Seguir o O MINHO

Ave

Empresa e amigos em choque com a morte de Chiquinho no Gerês

Óbito

em

Foto: Redes Sociais

Francisco Henrique Azevedo, de 20 anos, faleceu esta quarta-feira quando passava uns dias de férias com amigos na zona do Gerês, depois de ter ficado preso no lodo da albufeira da Caniçada, quando dava um mergulho a meio desta manhã.


O óbito foi declarado pouco depois das 16:00 horas, quando os mergulhadores recuperaram o corpo do jovem residente em Oliveira Santa Maria, no concelho de Famalicão.

Encontrado sem vida jovem de Famalicão desaparecido no Gerês

Alguns dos amigos, bastante consternados com o súbito desaparecimento de ‘Chiquinho’, como era conhecido, disseram a O MINHO que se tratava de um jovem muito bem disposto e que irá deixar muitas saudades a quem lhe era próximo.

Também a empresa onde trabalhava, a ACO Shoes, administrada pelo antigo presidente da Câmara de Famalicão, Armindo Costa, lamentou o óbito do jovem funcionário através de uma comunicação oficial nas redes sociais.

Francisco frequentou a Escola Padre Benjamim Salgado, em Joane, e jogou futebol no Ronfe.

Ainda não são conhecidas as datas para as exéquias fúnebres que deverão ocorrer na paróquia de Oliveira Santa Maria, de onde era natural.

Anúncio

Ave

Restaurante em Famalicão fecha após infeção confirmada em funcionária

Covid-19

em

Foto: Restaurante Tosco / Facebook

O restaurante Tosco, em Riba D’Ave, Famalicão, encerrou após uma funcionária ter testado positivo à covid-19, anunciou hoje a gerência.

“Informamos os nossos estimados clientes que dando cumprimento às normas preventivas estabelecidas pela DGS e após termos conhecimento que uma nossa colaboradora testou positivo para a covid-19, o restaurante Tosco estará a partir de hoje encerrado”, refere o estabelecimento na sua página de Facebook.

O restaurante assegura que “todas as precauções foram e serão tomadas no sentido de garantir a segurança” de clientes e colaboradores.

“Voltaremos assim que estejam garantidas todas as condições de segurança para todos os nossos clientes e funcionários e apelamos desde já à vossa compreensão”, conclui a nota.

Segundo o boletim epidemiológico da DGS de segunda-feira, com os dados discriminados por concelho, Famalicão 1.195, mais 174 em relação à semana anterior, o que representa um crescimento de 17%.

Continuar a ler

Ave

Roubam carro durante reunião religiosa em Vila Verde e são apanhados em Famalicão

Quatro jovens ficaram com termo de identidade e residência

em

Foto: Duarte Prestes no grupo de Facebook 'Moina na Estrada'

Quatro pessoas, dois homens e duas mulheres, foram detidos, esta terça-feira, por furto de carro e condução perigosa, na freguesia de Nine, em Famalicão, anunciou hoje a GNR.

Os detidos são dois homens de 18 e 27 anos e duas mulheres de 20 e 21 anos foram ontem presentes a tribunal e ficaram em liberdade sujeitos a termo de identidade e residências, a mais leve das medidas de coação.

Ao que O MINHO apurou, o Opel Corsa branco foi roubado enquanto o dono se encontrava numa reunião da assembleia paroquial, na igreja da freguesia de Cabanelas, em Vila Verde.

O grupo furtou, ainda, uma carteira do interior de um veículo que estava estacionado próximo.

Em comunicado, a GNR refere que, durante uma ação de patrulhamento, os militares detetaram duas viaturas furtadas, em Braga e em Famalicão, que, perante a presença policial, iniciaram uma fuga.

“Foram seguidas e uma das viaturas foi imobilizada na freguesia de Nine, tendo-se verificado que tinha sido furtada há pouco tempo na zona de Braga, acabando os quatro ocupantes detidos”, acrescenta o comunicado.

Em simultâneo, a segunda viatura furtada, que se havia separado da outra durante a fuga, foi abandonada no centro de Famalicão.

Foi possível ainda apurar que o grupo furtou uma carteira do interior de um veículo.

A ação contou com o reforço do Destacamento de Intervenção (DI) de Braga e com o apoio da Polícia de Segurança Pública (PSP).

Continuar a ler

Ave

Universidade do Minho “aposta forte” em Famalicão

Ensino superior

em

Foto: Divulgação / CM Famalicão

O reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, entregou, esta manhã, a bandeira da Universidade do Minho ao presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, num gesto carregado de simbolismo que marca a presença da Universidade em Famalicão. “Com este gesto não estamos propriamente a querer marcar território”, disse o reitor em tom de brincadeira, “mas estamos a demonstrar a nossa intenção e a nossa ambição de consolidar a Universidade do Minho neste território através de um projeto com futuro”.

Paulo Cunha visitou, esta terça-feira, o Centro de investigação da Universidade do Minho, criado há cerca de um ano no CIIES (Centro de Investigação e Inovação e Ensino Superior de Famalicão), em Vale S. Cosme. Acompanhado por Rui Vieira de Castro, Paulo Cunha inteirou-se sobre o trabalho desenvolvido nos dois laboratórios que já funcionam na estrutura e sobre os projetos para o futuro.

Neste momento, a Universidade do Minho já investiu em Famalicão mais de um milhão de euros em equipamentos para apetrecharem os laboratórios de Biotecnologia Alimentar e de MicroNano Fabricação. De acordo com o reitor, para além do equipamento, “a Universidade trará para o concelho a curto prazo cerca de 30 investigadores e, por arrastamento, estudantes de doutoramento e estudantes de mestrado e outros investigadores que farão aqui os seus estudos”.

“É um número significativo, que tenderá sempre a aumentar por efeito de alargamento da nossa atividade aqui”, afirmou Rui Vieira de Castro, que não escondeu a ambição de criar em Vila Nova de Famalicão “um verdadeiro polo da Universidade do Minho”.

“Nós criamos aqui estas duas unidades instaladas, mas a nossa perspetiva é bastante mais ambiciosa. Verdadeiramente o que nós esperamos é ir construindo a ideia de uma universidade multipolar, com uma presença mais vincada em Famalicão”.

O reitor referiu ainda o ambiente empresarial propicio existente no concelho, salientando que “este é um contexto extremamente favorável à universidade para que ela possa materializar algumas das suas dimensões de atividade. Famalicão é uma aposta forte”.

Satisfeito com as intenções da Universidade do Minho para o concelho, o presidente da Câmara Municipal disse que “Famalicão é hoje um concelho fortemente industrializado e é o epicentro de grandes empresas, reunindo um potencial enorme, para através de parcerias, como esta com a Universidade do Minho, afirmar-se no contexto nacional e internacional”.

O autarca salientou ainda a importância “do ambiente propicio à partilha de conhecimentos e à inovação”, tendo em conta a proximidade destas estruturas ao TECMEAT, Centro de Competências do Agroalimentar, que também está instalado no CIIES, assim como a um conjunto de empresas e entidades ligadas ao agroalimentar. “Temos aqui reunidas as condições essenciais para que o resultado seja o que ambicionamos”, referiu Paulo Cunha, dando conta da aposta do município no setor das Carnes.

Continuar a ler

Populares