Governo garante a Caminha “linha de diálogo permanente” sobre eólicas no mar

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Câmara de Caminha recebeu da secretária de Estado das Pescas a garantia de uma “linha de diálogo permanente” sobre a criação de cinco áreas de exploração de energias renováveis no mar, foi hoje divulgado.

Em comunicado enviado às redações, aquela autarquia adiantou que o socialista Rui Lages reuniu-se, na segunda feira, em Lisboa, com a Teresa Coelho para “expor as preocupações da comunidade piscatória do concelho, quanto à delimitação das zonas de exclusão para a implementação de um parque eólico ao largo da costa de Caminha e Viana do Castelo”.

“A secretária de Estado das Pescas reafirmou o seu empenho em ser porta-voz das preocupações dos pescadores junto do Governo, garantindo ao presidente da Câmara Municipal de Caminha uma linha de diálogo aberta e permanente”, destaca a nota.

Em causa está a proposta preliminar do grupo de trabalho constituído pelo Governo para definir áreas situadas ao largo de Viana do Castelo, Leixões, Figueira da Foz, Ericeira-Cascais e Sines para a implantação parques eólicos ‘offshore’.

O projeto para a criação de cinco áreas de exploração de energias renováveis no mar esteve em consulta entre 30 de janeiro e o dia 10 de março.

Citado na nota, o autarca socialista de Caminha referiu estar “ciente da necessidade de procurar novos meios alternativos de produção de energia, mais limpa e menos dependente das energias fósseis”, mas sublinhou que essa “transição não pode ser a todo o custo, sem salvaguardar todos os outros interesses económicos locais, desde logo a economia gerada pela atividade da pesca, a salvaguarda da indústria do turismo e do património ambiental e cultural.”

“Salvaguardar os interesses dos nossos homens do mar é ponto fundamental para que todo este processo possa decorrer com a maior serenidade possível exigindo-se transparência, auscultação e proximidade na ação e nas tomadas de decisão”, sublinhou Rui Lages.

No próximo dia 18, a Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) vai promover, em Caminha, no museu municipal, uma sessão de esclarecimento sobre o plano de afetação para energias renováveis ‘offshore’.

A sessão, marcada para as 12:00, será mais um fórum de participação e de auscultação das comunidades com interesse na matéria e contará com a presença prevista do diretor-geral da DGRM, José Simão.

No início de março, numa outra sessão de esclarecimento realizada em Viana do Castelo, pescadores, armadores, associações e sindicatos do setor de todo o país manifestaram-se revoltados por não terem sido ouvidos no processo de criação das cinco áreas de exploração de energias renováveis no mar.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Homem que assaltou gasolineira em Vila Verde já está na cadeia por outros crimes

Próximo Artigo

Organizações médicas apreensivas com “esvaziamento progressivo" da DGS

Artigos Relacionados
x