira custa 2.550 euros ao Gil Vicente

Multa

em

Foto: DR / Arquivo

O Gil Vicente foi multado em 2.550 euros pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, devido à ausência do treinador Vítor Oliveira na flash-interview no final da partida frente ao Vitória SC.

A equipa de Barcelos enviou o treinador adjunto Mário Nunes, justificando a decisão com o facto de Vitor Oliveira ter sido levado “para debaixo dos chuveiros na comemoração da vitória que garantiu a manutenção, estando este completamente encharcado”.

O Conselho de Disciplina acabou por multar o Gil Vicente por incumprimento do artigo 91, nº.1, alínea c, do regulamento de competições, que define que a flash-interview “tem a participação obrigatória de dois elementos de cada equipa, designadamente, o treinador principal e um jogador”.

O Gil Vicente venceu na quinta-feira na visita ao Vitória SC, por 2-1, na 31.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, com a equipa de Barcelos a marcar dois golos nos descontos e a garantir a manutenção.

Continuar a ler

Futebol

Graça Freitas manda jogador famalicense sair ao intervalo para cumprir isolamento

André Moreira alinha pelo Belenenses SAD

em

Foto: Twitter

O guarda-redes do Belenenses SAD André Moreira, natural de Ribeirão, concelho de Famalicão, abandonou este sábado o jogo diante do Moreirense, da 31.ª jornada da I Liga de futebol, ao intervalo, para cumprir o isolamento de 14 dias ordenado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O guarda-redes falhou o jogo da jornada transata diante do líder FC Porto (derrota por 5-0) devido ao caso positivo de covid-19 do terceiro guarda-redes do plantel, João Monteiro, que partilhou o quarto com André Moreira no estágio antes da partida, ficando este em isolamento profilático.

Em comunicado, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) explicou que, “através do seu consultor, o dr. Filipe Froes, efetuou durante toda a semana, em articulação com o departamento médico do Belenenses SAD, um acompanhamento à situação clínica do atleta André Moreira”.

“Tendo o referido jogador testado negativo ao SARS CoV-2, a 08, 09 e 10 de julho, e, em concordância com o despacho da DGS, o dr. Filipe Froes acabou por dar parecer positivo à convocatória do guarda-redes para o encontro desta noite entre o Belenenses SAD e o Moreirense FC”, referiu a Liga de clubes.

Contudo, o organismo liderado por Pedro Proença anunciou que, “ao intervalo do encontro, foi dada ordem ao atleta para se retirar do campo, por decisão da Autoridade de Saúde Nacional, a dra. Graça Freitas, que confirmou o critério de contacto próximo e isolamento de 14 dias, ainda não cumpridos”.

“A retoma da Liga NOS tem sido marcada por um cumprimento exemplar do protocolo aprovado pela DGS e cumprirá sempre as orientações emanadas pelas autoridades de saúde perante situações não previstas no referido protocolo”, concluiu o comunicado.

O Moreirense venceu hoje na visita ao ‘aflito’ Belenenses SAD, por 1-0, no encerramento da 31.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, com a equipa lisboeta a desperdiçar uma grande penalidade em período de descontos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 561 mil mortos e infetou mais de 12,58 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.654 pessoas das 46.221 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Populares