Seguir o O MINHO

Esposende

Julgados por sequestro e roubo de família de madrugada

em

Rui Miguel Ferreira Lima (“Campinhas” ou “Maquito”), o último detido pela PJ de Braga. Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

A quadrilha acusada de sequestro e roubo de uma família dentro da sua própria residência, em plena madrugada, na freguesia de Antas, do concelho de Esposende, começou já a ser julgada, no Palácio da Justiça de Braga, com um dos arguidos a assumir a autoria do caso.


Cristiano Ferreira, de 22 anos, residente no Bairro das Campinas, em Ramalde, no Porto, explicou as circunstâncias do assalto à mão armada, seguido de sequestro, na noite de 13 para 14 de junho de 2016, na moradia de um bancário do Millennium BCP, acompanhado da mulher, formadora, bem como dos dois filhos do casal, ela de 14 anos e ele de 12 anos.

Três dos arguidos entraram pelo jardim enquanto o quarto ficou fora de casa, num automóvel, tendo o trio acedido à residência pela janela de uma casa de banho do rés-do- chão, após o que se introduziram no escritório, roubando um envelope com quase 300 euros, que constituíam umas poupanças feitas pela locatária.

Depois dirigiram-se ao primeiro andar, entraram no quarto do casal, onde dormia também o filho mais novo, de 12 anos, ordenando-lhes que “virem a cara, não nos olhem de frente” e como o pai da criança não obedeceu logo, foi atingido com uma pancada na cabeça, tendo a filha mais velha, de 14 anos, sido retirada da cama do seu quarto no rés-do- chão e levada para junto dos pais e do irmão, todos já na cama, no primeiro andar.

Depois exigiram saber onde estava o cofre, mas como afinal não existia, acabaram ainda por roubar peças de ouro no valor global de 3.430 euros e telemóveis avaliados em cerca de 530 euros, após o que fecharam toda a família na casa de banho e fugiram de automóvel depois de terem estroncado os dois carros do casal que estavam parados junto da garagem.

Cristiano Etelvino Dias Ferreira, foi detido pela Polícia Judiciária de Braga a 3 de março de 2017, tendo quase 20 gramas de cocaína na sua casa, nas Campinas, bairro camarário da cidade do Porto, onde também residem mais dois suspeitos apanhados na mesma data, Paulo Alexandre Moreira Soares (22 anos) e Rui Miguel Silva Costa Oliveira (21 anos). O quarto suspeito, Rui Miguel Ferreira Lima (“Campinhas” ou “Maquito”), de 20 anos, foi detido depois pela PJ de Braga, a 30 de agosto, numa casa em Modivas, Vila do Conde.

Anúncio

Cávado

Esposende vai recuperar moinhos para criar parque temático

Parque Temático de Moinhos de Vento

em

Foto: Divulgação / CM Esposende

A Câmara de Esposende vai arrancar com a obra de recuperação de três moinhos de vento, propriedades do município, iniciando assim a primeira fase do processo de constituição do Parque Temático dos Moinhos de Vento da Abelheira, em Marinhas, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a autarquia dá conta de que esta recuperação dos moinhos insere-se no âmbito da candidatura Qualificação das Experiências de Turismo da Natureza no Minho – Redes de Visitação da Natureza – Moinhos da Abelheira/Esposende, integrada na Estratégia de Eficiência Coletiva PROVERE, financiada a 85% e terá um investimento de 155 mil euros.

Esta ação integra-se na estratégia de promoção do Turismo no Município de Esposende através da valorização e preservação do seu património material e imaterial.

A intervenção global está prevista para os sete moinhos, mas nesta fase a autarquia vai avançar com a recuperação dos três edifícios que são propriedade da Câmara.

“No futuro ficará ali implantado o parque temático ligado às energias renováveis e ao ciclo do pão”, refere Benjamim Pereira, presidente da Câmara de Esposende.

As obras de conservação abrangem os moinhos de vento números “3”, “6” e “7”, os quais são já propriedade do município, mas o futuro parque temático abrange sete espaços expositivos, onde será apresentado todo o processo que envolve a sementeira e a recolha do grão, assim como os diversos processos necessários à sua preparação para a moagem.

Aos moinhos estarão associados os temas da eletricidade; do ciclo do pão e da etnografia a ele associado; das questões ambientais do uso de energias; das respostas sensoriais que a cultura do cereal permite experimentar através do tato, olfato e visão, às questões sobre os cereais híbridos ou geneticamente modificados. Um dos espaços, distinto pelo aspeto arquitetónico vanguardista, abordará o futuro da energia.

Relativamente ao moinho “3”, a autarquia pretende3 fazer a recuperação funcional a partir dos vestígios remanescentes no local, recuperando toda a informação tecnológica e capitalizando os resultados na reconstituição fidedigna do moinho (no que respeita a materiais, técnicas construtivas, volumes, paleta de cores, soluções tecnológicas tradicionais e molinologia local).

No que se refere aos outros dois moinhos, pretende uma recuperação parcial, garantindo emprego de técnicas não invasivas e consequentemente a preservação da integridade dos elementos existentes.

Esposende reúne vários moinhos eólicos e hidráulicos. Entre os núcleos dos engenhos de moagem movidos pela força do vento, além dos de Abelheira estão referenciados os de Cedovém em Apúlia, entre outras unidades disseminadas pelo concelho.

Refira-se que a Casa das Marinhas, foi inspirada, arquitetada e construída a partir de um moinho e transformada em habitação, pelo conceituado arquiteto esposendense Viana de Lima. Portugal assinala o Dia Nacional dos Moinhos a 07 de abril

Continuar a ler

Cávado

Ponte de pedra que liga Esposende a Castelo do Neiva vai ser reconstruída

Obras públicas

em

Foto: Divulgação / CM Esposende

A Câmara de Esposende vai avançar com a reconstrução da ponte do Sebastião, que liga o concelho a Viana do Castelo, numa obra orçada em cerca de 102 mil euros a suportar “em partes iguais” por ambos os municípios.

Anunciada pela Câmara de Esposende, na sua página da Internet, a intervenção da ponte que une Antas a Castelo do Neiva será assumida por si, que será “posteriormente ressarcida pelo município de Viana do Castelo”.

A obra está orçada em 102.090 euros, acrescenta.

A ponte foi construída em 1930 por ordem de um particular, à data o proprietário da azenha e do pesqueiro existente no local.

Ao longo do tempo, a ponte sofreu a queda de diversas pedras que compõem o seu tabuleiro, resultado do embate das árvores caídas ao rio em dias de tempestade.

“A última situação registada ocorreu em 22 de dezembro de 2019, quando a ponte sofreu uma derrocada em grande parte da sua extensão, motivada pelas fortes chuvadas e pelo consequente arrastamento de troncos de árvores que promoveram a queda do tabuleiro e de parte dos elementos dos pilares”, explica a autarquia de Esposende.

Com a empreitada prevista, refere, “serão repostos todos os elementos caídos, usando a tecnologia construtiva usada à data da sua construção original e em período seco”.

A câmara garante que “será mantida toda a sua forma inicial, distâncias entre elementos e aspeto geral”, sendo que “os pilares são compostos por três secções em alvenaria de granito” e que “apenas dois dos 14 pilares são formados unicamente por dois elementos”.

“Na estratégia de unidade territorial, a construção ou reparação de pontes afigura-se primordial, para facilitar a circulação e aproximar as populações e para tornar acessíveis territórios que evidenciem a forte vertente turística do concelho. De resto, esta travessia pedonal adquire manifesta importância e relevo, no que ao caminho da costa para Santiago de Compostela diz respeito”, lê-se.

Continuar a ler

Cávado

Esposende com 15 casos ativos de covid-19

Pandemia

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O concelho de Esposende regista 15 casos ativos de infeção por covid-19, mais doze do que no último balanço feito a 20 de agosto por O MINHO junto de fonte local da saúde.

No total acumulado, Esposende regista 103 casos confirmados de coronavírus desde o início da pandemia, mais 20 desde o último balanço. 87 estão recuperados (mais nove) e há um óbito a lamentar, o mesmo que já existia.

Estes dados são apurados por O MINHO junto de fonte local do setor da saúde e não coincidem com os divulgados pela Direção-Geral de Saúde (DGS), no qual o concelho de Esposende regista 69 acumulados.

Portugal regista hoje mais quatro mortos e 425 novos casos de infeção por covid-19, em relação a segunda-feira, segundo o boletim epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia até hoje registam-se 65.021 asos de infeção confirmados e 1.875 mortes.

Há ainda 44.362 recuperados, mais 177 do que ontem.

Continuar a ler

Populares