Gil Vicente derrotado pelo Benfica em Barcelos

I Liga

O Gil Vicente perdeu hoje por 0-2 com o Benfica, em jogo a contar para a décima jornada da I Liga.

A expulsão de Ygor Nogueira, defesa dos gilistas, aos 45 minutos, facilitou a tarefa da equipa lisboeta, que inaugurou o marcador aos 59, através de um autogolo de Rodrigo, aumentando a vantagem aos 65, por intermédio de Everton.

Com este resultado, o Gil Vicente está apenas um ponto acima da zona de despromoção.

O Benfica recolocou-se a dois pontos do líder, mantendo o segundo lugar a salvo do FC Porto, a cinco pontos dos ‘encarnados’, que hoje recebe o Nacional.

Após uma primeira parte de domínio quase total, mas escassas ocasiões de golo, o Benfica revelou fragilidades defensivas no início da segunda parte, diante de uma equipa minhota já reduzida a 10 elementos, após expulsão de Ygor Nogueira, ao minuto 45, e resolveu o desafio na sua pior fase, com o extremo brasileiro, que somou o quarto golo no campeonato, em evidência.

O triunfo, o terceiro consecutivo na I Liga, permite aos ‘encarnados’ cimentar a segunda posição, com 24 pontos, e manter a distância de dois para o líder Sporting, ao passo que o Gil Vicente, ao somar novo desaire, após quatro pontos nos dois embates anteriores, é 14.º, com nove.

Com Vlachodimos, Gilberto, Grimaldo e Pizzi de regresso e ainda Pedrinho e Seferovic nos lugares de Rafa e de Waldschmidt, o Benfica esteve quase sempre instalado no meio-campo adversário durante a primeira parte, mas só a espaços traduziu essa supremacia territorial em ocasiões de golo.

Ativo na pressão ao guarda-redes e aos defesas minhotos, Darwin protagonizou a primeira ocasião do desafio, ao ‘picar’ a bola sobre Denis, antes de Rodrigo controlar o lance, ao minuto 16, e voltou a rematar à baliza no minuto seguinte.

A equipa de Barcelos, que apareceu em campo com Talocha, Vítor Carvalho e Antoine Léautey como novidades no ‘onze’, raramente encontrou antídoto para contornar o bloco ‘encarnado’, mas, assim que perdia a bola, recuava para a área com organização, anulando vários cruzamentos das ‘águias’, sobretudo pelos centrais Ygor Nogueira e Rodrigo.

O perigo voltou a rondar a baliza minhota num remate de Everton, aos 23 minutos, num cabeceamento de Vertonghen, aos 35, e num remate de Gilberto, para intervenção atenta de Denis, aos 38, mas a oportunidade mais flagrante até ao intervalo pertenceu aos anfitriões, com Vítor Carvalho a falhar a baliza por centímetros, num cabeceamento, aos 42.

No final da primeira parte, Ygor Nogueira viu dois cartões amarelos depois de atingir Darwin com o braço em disputas aéreas, aos 39 e aos 45, e deixou o Gil Vicente em inferioridade numérica.

Com a equipa reduzida a 10 elementos, o treinador Ricardo Soares retirou Antoine Léautey após o intervalo e preencheu o vazio no eixo da defesa com Tim Hall, em estreia absoluta na I Liga, enquanto o técnico ‘encarnado’, Jorge Jesus, colocou Taarabt no lugar de Pedrinho.

Mesmo com menos jogadores ofensivos, o Gil Vicente reapareceu melhor e esteve muito perto do golo inaugural, por Lucas Mineiro, em dois cantos sucessivos: o médio cabeceou para defesa difícil de Vlachodimos, no primeiro, aos 54, e à trave, no segundo, aos 55.

Quando parecia viver a pior fase, mostrando-se inconsequente no ataque e inseguro na defesa, o Benfica resolveu a partida, tendo Everton como ‘ator principal’: o brasileiro originou o primeiro golo, num cabeceamento que Rodrigo cortou de forma defeituosa, introduzindo a bola na própria baliza, aos 59 minutos, e marcou o segundo, aos 65, também de cabeça, ao segundo poste, em resposta a cruzamento de Seferovic.

Apesar dos barcelenses terem ameaçado o empate pelo meio, num remate de Samuel Lino travado por Vlachodimos, ao minuto 62, a dinâmica do jogo alterou-se após os golos, com a formação ‘encarnada’ a manter a bola e a controlar as operações até ao apito final, perante um adversário que continuou a tentar atacar como pôde.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Cidade de Barcelos.

Gil Vicente – Benfica, 0-2.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

0-1, Rodrigo, 59 minutos (própria baliza).

0-2, Everton, 65.

Equipas:

– Gil Vicente: Denis, Joel Pereira, Ygor Nogueira (Tim Hall, 46), Rodrigo, Talocha, Lucas Mineiro (Ahmed Iasiah, 46), Vítor Carvalho (Henrique Gomes, 70), Claude Gonçalves, Lourency (Baraye, 87), Antoine Léautey e Samuel Lino (Boubacar Hanne, 70).

(Suplentes: Daniel Fuzato, Tim Hall, Henrique Gomes, Ahmed Isaiah, Kanya Fujimoto, Leandrinho, Baraye, Boubacar Hanne e Renan Oliveira).

Treinador: Ricardo Soares.

– Benfica: Vlachodimos, Gilberto (Diogo Gonçalves, 67), Jardel, Vertonghen, Grimaldo, Weigl (Samaris, 81), Pizzi (Cervi, 85), Pedrinho (Taarabt, 46), Everton, Seferovic e Darwin (Waldschmidt, 81).

(Suplentes: Helton Leite, Diogo Gonçalves, Ferro, Nuno Tavares, Samaris, Taarabt, Cervi, Waldschmidt e Gonçalo Ramos).

Treinador: Jorge Jesus.

Árbitro: Nuno Almeida (Associação de Futebol do Algarve).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Ygor Nogueira (39 e 45), Gilberto (43), Weigl (46) e Vítor Carvalho (64). Cartão vermelho por acumulação de cartões amarelos para Ygor Nogueira (45).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Três pessoas intoxicadas após fuga de gás numa habitação em Guimarães

Próximo Artigo

Emigrantes no Reino Unido só entram em Portugal com teste à covid-19

Artigos Relacionados
x