Fundação de bilionário de Guimarães atribui mais de 400 bolsas de estudo na UMinho e no IPCA

José Neves (ao centro). Foto: DR / Arquivo


A Fundação José Neves, criada pelo empresário vimaranense com o mesmo nome, fundador da plataforma online líder mundial de luxo Farfetch, tem mais de 400 bolsas de estudo para perto de 60 cursos na Universidade do Minho e no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA).

Em comunicado, a Fundação do bilionário adianta que a Universidade do Minho tem 283 vagas disponíveis para bolsas reembolsáveis para 39 mestrados e pós-graduações em curso.

Esta é a lista de mestrados e pós-graduações abrangidos na Universidade do Minho: Administração Pública; Análise Estrutural de Monumentos e Construções Históricas; Avaliação Para as Profissões da Saúde; Biofísica e Bionanossistemas; Bioinformática; Biotecnologia; Ciência Política; Construção e Reabilitação Sustentáveis; Curso Avançado em Ciências da Visão; Design de Comunicação de Moda; Design e Marketing de Produto Têxtil, Vestuário e Acessórios; Economia; Economia Industrial e da Empresa; Economia Monetária, Bancária e Financeira; Economia Social; Engenharia Biomédica; Engenharia Civil; Engenharia de Redes e Serviços Telemáticos; Engenharia de Sistemas; Engenharia de Telecomunicações e Informática; Engenharia do Produto; Engenharia e Gestão de Operações; Engenharia e Gestão Industrial; Engenharia Humana; Engenharia Informática; Engenharia Mecatrónica; Engenharia Têxtil; Estatística para a Ciência de Dados; Finanças; Física; Gestão; Gestão de Recursos Humanos; Gestão de Unidades de Saúde; Gestão e Negócios; Micro/Nano Tecnologias; Negócios Internacionais; Relações Internacionais; School of CEOs – Sharp training for first time CEOs; Sistemas de Informação.

Já o IPCA tem 143 vagas disponíveis em 20 cursos para bolsas da Fundação José Neves que pagam mestrados, pós-graduações e Cursos Técnicos Superiores Profissionais

Esta é a lista de mestrados, pós-graduações e CTeSP abrangidos pelo ISA FJN no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave: Aplicações Móveis; Apoio à Gestão; Audiovisual Digital; Cibersegurança e Informática Forense; Comércio Eletrónico; Data Analysis for Business; Desenvolvimento Web e Multimédia; Design Digital; Design para Media Digitais; Eletrónica, Automação e Comando; Energia, Telecomunicações e Domótica; Engenharia Eletrónica e de Computadores; Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais; Engenharia Informática; Gestão Financeira e Contabilística; Marketing Digital e Social Media; Redes e Segurança Informática; Robótica Colaborativa e Inteligência Industrial; Segurança e Proteção de Dados para Sistemas de Informação; Sistemas Eletrónicos e Computadores.

O programa ISA FJN, que conta com a parceria da Fundação Galp, garante o pagamento integral da propina e esse investimento só é reembolsado quando o estudante atingir as condições previamente estabelecidas para o fazer de forma sustentada.

Os alunos interessados em concorrer às bolsas ISA FJN podem obter mais informações e formalizar a sua candidatura até 31 de dezembro aqui.

“Programa de apoio para todos os portugueses que pretendam investir na sua educação”

“O ISA FJN é um programa de apoio para todos os portugueses que pretendam investir na sua educação, independentemente da situação pessoal, profissional ou capacidade financeira. A sua ambição é democratizar o acesso à educação e a nossa ampla rede de parceiros permite usufruir das bolsas em praticamente todo o país. Já foram investidos 3 milhões de euros no pagamento de propinas, mas temos ainda muito caminho para fazer. O mundo está a mudar rapidamente, as competências procuradas também e os portugueses precisam de preparar hoje o futuro”, observa Carlos Oliveira, presidente executivo da Fundação José Neves.

O ISA FJN é um programa de bolsas reembolsáveis baseado no modelo de acordo de partilha de rendimentos (Income Share Agreement).

Tem como objetivo apoiar os portugueses no acesso aos cursos e formações que lhes permitam adquirir as competências para os empregos do futuro, através do pagamento integral da propina.

Dirigido aos estudantes e também a todos aqueles que já estão no mercado de trabalho, o ISA FJN facilita o acesso dos portugueses a cursos e formações onde existe uma grande necessidade de talento.

O estudante só reembolsará este apoio à Fundação quando e se atingir as condições previamente definidas.

Uma avaliação efetuada no início de setembro em parceria com o Economics of Education Knowledge Center da NOVA SBE, a taxa de empregabilidade entre os 284 bolseiros que já terminaram os respetivos cursos ou formações situava-se nos 87% e a sua remuneração média havia beneficiado de um aumento superior a 20%. Isto permitiu que 77% dos bolseiros se encontrem a reembolsar o seu ISA FJN, o que só é possível por terem superado o valor salarial previamente contratualizado.

Lançado publicamente há três anos, o programa de bolsas ISA FJN já permitiu a mais de 400 pessoas aumentarem ou requalificarem as suas competências, através de um investimento de cerca de três milhões de euros no pagamento de propinas.

No total, entre universidades, institutos politécnicos e diversas escolas de formação prática e intensiva, são já 411 os cursos elegíveis e 39 as instituições de ensino parceiras do ISA FJN.

Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Concurso para compra de 117 comboios está na fase final da adjudicação

Próximo Artigo

Espanhol esfaqueado em pensão de Amares andava "foragido à justiça"

Artigos Relacionados
x