Seguir o O MINHO

Alto Minho

É de Caminha a nova secretária de Estado da Habitação. Ponte da Barca ‘ganha’ uma deputada

Remodelação no Governo

em

Foto: DR

A nova secretária de Estado da Habitação é Marina Gonçalves, deputada do PS natural de Caminha. A alto-minhota foi nomeada esta quarta-feira pelo Governo na remodelação efetuada em que foram trocados cinco secretários de Estado.


Eleita para a Assembleia da República (AR) em 2017 pelo distrito de Viana do Castelo, Marina Gonçalves era já uma figura em ascensão nesta legislatura, depois de ter sido indicada como vice-presidente da bancada parlamentar socialista no hemiciclo.

Natural de Seixas, a caminhense foi eleita para a AR em segundo lugar das listas do PS, logo atrás de Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação natural de Paredes de Coura.

Com esta nomeação, Marina Gonçalves deixou o lugar vago na bancada socialista, que passa a ser ocupado por Sílvia Torres, ex-vereadora na Câmara de Ponte da Barca, de onde é natural.

Costa troca cinco secretários de Estado

O primeiro-ministro propôs hoje a substituição de cinco secretários de Estado do seu Governo ao Presidente da República, que aceitou essas mudanças que abrangem os ministérios da Educação, Saúde, Infraestruturas e Habitação, e Mar.

Esta informação consta de uma nota publicada no portal da Presidência da República na Internet.

No Ministério da Educação, a ex-presidente da Câmara de Odivelas e deputada do PS Susana Amador deixa as funções de secretária de Estado da Educação, sendo substituída pela jurista Inês Ramires.

Jamila Madeira, antiga líder da Juventude Socialista, eurodeputada e dirigente do PS, sai das funções de secretária de Estado Adjunta e da Saúde, cargo que passa a ser desempenhado por António Sales, que sobe assim na hierarquia da equipa liderada pela ministra Marta Temido.

Para a equipa do Ministério da Saúde, entra como novo secretário de Estado Diogo Serras Lopes, até aqui vice-presidente do conselho diretivo da Administração Central do Sistema de Saúde e que foi assessor para as questões económicas no gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

Na equipa do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, são exonerados os secretários de Estado Adjunto e das Comunicações, Alberto de Souto de Miranda, e da Habitação, Ana Pinho, sendo substituídos respetivamente por Hugo Santos Mendes e pela vice-presidente da bancada socialista Marina Gonçalves.

No Ministério do Mar, José Apolinário abandona as funções de secretário de Estado das Pescas para se candidatar em outubro à eleição para presidente da Comissão de Coordenação e Regional do Algarve, cargo que passa a ser desempenhado por Teresa Estêvão Pedro, advogada e que foi representante de Portugal no Conselho de Administração da Agência Europeia de Controle das Pescas entre 2010 e 2012.

Anúncio

Viana do Castelo

Câmara de Viana oferece vacina a 400 trabalhadores para prevenir gripe sazonal

Gripe

em

Foto: Ilustrativa (Arquivo)

A Câmara Municipal de Viana do Castelo está a vacinar 400 trabalhadores para prevenir a gripe sazonal, foi hoje divulgado.

Em comunicado, a autarquia informou que irá “promover a vacinação junto de todos os funcionários que demonstraram interesse em receber a vacina da gripe, tendo já iniciado a campanha preventiva com os trabalhadores de risco”.

O centro cultural de Viana do Castelo está a funcionar como unidade de vacinação para a gripe sazonal, para os utentes das freguesias de Santa Maria Maior e Monserrate.

Também esta semana foi iniciada a campanha de vacinação nas Juntas de Freguesia do concelho, para “aliviar a pressão sobre os centros de saúde”, sendo que a vacina é “sempre administrada pelas equipas de enfermagem da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM)”.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Mais 43 casos de covid-19 em três dias no concelho de Viana

Covid-19

em

Foto: O MINHO (arquivo)

O concelho de Viana do Castelo registou mais 43 infetados com covid-19 durante os últimos três dias, contabilizando agora aquele concelho 155 casos ativos do vírus, segundo dados recolhidos por O MINHO junto da Unidade Local de Saúde do Alto Minho.

Os dados remetem para as 17:00 horas desta sexta-feira.

Ao longo dos últimos três dias, o concelho viu ainda 25 pessoas curarem-se do SARS-CoV-2, existindo agora 357 vítimas recuperadas da doença que corre mundo.

No total acumulado, registam-se 533 casos de infeção desde o início da pandemia, mais 43 nos últimos três dias.

A nível distrital, o Alto Minho contava, nesta terça-feira, com 355 casos ativos, 66 óbitos e 1.066 recuperados.

O distrito soma 1.487 casos acumulados desde o início da pandemia, mais 86 desde a última terça-feira.

Continuar a ler

Alto Minho

Alto Minho e Galiza pedem clarificação sobre proibição de circulação nos santos

Entre os dias 30 de outubro e 03 de novembro

em

Foto: DR / Arquivo

O Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) do Rio Minho pediu hoje ao Governo para clarificar a mobilidade transfronteiriça, na sequência da proibição de circulação entre concelhos portugueses entre os dias 30 de outubro e 03 de novembro.

“Esperamos que, na próxima semana, haja uma clarificação de como se vai processar a circulação nas fronteiras. Temos recebido dezenas de contactos de espanhóis a perguntar se podem vir a Portugal”, afirmou hoje à agência Lusa o diretor do AECT do Rio Minho, Fernando Nogueira.

Na quinta-feira, o Conselho de Ministros decidiu que a circulação entre concelhos do continente está proibida entre os dias 30 de outubro e 03 de novembro, ou seja, durante o fim de semana correspondente ao Dia de Finados.

A decisão de limitar a circulação de passageiros surge pouco mais de uma semana após o Conselho de Ministros ter anunciado o regresso do estado de calamidade.

O responsável, que é também presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira, no distrito de Viana do Castelo, disse ser seu “entendimento” que “se não se pode circular entre concelhos portugueses, automaticamente os vizinhos galegos não devem entrar porque são de fora do concelho”.

“Apesar das fronteiras continuarem abertas não poderão entrar, pois são externos, a não ser que tenham autorização prévia por motivos profissionais ou outros aprovados na resolução do Conselho de Ministros, na quinta-feira”, especificou.

Fernando Nogueira adiantou que por causa daquela medida, a Câmara de Vila Nova de Cerveira, vai, na próxima semana, avaliar a realização, ou não, da feira semanal do concelho que coincide com o fim de semana abrangido pela proibição de circulação no continente.

“Aguardamos por diretivas nacionais mais específicas para decidir, uma vez que não devem aceder à feira cidadãos de outros concelhos e já a atividade de feirar não é considerada uma atividade profissional”, explicou.

Fernando Nogueira insistiu na necessidade de criação do Cartão do Cidadão Transfronteiriço para “evitar, futuramente, este tipo de situação”.

Em causa está a criação do cartão do cidadão transfronteiriço que o AECT do Rio Minho propôs em junho e que integra a Estratégia Comum de Desenvolvimento Transfronteiriço (ECDT), apresentada este mês na cimeira luso-espanhola realizada na Guarda.

Constituído em fevereiro de 2018, e com sede em Valença, o AECT Rio Minho abrange um total de 26 concelhos: os 10 municípios do distrito de Viana do Castelo que compõe a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho e 16 concelhos galegos da província de Pontevedra.

Portugal contabiliza pelo menos 2.245 mortos associados à covid-19 em 109.541 casos confirmados de infeção, segundo o mais recente boletim da Direção-Geral da Saúde, de quinta-feira.

Continuar a ler

Populares