Seguir o O MINHO

Guimarães

Empresa de Braga contamina ambiente em pequena freguesia de Guimarães

Ambiente

em

Foto Ilustrativa / DR

A construtora ABB, com sede em Braga, está intimada a pagar multas na ordem dos 100 mil euros à Câmara de Guimarães por irregularidades e descargas poluentes para o rio Ave, divulgou a vereação socialista vimaranense durante a última Assembleia Municipal.


Paulo Silva, vereador do executivo PS, em resposta a queixas de cidadãos da extinta freguesia de Gondomar, em Guimarães, anunciou que foi efetuada uma queixa “há pouco tempo” que resultou em mais uma multa para aquela empresa, desta feita no valor de 25 mil euros. Acumuladas, as diferentes multas já ascendem aos 100 mil euros.

Citado pelo jornal O Comércio de Guimarães desta quarta-feira, um morador, Abel Cardoso, afirma tratar-se de “um pesadelo” o que vivem os moradores daquela freguesia, por entre “poluição, solo endurecido e frutas e legumes cobertos de pó”.

O mesmo cidadão questionou a autarquia relativamente a um loteamento a ser construído na Cumieira, junto à pedreira da ABB, que foi entretanto suspenso e novamente aprovado, alegando que a legalização da sua construção, que abrange áreas de reserva ambiental, se deve a “interesses económicos” do grupo de Braga.

O mesmo vereador respondeu que não existe qualquer acordo entre autarquia e ABB, reforçando as queixas que a Câmara tem efetuado junto de autoridades competentes por falta de incumprimento das regras ambientais dos bracarenses.

Empresa pode chegar a ter 10% da freguesia de Gondomar

De acordo com a edição impressa do Jornal de Notícias desta quinta-feira, os negócios entre ABB e autarquia prosseguem na freguesia de Gondomar, estando em vista a permuta de terrenos públicos para exploração da construtora. O mesmo jornal refere que, caso o negócio seja levado avante, a construtora bracarense poderá passar a explorar cerca de 10% do solo daquela freguesia.

Criada petição

Foi, durante a passada semana, lançada uma petição online para suspender uma alegada venda de terrenos baldios por parte da autarquia à construtora. Os moradores de Gondomar, insatisfeitos, clamam ajuda para que a aldeia não seja “transformada em pó”. O documento conta já com 115 assinaturas.

A petição indica que a exploração de uma das antigas pedreiras da freguesia, situada em terrenos públicos “foi concessionada” à ABB, que “alargou exponencialmente a cratera na montanha, enche a aldeia de uma poeira fina que se entranha nos pulmões e transforma as águas, outrora cristalinas, num leito branco e pastoso, que desagua no Rio Ave”.

“Agora, tenciona comprar os campos maninhos e expandir a exploração, apropriando- se, assim, do que é pertença de todos os habitantes dessa pequena freguesia. A população não aceita. E muitíssimo bem. Vale a pena assinar. São menos de 500 pessoas contra um “gigante” que lhes quer roubar as terras”, refere ainda a mesma petição.

Anúncio

Guimarães

Câmara de Guimarães entrega habitação social partilhada

Solidariedade

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Coordenação de Âmbito Social e Financeiro das Habitações do Município de Guimarães (CASFIG) procedeu à entrega de uma habitação social partilhada, iniciativa que beneficia famílias unipessoais, refere um comunicado camarário divulgado hoje.

Em causa está uma residência partilhada, um projeto que segue o modelo de distribuição espacial permitindo a ocupação individual da habitação, de modo totalmente independente, com quarto, casa de banho e cozinha.

“Reconhecendo a importância desta modalidade alternativa ao alojamento convencional, a CASFIG tem vindo ao longo dos anos a aperfeiçoar o seu modelo de implementação e funcionamento, procurando sempre melhorar a sua funcionalidade e garantir maior privacidade individual a cada residente. Nesta linha de atuação foi criada mais uma residência partilhada, com um modelo inovador que permite conferir ainda mais privacidade aos seus residentes, bem como um melhor funcionamento das dinâmicas de convivência diária”, descreve a Câmara de Guimarães.

Até hoje foram entregues 12 residências masculinas partilhadas e seis residências femininas partilhadas, que resulta no apoio total a 45 famílias unipessoais.

Continuar a ler

Guimarães

Casal de traficantes tenta abalroar polícia e embate contra carros em Guimarães

Tráfico de droga

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Dois jovens, um homem de 28 e uma mulher de 23, foram detidos na sexta-feira depois de tentarem embater contra agentes da PSP com uma viatura enquanto tentavam fugir de uma operação de fiscalização, anunciou aquela polícia.

O incidente ocorreu pelas 11:50 de sexta-feira, na rua Dr. Eduardo Almeida, na cidade de Guimarães, quando a patrulha efetuava uma ação de vigilância aos indivíduos por suspeitas do crime de tráfico de estupefacientes.

“Após ter intercetados dois suspeitos, os mesmos ainda dentro da viatura tentaram a fuga, tendo embatido em dois veículos que se encontravam estacionados nas imediações, provocando danos materiais em ambos”, adianta o comando distrital da PSP.

De referir ainda, que aquando da fuga os suspeitos direcionaram a mesma contra os elementos policiais.

No decorrer da intervenção policial foi verificado que os dois suspeito tinham em sua posse heroína suficiente para 36 doses, que lhe foram apreendidas, bem como a quantia de 1.773,30 euros, um telemóvel e a viatura em que se faziam transportar.

Face ao exposto, foram os mesmos detidos, sendo presentes este sábado no Tribunal de Turno de Celorico de Basto.

Continuar a ler

Ave

Guimarães isenta pagamento de taxas da Feira Retalhista e do Mercado Municipal

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães deliberou a isenção de pagamento das taxas da Feira Retalhista e do Mercado Municipal até ao final do ano, anunciou hoje a autarquia.

A medida visa apoiar os comerciantes, na retoma da sua economia em época de contingência no âmbito da prevenção à pandemia covid-19.

Em comunicado, a autarquia afirma que, segundo as estatísticas oficiais disponíveis na presente data, o surto epidémico aparenta estar controlado, mas a pandemia provocou uma disrupção do tecido económico e do emprego cujos efeitos apenas agora se começam a sentir em toda a sua amplitude.

Portanto, considera a câmara, tonar-se indispensável que tais medidas se prolonguem no tempo, como forma de mitigar as dificuldades atualmente sentidas pelas famílias e pelas empresas radicadas no Município.

No Mercado Municipal e na Feira Retalhista de Guimarães existe um plano de contingência que obriga a limitação de acessos de clientes, de distanciamento, de comerciantes, de espaços de venda, pelo que o município entende ser necessário apoiar estes comerciantes, na retoma da sua economia.

Continuar a ler

Populares