Esposende de luto pela morte de jovem casal em deslizamento de terra: “Tantos sonhos por realizar”

Susana e David tinham 22 anos

O concelho de Esposende está de luto pela morte de Susana Gonçalves e Fábio David, jovem casal que faleceu na sequência de um deslizamento de terra, na madrugada desta quarta-feira, na freguesia de Palmeira de Faro.

Mário Fernandes, presidente da Junta da União de Freguesias de Palmeira de Faro e Curvos, publicou uma nota de pesar, na sua página de Facebook, na qual deixa as condolênicas às famílias.

“Manifestamos os mais sentidos pêsames aos familiares dos dois jovens, de 22 anos, que esta noite pereceram, a SUSANA e o DAVID, vítimas de um grave incidente, causado por uma derrocada que os atingiu em casa enquanto dormiam. Tantos sonhos que ficam por realizar. Muita força, neste momento de dor, a todos os familiares e amigos. Um abraço de solidariedade e conforto”, lê-se na nota de pesar publicada pelo autarca.

O presidente da Câmara mostrou-se “profundamente consternado” com a “catástrofe” e refere que o Município de Esposende “disponibilizou os meios necessários e acompanhou os familiares neste momento difícil”.

“Endereço profundas condolências e solidariedade aos familiares e amigos dos falecidos e que estes encontrem a força para prosseguir o caminho da vida”, acrescenta a publicação na sua página de Facebook, que acompanha a partilha de um comunicado da autarquia, garantindo que “o processo de licenciamento desta habitação decorreu com normalidade, desconhecendo-se a existência de qualquer reclamação apresentada pelo proprietário desta habitação quanto a eventuais situações que pudessem pôr em perigo a mesma”.

Também o Arcebispo de Braga, José Cordeiro, já manifestou “grande consternação e profunda tristeza” pela tragédia que vitimou os dois jovens de 22 anos.

“É com grande consternação e profunda tristeza que tomámos conhecimento da catástrofe que se abateu esta madrugada em Palmeira de Faro, Esposende, provocando a morte de dois jovens, vítimas de um deslizamento de terra”, lê-se na publicação de José Cordeiro.

E acrescenta: “A Arquidiocese de Braga de Braga e a Paróquia de Santa Eulália de Palmeira de Faro, nas pessoas do seu arcebispo, D. José Cordeiro e pároco, Pe. Armindo Patrão, desejam endereçar profundas condolências e solidariedade aos familiares dos falecidos. Rezamos por estes dois jovens defuntos e familiares. O Senhor dê força à família e aos fiéis da Paróquia de Santa Eulália de Palmeira de Faro e, na sua infinita misericórdia, conceda a paz eterna a estes dois jovens”.

Recém-licenciada em Enfermagem

Susana Gonçalves eram recém-licenciada em Enfermagem pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), que já manifestou o seu pesar pela morte da jovem.

“A Presidência do IPVC manifesta o seu pesar pelo falecimento de Susana Gonçalves, recém-licenciada em Enfermagem na Escola Superior de Saúde – IPVC e que, hoje, foi vítima de um deslizamento de terra em Esposende, e endereça à sua família e amigos as sentidas condolências”, lê-se na nota.

Seis pessoas na habitação

Como O MINHO noticiou, os dois jovens morreram esta madrugada em Palmeira de Faro, concelho de Esposende, vítimas de um deslizamento de terra que atingiu uma habitação familiar.

Segundo o comandante da Proteção Civil, na habitação estavam seis pessoas. Os jovens de 22 anos que se encontravam no primeiro piso morreram. As restantes pessoas – um casal entre os 40 e os 50 anos e duas crianças, de dois e 12 anos, foram retirados ilesos.

O alerta foi dado às 03:55.

Corpos já foram retirados dos escombros

As operações para a remoção dos corpos das duas vítimas de um deslizamento de terras em Palmeira de Faro, Esposende, começaram ao final da manhã, e pelas 14h50 já tinham sido retirados dos escombros, adiantou a O MINHO fonte do CDOS de Braga.

Em declarações à Lusa, o 2.º comandante distrital de Operações e Socorro de Braga, Rui Costa, adiantou que a remoção dos cadáveres está agora apenas dependente da autorização do delegado de Saúde e da Polícia Judiciária (PJ).

Os corpos serão levados para o Instituto de Medicina Legal de Viana do Castelo.

Sem precisar o número de pessoas em causa, Rui Costa referiu que os moradores das três casas contíguas foram retiradas “por uma questão de segurança” e só poderão regressar às habitações depois de concluídas as operações de remoção de terras e pedras.

O responsável já tinha afirmado esta manhã que as “casas contíguas não correm perigo” e que a apenas por precaução os moradores foram avisados de que “deveriam sair do local”.

Casa fica inabitável

A casa atingida ficou “sem condições de habitabilidade”, disse fonte da Proteção Civil.

Em declarações à Lusa, o 2.º comandante distrital de Operações e Socorro de Braga, Rui Costa, adiantou que a habitação sofreu “danos estruturais”, o que significa que vai ser necessário o realojamento dos quatros membros da família que escaparam ilesos.

“A forma de realojamento ainda está a ser avaliada”, acrescentou.

PJ investiga

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar as circunstâncias do deslizamento de terra.

Fonte da PJ disse à Lusa que já foi feita uma primeira deslocação de inspetores ao local, designadamente para recolha de informação e registo fotográfico.

“Posteriormente, quando a situação no terreno estiver consolidada e tivermos luz verde da Proteção Civil, voltaremos lá para continuar a investigação”, acrescentou.

Notícia atualizada às 16h50 com mais informação.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

População divorciada supera viúvos na última década

Próximo Artigo

Japão surpreende com vitória sobre Alemanha

Artigos Relacionados
x