Seguir o O MINHO

Futebol

“Energia que veio das bancadas foi fundamental para alcançar os três pontos”

Declarações após Gil Vicente-Paços de Ferreira (1-0)

em

Declarações após o jogo da primeira jornada da I Liga de futebol entre Gil Vicente e Paços de Ferreira, que decorreu hoje em Barcelos e que os gilistas venceram (1-0).

Ivo Vieira (treinador do Gil Vicente): “A energia que veio das bancadas foi fundamental para alcançar os três pontos, os gilistas criaram um ambiente favorável, que empurrou a equipa para fazer uma segunda parte melhor, fizeram a equipa acreditar e isso é fundamental. Que venham mais e mantenham essa postura, porque jogamos para eles, nem sempre vamos ser felizes, mas vamos fazer tudo por isso.

O Paços de Ferreira, na primeira parte, teve algum controle do jogo, aos nossos jogadores custou-lhes um pouco soltar-se, mas na segunda parte isso inverteu-se e procurámos ser o Gil Vicente que queremos ser. Os atletas trabalharam imenso e quiseram ganhar o jogo. Encontrámos um opositor motivado e competente, mas acho que acaba por ser um resultado justo pelo que os jogadores fizeram e por terem acreditado que era possível.

No primeiro jogo do campeonato, onde queremos fazer uma boa figura, o importante era ganhar, mesmo não jogando tão bem. Foi um jogo de início de época, não houve grande qualidade constante, sentimos que podemos fazer mais e sermos mais consistente, mas é preciso criar mais rotinas. Foi fundamental ganhar, dar confiança aos atletas e para estarmos mais próximos do que queremos como equipa.

O que gostei menos foi a equipa não assumir mais o jogo, não pegar tanto no jogo na primeira parte, queria que mandasse mais e que tivesse mais consistência durante todo o jogo. O que gostei mais foi termos metido mais gente na frente na segunda parte, assumimos muito mais o jogo, também a competência e competitividade dos atletas e quando não se pode juntar jogar bem e ganhar, importa ganhar”.

César Peixoto (treinador do Paços de Ferreira):  “Considero injusto o resultado, foi um bom jogo, entrámos muito fortes no jogo, criámos três ou quatro oportunidades para marcar, mas não conseguimos concretizar, o Gil Vicente depois começou a pegar no jogo, tem qualidade individual e coletiva, mas foi uma primeira parte equilibrada. Na segunda parte, as ocasiões mais claras foram nossas também, depois do golo ainda reagimos e mostrámos caráter para tentar chegar ao empate. Parabéns ao Gil Vicente, foi feliz, mas nós fizemos um bom jogo, tivemos qualidade e gostei da postura da equipa. Foi pena o resultado, mas o futebol é isto, temos de levantar a cabeça. A equipa teve personalidade, veio joga fora com uma boa equipa conforme treinámos, sem medo de arriscar, tínhamos um plano estratégico bem delineado e eles cumpriram bem.

Numa altura em que tudo se encaminhava para o empate, surgiu o golo, mas a equipa ainda reagiu e tentou o empate, faltou melhor definição no último terço.

(Plantel precisa de mais opções?) Sim, perdemos sete ou oito titulares e ainda não conseguimos repor, o mercado não está fácil para ninguém. Queremos ser criteriosos nos alvos que queremos para acertar e não para fazer número. A seu tempo, vamos conseguir o plantel com mais posições. Estou contente com os que temos e que fizeram a pré-época, com os que cá estiveram. É óbvio que precisamos de mais opções, isso é importante, a curto prazo tenho que encontrar soluções, é para isso que me pagam.

Cartões amarelos condicionaram? Não se podar dar amarelos tão facilmente, condicionam um jogador, mas ainda assim terminámos com 11 jogadores. Ao intervalo, avisámos os jogadores para os duelos. Ainda tivemos uma ocasião claríssima, pelo Gaitán, na zona do penálti, levámos sabor amargo, mas o caminho é este”.

EM FOCO

Populares