Seguir o O MINHO

Cávado

Esposende: Espetáculo de revista ao ar livre

em

A cidade de Esposende vai receber a apresentação do teatro de revista “P’ ro Diabo Kus Carregue”, no dia 16 de agosto, pelas 22h00, no Largo dos Bombeiros.


Segundo comunicado do Município de Esposende, organizador do evento, este espetáculo é “um verdadeiro festival de gargalhada para fazer esquecer a crise”.

“P’ ro Diabo Kus Carregue” é baseado em rábulas de carácter crítico sociocultural e humorístico, escritas por conceituados autores e compositores nacionais.

Esta iniciativa, integrada no cartaz “Esposende Verão 2015”, tem no elenco a fadista lisboeta Anita Guerreiro, Paulo Oliveira, Ana Paula Mota, Luís Viegas e Filipa Giovanni.

A entrada é livre.

Pro_diabo_Kus_carregue cartaz

Anúncio

Cávado

Associação de Esposende denuncia “falta de limpeza” em espaço cedido à Docapesca

Ambiente

em

Foto: Associação Cidadãos de Esposende

A Associação Cidadãos de Esposende denuncia um “possível atentado ambiental” na zona ribeirinha de Esposende, apontando o dedo à “falta de limpeza” e “à acumulação de objetos em áreas destinadas ao estacionamento, sendo alguns dos objetos arcas frigoríficas”.

Fonte da Câmara explicou a O MINHO que, devido à realização de obras, o espaço público em questão está temporariamente cedido à Docapesca, que ficou responsável pela gestão e limpeza do mesmo até ao final da intervenção.

Em comunicado, a Associação Cidadãos de Esposende expressa “preocupação com o estado de degradação da zona ribeirinha do concelho, falando mesmo de um possível atentado ambiental”, acrescentado que reportou a situação ao presidente da Câmara, Benjamim Pereira.

Considerando “lastimoso o estado em que se encontra um dos locais mais procurados por quem visita Esposende”, a Associação destaca “uma falta de limpeza generalizada em toda a zona sul, e a acumulação de objetos em áreas destinadas ao estacionamento, sendo alguns dos objetos arcas frigoríficas”.

A Associação diz não compreender “que em 2020 estejam frigoríficos em plena zona de passagem, mais ainda quando esses objetos são equipados com compressores ou sistema de circulação de gás que podem libertar contaminantes do ambiente como os CFC — químicos sintéticos denominados clorofluorocarbonetos”.

Acrescenta que “pretende entender se a zona sul, que em agosto de 2007 foi alvo de um arranjo urbanístico, é hoje um espaço para depósitos ou uma zona turística, não sendo possível coabitar ambas”.

Portanto, a Associação considera que é “urgente limpar toda a zona, retirar de imediato todos os objetos perigosos e estabelecer que espaços são usados pelos profissionais da pesca e que locais são para uso desportivo ou de lazer”.

Espaço público cedido temporariamente à Docapesca

Naquele local, há um espaço público, que consiste em parque de estacionamento e parque com aparelhos de desporto, que confronta com a zona onde está a doca e os armazéns dos pescadores, que é da Docapesca.

Fonte da Câmara de Esposende esclareceu que, “por força das obras que decorrem na doca de pesca de Esposende, o Município de Esposende cedeu, à Docapesca, temporariamente, o espaço público delimitado pelo parque de estacionamento, para aí serem colocados contentores, onde os pescadores guardariam os seus bens”.

“O parque de estacionamento foi vedado e instalados ali contentores que foram cedidos aos pescadores”, acrescenta a fonte, referindo que “foi definida uma data para os pescadores regressarem ao espaço intervencionado, libertando o parque de estacionamento”.

“Conforme ficou acordado desde o início, a Docapesca comprometeu-se a entregar o espaço devidamente limpo, processo que está a decorrer, até à conclusão da obra”, conclui a fonte.

Continuar a ler

Cávado

Covid-19: Esposende com 7 casos ativos, 69 recuperados e um óbito

Covid-19

em

Foto: O MINHO / Arquivo

O concelho de Esposende registava, até ás 18:00 horas desta quarta-feira, 77 casos acumulados de infetados com covid-19 desde o início da pandemia, apurou O MINHO junto de fonte local da saúde.

Destes, 69 estão dados como recuperados, lamentando-se ainda um óbito, um homem de 90 anos, residente em Belinho, que faleceu no passado dia 29 de abril.

Existem, atualmente, sete casos ativos de covid-19 em todo o concelho, disse a mesma fonte.

Estes dados são apurados por O MINHO junto de fonte local do setor da saúde e não coincidem com os divulgados pela Direção-Geral de Saúde, no qual Esposende regista o número de 50 doentes há várias semanas.

A DGS já veio a público admitir que os dados não têm sido atualizados, devendo essa atualização ocorrer em breve.

Portugal regista hoje mais 13 óbitos por covid-19, em relação a quarta-feira, e mais 418 casos de infeção confirmados, dos quais 328 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim epidemiológico diário, o total de óbitos por covid-19 desde o início da pandemia é agora de 1.644 e o total de casos confirmados é de 45.277.

Há 30.049 casos recuperados, mais 335.

Continuar a ler

Barcelos

Jovem de Barcelos diz que matou pai à machadada para acabar com inferno em casa

Justiça

em

Foto: Ivo Borges / Arquivo

Um jovem de 17 anos acusado de matar o pai à machadada em Pereira, Barcelos, confessou hoje o crime, explicando que o seu objetivo foi acabar com o “inferno” criado em casa pelo progenitor.

No início do julgamento, no Tribunal de Braga, num depoimento confuso e marcado por crises de choro, o arguido disse que o pai andava constantemente embriagado, discutia recorrentemente com a mãe sobretudo por questões de dinheiro e que a insultava “quase todos os dias”.

Além disso, admitiu também que ficava “intimidado” com os “toques” que o pai “de vez em quando” lhe dava nas costas, nos ombros e nas virilhas, atribuindo-lhes um cariz sexual.

O homicídio ocorreu em 26 de julho de 2019, um dia depois de a vítima ter regressado de França, onde estivera emigrado desde janeiro.

“Foram os melhores momentos das nossas vidas”, disse o arguido, referindo-se ao período em que o pai não esteve em casa.

Mal chegou, as discussões com a mãe voltaram, tendo a vítima ainda deixado claro que a partir dali “ainda ia ser pior”.

No dia dos factos, ao almoço, o pai voltou a insultar a mãe do arguido.

A mãe foi entretanto trabalhar e o pai foi “dormitar”, para o quarto.

O arguido foi buscar uma machada e desferiu-lhe um número não concretamente apurado de golpes, que o atingiram, além do mais, na cabeça, face, peito, membros e órgãos genitais, acabando por lhe provocar a morte.

A acusação, como hoje sublinhou a juiz presidente, tem cinco páginas com as lesões sofridas pela vítima.

O arguido deixou a machada espetada na cabeça do pai.

“Atuou com frieza de ânimo, aproveitando-se do facto de o seu pai estar deitado a descansar e alheio aos seus intentos, não lhe dando hipótese de qualquer defesa”, sublinha a acusação.

O arguido disse que nunca antes tinha pensado em fazer aquilo e alegou que não se lembra em que partes do corpo atingiu o pai.

“Só sei que fiz isto”, referiu, acrescentando ainda que quis “proteger” a mãe.

Hoje, o tribunal ouviu também a mãe do arguido, que disse ter vivido “muito aterrorizada” com o comportamento do marido e que o filho “tinha sempre muito medo do pai”.

“Até hoje ainda não acredito que o meu filho tenha feito aquilo. Ele morria de medo de objetos que cortassem. Teve de acontecer alguma coisa de muito grave, mas ele nunca me contou, porque é muito fechado, muito reservado”, referiu.

Em relação ao período em que o marido esteve emigrado, disse que “foram quatro meses como nunca tinha tido na vida”.

Disse ainda que o filho “sempre foi muito apegado” a ela, tanto que ainda hoje dormem na mesma cama.

O arguido, que à data dos factos tinha 16 anos, está acusado de homicídio qualificado, um crime punível com até 25 anos de prisão.

Continuar a ler

Populares