Seguir o O MINHO

Desporto

“Extremamente feliz e orgulhoso” com título Mundial de juniores em C1 – João Amorim

em

O canoísta português João Amorim revelou-se “extremamente feliz e orgulhoso” com o título mundial júnior de maratonas, alcançado em Gyor, Hungria, em canoa C1.


“Não estava à espera, mas foi inteiramente justo. É um marco na carreira de qualquer atleta. Para o ano, já a competir com os seniores, não serei apenas mais um júnior, mas um júnior campeão do mundo”, congratulou-se João Amorim.

No arranque dos Mundiais, o jovem português cumpriu os 18,3 quilómetros em 1:27.37 horas, deixando os húngaros Zoltán Koleszár e Dániel Laczó a 1.16 e 4.46 minutos, respetivamente.

“Na última viragem, quando vi que já tinha margem suficiente, acreditei que o título já não me iria fugir, embora nunca saibamos o que pode acontecer. Por isso, dei o meu máximo até ao fim”, disse João Amorim, que tinha como melhor resultado o quarto lugar júnior nos Europeus de 2014.

O jovem, que falhou a desejada entrada em engenharia aeroespacial, vai insistir no seu sonho universitário, sendo que em 2016 também pretende apostar mais na pista, especialidade olímpica.

“Tóquio2020 poderá ser um sonho, mas isso exige muito, muito trabalho. Vamos ver como correm as coisas na pista na próxima época e aí avaliarei melhor”, revelou.

O presidente da Federação Portuguesa de Canoagem, Vítor Félix, disse que “Portugal não podia ter melhor início de mundiais, com as canoas, mais uma vez, a mostrar todo o seu valor e potencial”.

“Trouxemos uma equipa pequena, de apenas nove canoístas, mas muito forte e compacta. Acredito que, este fim de semana, voltaremos mais vezes ao pódio. Entre outros, temos cá o José Ramalho, bicampeão europeu em K1, e o Nuno Barros, que já foi campeão do mundo em C1”, completou.

 

Anúncio

Futebol

Vizela ‘arranca’ um ponto no reduto do líder Estoril

II Liga

em

Foto: Facebook de Estoril-Praia

O Estoril Praia cedeu hoje dois pontos na luta pela promoção, ao consentir um empate 2-2 na receção ao Vizela, em jogo da 10.ª jornada da II Liga de futebol, que só se decidiu nos derradeiros segundos.

Num jogo de ‘duas caras’, tal como o tempo – que começou sob muita chuva e acabou com o sol a brilhar no Estádio António Coimbra da Mota -, o Estoril mostrou desde cedo os créditos de líder e ameaçou o golo logo aos cinco minutos por Yakubu, mas o 1-0 só chegou aos 19, por Harramiz, após um bom remate de pé esquerdo, à entrada da área.

Enquanto houve chuva, o Estoril comandou o ritmo e as operações no relvado. No entanto, a partir dos 30, a formação de Álvaro Pacheco cresceu e assumiu a iniciativa, com Samu a deixar o primeiro aviso aos 34 minutos, num remate à meia volta, para defesa apertada de Dani Figueira para canto, sinalizando o início da transformação do encontro.

Após o intervalo, o domínio do Vizela intensificou-se e nem o golo de Gamboa, que aos 52 minutos aumentou a vantagem estorilista, num cabeceamento exemplar, travou a reação vizelense.

Se a equipa de Bruno Pinheiro também recuou para explorar o contra-ataque, deixou de ter algum critério nas saídas e viu o Vizela reduzir para 2-1, através de um remate ‘de ressaca’ de Kiki, aos 56 minutos.

O Vizela atacava e o Estoril desaproveitava as transições, mas os ‘descontos’ acabaram por fazer justiça aos forasteiros, que lograram o empate aos 90+6 minutos, por Tavinho, entre protestos dos estorilistas contra o árbitro Fábio Melo. Depois disso, apenas houve tempo para expulsar Vidigal, que já havia sido substituído, e apitar para o fim do jogo.

Com este empate, o Estoril soma 23 pontos e fica à mercê do ‘vice’ Mafra, com 21, que apenas joga na segunda-feira, com o Vilafranquense. Já o Vizela subiu ao nono posto, com 12 pontos.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio António Coimbra da Mota, na Amoreira.

Estoril Praia – Vizela, 2-2.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

1-0, Harramiz, 19 minutos.

2-0, João Gamboa, 52.

2-1, Kiki, 56.

2-2, Tavinho, 90+6.

Equipas:

– Estoril Praia: Dani Figueira, Carles Soria, Hugo Basto, Hugo Gomes, Joãozinho, João Gamboa, Crespo (Rosier, 66), Zé Valente (Lazare, 76), Harramiz, Vidigal (Chiquinho, 67) e Yakubu Aziz (André Clóvis, 81).

(Suplentes: Thiago, João Diogo, Chiquinho, Murilo, Valente, Lazare, André Franco, Rosier e André Clóvis).

Treinador: Bruno Pinheiro.

– Vizela: Pedro Silva, Koffi Kouao, Aidara, Matheus, Kiki (Ofori, 74), Marcos Paulo, Zag (André Soares, 67), Samu, Kiko Bondoso (Cassiano, 55), Francis Cann (Cardozo, 67) e Diogo Ribeiro (Tavinho, 73).

(Suplentes: Manuel Baldé, Tavinho, Cassiano, André Soares, Cardozo, Ericson, Mosevich, João Pedro e Ofori).

Treinador: Álvaro Pacheco.

Árbitro: Fábio Melo (AF Porto).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Yakubu (45+1), Marcos Paulo (46) e Crespo (48). Cartão vermelho direto para Vidigal (90+8).

Assistência: Jogo à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Continuar a ler

Desporto

GP do Bahrain de Fórmula 1 interrompido devido a violento acidente

Carro incendiou-se

em

Foto: Twitter / Fernando Alonso

O Grande Prémio do Bahrain foi hoje interrompido devido a um violento acidente do piloto francês Romain Grosjean (Haas), sofrido no início da primeira volta da 15.ª prova do Mundial de Fórmula 1 de 2020.

O Haas do piloto francês embateu num dos ‘rails’ de proteção do circuito de Sakhir, provocando uma violenta explosão e obrigando à interrupção imediata da corrida, enquanto Grosjean abandonava o monolugar pelo próprio pé, apesar de combalido.

De acordo com a informação publicada pela equipa norte-americana na conta oficial no Twitter, Grosjean sofreu queimaduras ligeiras nas mãos e nos tornozelos, “mas, à exceção disso, está bem”, encontrando-se no hospital do circuito, em observação.

O britânico Lewis Hamilton (Mercedes), virtual campeão mundial, que saiu da ‘pole position’, manteve o comando da corrida após o arranque, antes de a prova ter sido interrompido.

Continuar a ler

Futebol

Leixões presta homenagem a Vítor Oliveira no Estádio do Mar

Homenagem

em

Foto: SC Leixões

Os responsáveis do Leixões, capitães da equipa principal e vários sócios e adeptos homenagearam hoje, no memorial situado no Estádio do Mar, o treinador de futebol Vítor Oliveira, que morreu no sábado, aos 67 anos.

“Antes do minuto de silêncio, André Castro e Jorge Moreira, acompanhados por Beto e Pedro Pinto, colocaram no memorial uma camisola do Leixões com o nome de Vítor Oliveira e uma coroa de flores. Um ato de grande simbolismo, que emocionou e fez cair lágrimas de saudade entre os presentes. Até um dia, timoneiro”, escreveu o Leixões, na rede social Facebook.

Vítor Oliveira, que morreu no sábado, em Matosinhos, ficou conhecido como ‘rei das subidas’, ao conseguir 11 promoções ao principal escalão, em 18 presenças, ao serviço de Paços de Ferreira (1991 e 2019), Académica (1997), União de Leiria (1998), Belenenses (1999), Leixões (2007)), Arouca (2013), Moreirense (2014), União da Madeira (2015), Desportivo de Chaves (2016) e Portimonense (2017).

Em mais de 30 anos, entre 1978 e 2020, comandou Famalicão, Portimonense, Maia, Paços de Ferreira, Gil Vicente, Vitória de Guimarães, Académica, União de Leiria, Sporting de Braga, Belenenses, Rio Ave, Moreirense, Leixões, Trofense, Desportivo das Aves, Arouca, União da Madeira, Desportivo de Chaves e Paços de Ferreira.

Como futebolista, vestiu as camisolas de Leixões, Paredes, Famalicão, Sporting de Espinho, Sporting de Braga e Portimonense.

Liga Portuguesa de Futebol Profissional e Federação Portuguesa de Futebol decretaram um minuto de silêncio nos jogos a realizar durante este fim de semana, em memória de Vítor Oliveira.

Continuar a ler

Populares