Seguir o O MINHO

Guimarães

Empresa de Braga contamina ambiente em pequena freguesia de Guimarães

Ambiente

em

Foto Ilustrativa / DR

A construtora ABB, com sede em Braga, está intimada a pagar multas na ordem dos 100 mil euros à Câmara de Guimarães por irregularidades e descargas poluentes para o rio Ave, divulgou a vereação socialista vimaranense durante a última Assembleia Municipal.

Paulo Silva, vereador do executivo PS, em resposta a queixas de cidadãos da extinta freguesia de Gondomar, em Guimarães, anunciou que foi efetuada uma queixa “há pouco tempo” que resultou em mais uma multa para aquela empresa, desta feita no valor de 25 mil euros. Acumuladas, as diferentes multas já ascendem aos 100 mil euros.

Citado pelo jornal O Comércio de Guimarães desta quarta-feira, um morador, Abel Cardoso, afirma tratar-se de “um pesadelo” o que vivem os moradores daquela freguesia, por entre “poluição, solo endurecido e frutas e legumes cobertos de pó”.

O mesmo cidadão questionou a autarquia relativamente a um loteamento a ser construído na Cumieira, junto à pedreira da ABB, que foi entretanto suspenso e novamente aprovado, alegando que a legalização da sua construção, que abrange áreas de reserva ambiental, se deve a “interesses económicos” do grupo de Braga.

O mesmo vereador respondeu que não existe qualquer acordo entre autarquia e ABB, reforçando as queixas que a Câmara tem efetuado junto de autoridades competentes por falta de incumprimento das regras ambientais dos bracarenses.

Empresa pode chegar a ter 10% da freguesia de Gondomar

De acordo com a edição impressa do Jornal de Notícias desta quinta-feira, os negócios entre ABB e autarquia prosseguem na freguesia de Gondomar, estando em vista a permuta de terrenos públicos para exploração da construtora. O mesmo jornal refere que, caso o negócio seja levado avante, a construtora bracarense poderá passar a explorar cerca de 10% do solo daquela freguesia.

Criada petição

Foi, durante a passada semana, lançada uma petição online para suspender uma alegada venda de terrenos baldios por parte da autarquia à construtora. Os moradores de Gondomar, insatisfeitos, clamam ajuda para que a aldeia não seja “transformada em pó”. O documento conta já com 115 assinaturas.

A petição indica que a exploração de uma das antigas pedreiras da freguesia, situada em terrenos públicos “foi concessionada” à ABB, que “alargou exponencialmente a cratera na montanha, enche a aldeia de uma poeira fina que se entranha nos pulmões e transforma as águas, outrora cristalinas, num leito branco e pastoso, que desagua no Rio Ave”.

“Agora, tenciona comprar os campos maninhos e expandir a exploração, apropriando- se, assim, do que é pertença de todos os habitantes dessa pequena freguesia. A população não aceita. E muitíssimo bem. Vale a pena assinar. São menos de 500 pessoas contra um “gigante” que lhes quer roubar as terras”, refere ainda a mesma petição.

Anúncio

Guimarães

Guimarães inicia construção do maior centro de medicina regenerativa da Europa

“The Discoveries Centre”

em

Avepark. Foto: Divulgação

Já arrancaram as obras de construção do novo Instituto Cidade de Guimarães, local de sede do futuro maior centro de investigação em medicina regenerativa da Europa, no parque de ciência e tecnologia Avepark.

Domingos Bragança, edil, em reunião do executivo camarário vimaranense, tinha anunciado um apoio de 1,5 milhões de euros para a construção deste projeto, que conta ainda com 15 milhões de euros de financiamento direto da Comissão Europeia.

A situar no parque de ciência e tecnologia Avepark, em Guimarães, junto ao edifício 3B’s, terá como epicentro o The Discoveries Centre, uma parceria da Universidade do Minho e de outras quatro universidades portuguesas (Porto, Aveiro, Lisboa e Nova de Lisboa) com a University College of London.

Este centro focar-se-á em investigação multidisciplinar, que será traduzida em métodos inovadores a serem aplicados na prevenção e no tratamento de doenças músculo-esqueléticas, neurodegenerativas e cardiovasculares.

Orçado em 100 milhões de euros, o novo instituto contará com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDRs) do Norte, Centro e Lisboa e Vale do Tejo.

Continuar a ler

Guimarães

Dois detidos por tráfico de estupefacientes em Guimarães

Em operação da PSP

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um homem e uma mulher, de 50 e 48 anos, respetivamente, foram detidos, na quarta-feira à tarde, por agentes da Esquadra de Investigação Criminal (EIC) da PSP de Guimarães, pelo crime de tráfico de estupefacientes, anunciou esta quinta-feira aquela polícia.

Em comunicado enviado a O MINHO, a PSP refere que a detenção deu-se na sequência de um processo em investigação, culminando com esta operação policial, onde foram efetuados dois mandados de buscas domiciliárias na cidade de Guimarães.

De acordo com a PSP, foram apreendidas 116 doses de heroína, 156 de cocaína, seis de haxixe e 125 euros em dinheiro. Durante a investigação, havia também sido apreendido estupefaciente, cocaína suficiente para 59 doses, heroína suficiente para 23 doses e a quantia de 500 euros em dinheiro.

Foto. Divulgação PSP

Os detidos vão ser presentes, amanhã, junto do Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

Continuar a ler

Guimarães

‘A Cozinha’ mantém a estrela e Guimarães segue na rota do Guia Michelin

Restaurantes galardoados foram divulgados em Sevilha

em

Foto: DR/Arquivo

O restaurante “A Cozinha”, em Guimarães, foi galardoado esta quarta-feira com uma estrela Michelin, durante a apresentação do Guia ibérico, em Sevilha. O estabelecimento do ‘chef’ António Loureiro entrou no Guia Michelin Espanha e Portugal pelo segundo ano consecutivo.

O restaurante “Casa de Chá da Boa Nova” (Leça da Palmeira, ‘chef’ Rui Paula) ganhou hoje a segunda estrela do Guia Michelin Espanha e Portugal 2020, que atribuiu a primeira estrela a quatro estabelecimentos portugueses e retirou a outros três.

“Em Portugal, para nossa alegria, também estamos satisfeitos por entregar uma segunda estrela Michelin ao restaurante ‘Casa de Chá da Boa Nova’, de Leça da Palmeira, uma vez que cativou os inspetores tanto pela selvagem singularidade do estabelecimento [um edifício do arquiteto português Siza Vieira], sobre as rochas da Praia da Boa Nova, como pela intensidade da proposta do ‘chef’ luso Rui Paula”, lê-se no comunicado divulgado hoje à noite durante a cerimónia de apresentação da edição do próximo ano do Guia Michelin ibérico, a decorrer esta noite em Sevilha, Espanha.

Nasceu uma nova estrela Michelin, em Guimarães. Foi há um ano. O que mudou de lá para cá?

O ‘chef’ Rui Paula, que alcança agora a segunda estrela (‘cozinha excecional, vale a pena o desvio’), “joga com a memória, as técnicas mais atuais e a cozinha de proximidade para transferir para os seus pratos o autêntico sabor do Atlântico”, consideraram os inspetores do guia ibérico.

Além disso, os restaurantes “Epur” (Lisboa, ‘chef’ Vincent Farges), “Fifty Seconds by Martín Berasategui” (Lisboa, ‘chef’ Filipe Carvalho), “Mesa de Lemos” (Viseu, chef Diogo Rocha) e “Vistas” (Vila Nova de Cacela, ‘chef’ Rui Silvestre) são as novidades na primeira categoria (‘cozinha de grande nível, compensa parar’) do Guia Michelin ibérico.

Por outro lado, três restaurantes portugueses perdem em 2020 a estrela que detinham: “L’And Vineyards” (Montemor-o-Novo, ‘chef’ José Miguel Tapadejo, após a saída de Miguel Laffan), Willie’s (Vilamoura, ‘chef’ Willie Wurguer) e “Henrique Leis” (Almancil, ‘chef’ Henrique Leis) – que em julho foi o primeiro ‘chef’ em Portugal a anunciar que queria abdicar da estrela, que detinha há 19 anos.

O ‘guia vermelho’, equiparado aos Óscares da gastronomia, continua a não atribuir nenhuma classificação máxima a Portugal (três estrelas, ‘uma cozinha única, justifica a viagem’).

No total, Portugal sobe para sete o número de restaurantes com duas estrelas e mantém 20 estabelecimentos com uma estrela.

Na edição do próximo ano, há seis novos restaurantes portugueses com a categoria ‘Bib Gourmand’ (boa relação qualidade/preço): “Casa Chef Victor Felisberto” (Abrantes), “Solar do Bacalhau” (Coimbra), “La Babachris” (Guimarães), “Saraiva’s” (Lisboa), “In Diferente” (Porto) e “Ó Balcão” (Santarém).

A gala de apresentação do Guia Michelin Espanha e Portugal 2020 decorre hoje à noite em Sevilha, marcando também os 110 anos do lançamento do ‘guia ibérico’.

Na nota de imprensa divulgada durante a cerimónia, o diretor internacional dos guias Michelin, Gwendal Poullennec, afirmou que se assiste atualmente a “uma consolidação da alta cozinha” em ambos os países.

Quanto às tendências, o responsável destacou que os hotéis dão “cada vez maior valor estratégico às suas propostas gastronómicas”, mas também o facto de “muitos ‘chefs’ estarem a optar pela cozinha criativa de fusão, incorporando nos seus menus detalhes exóticos e ingredientes próprios do receituário peruano, mexicano ou nipónico”.

Além disso, acrescentou Poullennec, “é muito gratificante ver como Espanha e Portugal participam nas tendências culinárias globais e vão dando maior protagonismo aos alimentos fermentados, aos menus vegetarianos, aos produtos ‘km 0’, à sustentabilidade e à incipiente reciclagem”.

“O nível gastronómico destes dois países continua no auge e a criatividade dos seus ‘chefs’ demonstra uma constante ebulição”, comentou.

Nenhuma entidade oficial representou Portugal durante a gala desta noite.

Esta é a lista dos restaurantes portugueses distinguidos pelo Guia Michelin em 2020:

Uma estrela:

A Cozinha (Guimarães, ‘chef’ António Loureiro)

Antiqvvm (Porto, ‘chef’ Vítor Matos)

Bon Bon (Carvoeiro, ‘chef’ Louis Anjos)

Eleven (Lisboa, ‘chef’ Joachim Koerper)

Epur (Lisboa, ‘chef’ Vincent Farges) – novidade

Feitoria (Lisboa, ‘chef’ João Rodrigues)

Fifty Seconds by Martín Berasategui (Lisboa, ‘chef’ Filipe Carvalho) – novidade

Fortaleza do Guincho (Cascais, ‘chef’ Gil Fernandes)

G Pousada (Bragança, ‘chef’ Óscar Gonçalves)

Gusto by Heinz Beck (Almancil, ‘chef’ Libório Buonocore, após a saída de Daniele Pirillo)

LAB by Sergi Arola (Sintra, ‘chef’ Sergi Arola e Vlademir Veiga)

Largo do Paço (Amarante, ‘chef’ Tiago Bonito)

Loco (Lisboa, ‘chef’ Alexandre Silva)

Mesa de Lemos (Viseu, ‘chef’ Diogo Rocha) – novidade

Midori (Sintra, ‘chef’ Pedro Almeida)

Pedro Lemos (Porto, ‘chef’ Pedro Lemos)

São Gabriel (Almancil, ‘chef’ Leonel Pereira)

Vista (Portimão, ‘chef’ João Oliveira)

Vistas (Vila Nova de Cacela, ‘chef’ Rui Silvestre) – novidade

William (Funchal, ‘chefs’ Luís Pestana e Joachim Koerper)

Duas estrelas:

Alma (Lisboa, ‘chef’ Henrique Sá Pessoa)

Belcanto (Lisboa, ‘chef’ José Avillez)

Casa de Chá da Boa Nova (Leça da Palmeira, ‘chef’ Rui Paula) – novidade

Il Gallo d’Oro (Funchal, ‘chef’ Benoît Sinthon)

Ocean (Alporchinhos, ‘chef’ Hans Neuner)

The Yeatman (Vila Nova de Gaia, ‘chef’ Ricardo Costa)

Vila Joya (Albufeira, ‘chef’ Dieter Koschina)

Continuar a ler

Populares