Seguir o O MINHO

Fafe

Ex-autarca de Fafe, José Ribeiro, abandona PS

Processo disciplinar em curso na base da decisão

em

Fotos: DR

O antigo presidente da Câmara de Fafe e atual presidente da Assembleia Municipal, José Ribeiro, demitiu-se do PS para evitar a sua expulsão, através de carta enviada ao secretário-geral, António Costa, à qual a Lusa teve hoje acesso. “Antecipo-me ao vosso procedimento disciplinar conducente à minha expulsão do PS, poupando-vos trabalho e perda de energias tão necessárias a preparar os atos eleitorais que se avizinham, para que não ganhem por poucochinho ou não percam, como há quatro anos, apresentando a minha demissão de militante 15488”, lê-se no documento.


Recordando o seu percurso de militância, nomeadamente os 20 anos de presidência da autarquia, José Ribeiro escreveu ainda: “Não suporto mais tanta indignidade, tanto desrespeito e tanta desconsideração!”.

O processo disciplinar a que José Ribeiro se refere decorre do facto de, apesar da sua condição de líder da concelhia de Fafe em 2017, ter encabeçado, nas autárquicas daquele ano, uma lista independente que concorreu à assembleia municipal (AM).

Desde 2017 que José Ribeiro alega ter sido candidato numa lista independente à AM e apoiado a candidatura, no âmbito do mesmo movimento, de Antero Barbosa, também militante do PS, à presidência da câmara, porque o então presidente do executivo, o independente Raul Cunha, eleito em listas do PS, havia dito publicamente e à concelhia socialista que não se pretendia recandidatar ao cargo.

Raul Cunha acabou, contudo, por se candidatar a um segundo mandato na autarquia, com o apoio da direção nacional do PS, que avocou o processo de escolha, em oposição à estrutura concelhia que indicara Antero Barbosa como candidato.

Seguiu-se uma conturbada campanha eleitoral, com militantes do PS nos dois lados da contenda.

O PS, encabeçado por Raul Cunha, acabou por ganhar a eleição para a presidência da câmara, sem maioria absoluta, mas perdeu o escrutínio da assembleia para os independentes, liderados por José Ribeiro.

Na carta, José Ribeiro recorda à direção nacional socialista que deixou a autarquia em 2013 e que deu “todo o empenho e saber para que o PS mantivesse a câmara e resolvendo uma situação política muito complexa”. Sinalizou ainda que foi “a pedido e por acordo do atual residente da câmara” que se candidatou à concelhia em 2016, “tendo vencido por dois terços dos votos, na eleição mais participada de sempre”.

“É esta a minha história de vida no interior do PS, a que agora ponho termo a contragosto, dado o vosso irritante autismo e arrogância”, escreveu José Ribeiro, queixando-se de perseguição e explicando que se demite porque o seu passado não “mereceu” de António Costa “o mínimo respeito ou atenção, antes desprezo e sobranceria”.

“Saio também por não suportar a mentira e a incapacidade de diálogo democrático da sua secretária adjunta”, acentuou, concluindo: “Saio com mágoa, mas com a consciência de tudo ter feito para evitar a minha saída. Estou a mais no PS do António Costa e da Catarina Mendes, do PS centralista, arrogante, autocrático e mesquinho”.

Anúncio

Ave

Bombeiros que assistiram parto na ambulância em Fafe convidados para padrinhos

Parto

em

Foto: BV Fafe

Os bombeiros Marilisa e Pedro, da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fafe, foram convidados para padrinhos de batismo da pequena Maria Emanuela, bebé que ajudaram a nascer dentro de uma ambulância daquela corporação.

O anúncio foi feito esta sexta-feira através das redes sociais, dando conta do convite dirigido pelos pais da pequena bebé aos bombeiros Pedro Cunha e Marilisa Soares, depois destes terem feito, em exclusivo, o parto da bebé a caminho do hospital.

A pequena Maria não quis esperar e nasceu nas mãos dos bombeiros em Fafe

Conta aquela corporação que o pai da Maria Emanuela, emigrado em França, regressou para ver o “seu novo rebento” e, em conjunto com a esposa, decidiram convidar os bombeiros “parteiros” para visitarem e bebé.

“Durante essa visita, os pais da Maria Emanuela convidaram o Pedro e a Marilisa para serem padrinhos da sua filha, convite esse aceite prontamente e que deixou o Pedro e a Marilisa muito felizes”, escreve a corporação.

“Esta é mais uma história na vida destes dois bombeiros, com um duplo final feliz”, acrescenta.

No passado dia 26 de agosto, Maria Emanuela não quis esperar e nasceu em casa, a 30 quilómetros do hospital onde seria suposto ter visto a luz do dia pela primeira vez.

A mãe da Maria começou a entrar em trabalho de parto dentro de casa. Pedro e Marilisa, bombeiros da corporação de Fafe, acorreram imediatamente ao local para transportar a mãe para o Hospital Senhora da Oliveira, em Guimarães.

Mas a Maria não quis esperar e acabou por nascer nos braços dos bombeiros, situação que já não acontecia “há alguns anos”, segundo revela aquela corporação.

“Assim, depois de ter vindo ao mundo, a Maria Emanuela e a mãe depois de devidamente estabilizadas, foram transportadas para o Hospital de Guimarães”, refere a mesma corporação.

Continuar a ler

Ave

Fafe aprova taxa mínima de IMI e deduções para famílias com dependentes

Impostos

em

Foto: CM Fafe

A Câmara de Fafe anunciou hoje que foi aprovada a taxa mínima de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para os prédios urbanos e deduções até 70 euros para as famílias com dependentes.

Segundo a autarquia, as famílias com um dependente deduzem 20 euros, com dois dependentes 40 euros e com três ou mais 70 euros.

“A aplicação da taxa mínima de IMI, associada à dedução fixa para os agregados familiares com dependentes, representa uma devolução às famílias residentes no concelho de Fafe que ultrapassa os 2,8 milhões euros”, lê-se num comunicado enviado à Lusa.

A autarquia assinala, também, que foi aprovada a fixação da Derrama em 1,2 % e a isenção para as empresas com volume de negócios até 150 mil euros.

Esta decisão mantém, refere o município “uma política fiscal municipal responsável e com o objetivo de apoiar as empresas”.

Citado no comunicado, o presidente da Câmara de Fafe, Raul Cunha, salienta que “a fixação dos impostos municipais com taxas reduzidas vai de encontro à principal preocupação deste Executivo “, no sentido de “dar mais e melhores condições de vida aos fafenses”.

Segundo o edil, pretende-se “aliviar a carga fiscal às famílias e às empresas, numa lógica responsável, tendo em conta o princípio da estabilidade fiscal e a posição de município familiarmente responsável”.

“Estas medidas só são possíveis porque a autarquia mantém uma boa gestão e as contas equilibradas”, acentuou ainda Raul Cunha.

Continuar a ler

Ave

GNR resgata abutre em Fafe

Entregue a centro de recuperação

em

Foto: GNR

Um abutre negro foi recuperado junto a uma habitação por militares do Núcleo de Proteção Ambiental da GNR de Fafe, na localidade de Queimadela.

Foto: GNR

A GNR explica que, por se encontrar fora do seu habitat natural, a ave foi entregue ao Centro de Recuperação de Fauna Selvagem do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, para avaliação.

Continuar a ler

Populares