Seguir o O MINHO

Braga

“Lente de contacto especial” desenvolvida com ajuda da UMinho reduziu progressão de miopia em crianças

em

Foto: Glaucia Assis

Uma equipa internacional, que inclui cientistas da Universidade do Minho (UMinho), conseguiu reduzir em 59% a progressão da miopia em crianças dos oito aos 12 anos através de uma “lente de contacto especial”, anunciou hoje a academia.


Em comunicado enviado à Lusa, a UMinho explica que o ensaio clínico com uma nova lente de contacto decorreu desde 2012 e concluiu que o uso daquela lente na infância “traz benefícios claros para a saúde pública, porque é na infância que os valores da miopia mais agravam, podendo disparar na fase adulta a probabilidade de problemas severos de visão”.

A miopia consiste em ver mal ao longe e deve-se ao crescimento excessivo do olho, sendo que a cada milímetro que este aumenta, ganha-se três dioptrias de miopia. A equipa internacional mostrou que, após três anos, as crianças com as lentes de contacto especiais tiveram 0,5 milímetros de crescimento ocular, isto é, menos de metade face às outras crianças do estudo.

“É possível atrasar o crescimento do olho humano com dispositivos óticos”, aponta no texto diretor do Laboratório de Investigação em Optometria Clínica e Experimental (CEORLab) do Centro de Física da UMinho, José González-Méijome, que trata esta linha de estudo precursora há 15 anos.

Estas lentes de contacto “distinguem-se pela distribuição específica da potência, o seu desenho ótico, que vai alterar a imagem que se forma na retina, estimulando menos o crescimento do olho”, refere o investigador.

Segundo a UMinho, “a miopia em menores de dez anos costuma alcançar valores elevados na idade adulta e pode levar a doenças da retina e nervo ótico, como glaucoma, desprendimento da retina, mácula e mesmo a cegueira”, sendo que “a probabilidade de ter estas doenças é dez vezes maior em míopes com mais de três dioptrias e até cem vezes maior para aqueles com cinco ou mais dioptrias”.

Aquela “anomalia visual” tornou-se uma pandemia em diversas partes do mundo e, refere o comunicado, “prevê-se que em 2050 mais de 50% da população mundial tenha este defeito ocular, 10% da qual com miopia alta”.

A UMinho salienta que as Ciências da Visão são uma área de “importância extrema a nível social e científico”, referindo que CEORLab tem em curso vários estudos epidemiológicos, ensaios e parcerias.

Por exemplo, enumera, “concluiu recentemente que a miopia afeta um terço dos que ingressaram no ensino superior de 2015 a 2017, com base numa amostra a 2.000 jovens da UMinho”, uma proporção que quase duplicou nos últimos 15 anos.

A equipa liga também a investigação às neurociências, entendendo melhor os processos de crescimento e controlo do globo ocular e os mecanismos de ação destes e outros tratamentos, para desenvolver dispositivos mais eficazes.

A UMinho explica ainda que “é a única instituição em Portugal e das raras da Europa com formação de licenciatura, mestrado, doutoramento e ensino a distância em Optometria e Ciências da Visão, em particular na área da miopia”.

O ensaio clínico com a nova lente de contacto envolveu ainda as universidades de Aston (Reino Unido), de Waterloo (Canadá) e o Hospital Universitário de Singapura.

Anúncio

Braga

Unidade da Póvoa de Lanhoso recebe 80 doentes covid até final da próxima semana

Covid-19

em

Foto: SCM Póvoa de Lanhoso / Divulgação

A UCM (Unidade de Cuidados Moderados) da Póvoa de Lanhoso, que visa receber utentes covid-19 positivos, e aliviar a pressão dos Hospitais Públicos da região, recebe até ao final deste sábado, 40 utentes. Até final da próxima semana, a unidade contará com 80 utentes, foi hoje anunciado.

Durante a manhã deste sábado, o provedor da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, Humberto Carneiro, recebeu na Unidade de Cuidados Moderados, a visita do secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, do presidente da União das Misericórdias Portuguesas, Manuel de Lemos, do presidente da ARS Norte, Carlos Nunes e do presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, que vieram constatar as condições desta Unidade de tratamento.

Foto: Divulgação / SCM Póvoa de Lanhoso

Para o Provedor:“Este é mais um exemplo de cooperação entre as Misericórdias Portuguesas e o Estado, na luta contra a pandemia que a todos atinge. Até final da semana a unidade contará com 80 utentes. Esta será a 1ª fase do acordo com a ARSN, sendo que, caso seja necessário, a Misericórdia estará em condições de adequar a Unidade para receber até 160 utentes. Estamos perante um trabalho notável de toda a Instituição, de realçar o trabalho incansável e a prontidão de toda a equipa. Nas pessoas do diretor clínico e da enfermeira diretora, quero publicamente agradecer e reconhecer o trabalho exemplar de dedicação às causas que a Misericórdia abraça. De referir ainda que este projeto foi apenas possível com o apoio da Câmara Municipal, portanto o meu sentido agradecimento ao Presidente da Câmara, Avelino Silva.”

A Unidade de Cuidados Moderados da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, torna-se, assim, com as 80 camas, a maior resposta nacional de apoio aos Hospitais EPE, para a receção de utentes COVID-19 positivos, para o combate à pandemia fora da resposta pública.

Continuar a ler

Braga

Municípios transfronteiriços reconhecem caminho que liga Braga a Santiago

Caminhos de Santiago

em

Foto: DR

A associação Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular acaba de reconhecer o Caminho da Geira e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, na distância de 240 quilómetros, num guia com os principais itinerários jacobeus.

Esta entidade luso-galaica, que reúne 35 municípios da região transfronteiriça e a província de Lugo, divulgou no dia 16 de novembro um guia que, ao longo de 184 páginas, descreve 14 caminhos de Santiago, entre os quais o da Geira e dos Arrieiros, incluindo o seu troço por Berán, seguindo o traçado apresentado pela Associação do Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro, em Braga, em 2017.

O guia “Um Caminho de Futuro” [link para download: https://bit.ly/2IH1BLx ], escrito em espanhol, galego, português e inglês, descreve o traçado que começa na Sé de Braga ao longo de 13 páginas, ilustradas com desenhos dos principais locais de passagem dos peregrinos. A primeira edição conta 74 mil exemplares.

A associação Eixo Atlântico, atualmente liderada pelo presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, dedica- se a apoiar “as iniciativas que fomentem a cooperação transfronteiriça, constituída pelos municípios do Norte de Portugal e da Galiza” e não tem fins lucrativos.

O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi reconhecido pela Igreja em março de 2019, quando o delegado de peregrinações do cabido da Catedral de Santiago, o deão Segundo L. Pérez López, assinou um certificado onde refere que o traçado cumpre “as condições de outros caminhos de peregrinação” e por isso “concede a Compostela” a quem o percorrer.

Está em curso o processo de homologação pelas entidades civis.

No ano passado foi percorrido por 367 peregrinos em 10 meses. A maioria partiu de Braga (227), seguindo-se Castro Laboreiro (104), Entrimo e Ribadavia (com oito cada).

Os portugueses constituem o maior grupo (80%), havendo ainda registo da passagem de italianos, suíços, franceses, brasileiros, polacos e holandeses.

Além dos peregrinos que receberam a Compostela (e, como tal, entraram nas estatísticas), a associação Codeseda Viva considera que muitos outros o fizeram, apontando uma estimativa global de 850 pessoas.

Continuar a ler

Braga

Concelho de Braga com 1.694 casos ativos

Covid-19

em

Foto: DR

O concelho de Braga regista hoje 1.694 casos ativos de covid-19, mais 1o3 do que na sexta-feira, data do último balanço publicado por O MINHO.

O município contabiliza agora 5.850 casos desde o início da pandemia, mais 249 nas últimas 24 horas.

Estes números foram apurados pelo nosso jornal junto de fonte local da saúde às 17:30 de sexta-feira.

Há ainda mais 146 doentes curados desde ontem, totalizando 4.316 recuperações desde o início da pandemia.

Há 89 óbitos a lamentar, o mesmo número de ontem.

Por fim, estão 1.463 pessoas em vigilância ativa, mais 27 do que ontem.

Continuar a ler

Populares