Seguir o O MINHO

Futebol

“Dominámos o jogo do primeiro minuto ao minuto 100”

Declarações no pós Famalicão-Tondela

em

Foto: DR / Arquivo

Declarações dos treinadores após o jogo Famalicão-Tondela (2-3), da 13.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado em Vila Nova de Famalicão:


João Pedro Sousa (treinador do Famalicão): “Falhou precisamente isso [a eficácia]. Temos de ir menos vezes [à área contrária] e marcar mais. E não podemos permitir que o adversário, em tão poucas vezes, possa marcar. Temos um problema identificado, que, se calhar, tem mais a ver com a forma como atacamos do que com a forma como defendemos. Temos de resolver isso, para que não seja preciso trabalhar tanto para vencer os jogos.

Nos últimos dois jogos, os resultados foram maus, duas derrotas. Jogámos e trabalhámos, mas estamos a perder por causa de erros defensivos que não permitem que os resultados sejam melhores.

Há um plano de jogo e há uma estratégia que tem a ver com o nosso jogo e com a nossa qualidade. Dominámos o jogo do primeiro minuto ao minuto 100. Infelizmente, o adversário aproveitou um erro numa primeira fase de construção nossa e um canto. A transição ofensiva do adversário causou-nos alguma mossa. Temos de resolver.

Há posse de bola e posse de bola [sobre o facto de a equipa ter recorrentemente mais posse de bola do que os adversários, mas perder pontos]. A nossa posse faz mossa às equipas adversárias. Temos alguma dificuldade em colocar a bola em zonas de finalização em maior número. Mas o nosso problema também tem a ver com a forma como atacamos. Temos de reagir à perda da bola com outras características e outra velocidade.

A paragem do jogo [na altura do golo anulado ao Famalicão], para além de prejudicar o Famalicão, prejudicou o futebol. Não faz sentido estar quase 10 minutos à espera de uma decisão”.

Natxo González (treinador do Tondela): “Sim [foi a vitoria da eficácia], se bem que me vem à cabeça o falhanço do Murillo [no início da segunda parte]. Os nossos dois primeiros golos foram marcados nas primeiras oportunidades. Nas últimas partidas, não tínhamos tido [grande eficácia]. Sabíamos que tínhamos de fazer mais golos para ganhar, porque o Famalicão chegou muitas vezes à área.

Valorizo muito a reação da equipa, após duas derrotas seguidas. O mais importante é a resposta a essa situação. Passámos por uma dificuldade que não tínhamos vivido até agora.

[O Famalicão] foi dos adversários mais fortes que encontrámos até agora. Têm um jogo posicional muito bom, um pouco à semelhança do [Vitória de] Guimarães. Sou fã. Tentámos sair bem da pressão e aproveitar as bolas ganhas. Sabíamos que a cada perda de bola deles, eles poderiam sofrer.

Havia um desgaste grande [do João Pedro, quando foi substituído]. Sabia que a entrada do Denilson poderia dar mais espaço aos nossos extremos para criarem perigo. Por outro lado, os nossos laterais poderiam ficar expostos”.

Anúncio

Futebol

Vitória assegura Dénis Poha a título definitivo até 2024

Futebol

em

Foto: Divulgação / Vitória SC

O Vitória SC assegurou a transferência de Dénis Poha aos franceses do Rennes por 300 mil euros e assinou contrato com o médio até junho de 2024, informou hoje o clube da I Liga portuguesa de futebol.

O francês, de 23 anos, realizou 32 jogos oficiais pela turma de Guimarães na época 2019/20, ao abrigo de um empréstimo pelo clube da Bretanha, e a SAD vitoriana, presidida por Miguel Pinto Lisboa, avançou para a contratação do atleta a título definitivo.

Além de ter garantido os “direitos económicos e desportivos do atleta por 300 mil euros”, o Vitória pode ainda ter de pagar outros 300 mil euros ao clube francês, onde Poha foi formado, consoante a concretização de “objetivos relacionados com o apuramento para as competições europeias”, informa a nota publicada no sítio oficial dos minhotos.

Apurado para a próxima edição da Liga dos Campeões após o terceiro lugar alcançado na I Liga francesa, o Rennes tem ainda direito a “receber 25% das mais-valias realizadas pelo Vitória numa futura transferência”, refere ainda o comunicado dos minhotos.

Poha estava vinculado ao Rennes desde 2011 e jogou ainda, por empréstimo, em dois clubes da II Liga francesa: US Orleães, na época 2017/18, e Nancy, na segunda metade da época 2018/19.

Internacional pelas seleções jovens gaulesas, o futebolista sagrou-se campeão europeu de sub-19 em 2016, tendo sido titular nos cinco jogos desse torneio, e disputou ainda quatro partidas no Mundial sub-20 de 2017, no qual a França atingiu os oitavos de final.

Continuar a ler

Futebol

Famalicão contrata extremo argentino

Futebol

em

Foto: DR

O Famalicão contratou o argentino Fernando Valenzuela por uma época, anunciou hoje o clube que alinha na I Liga portuguesa de futebol.

O extremo, internacional sub-23 pela Argentina, vai estrear-se a jogar na Europa, depois de ter representado o Barracas Central nas duas últimas temporadas, tendo jogado ainda no Racing Club e no Nueva Chicago.

“Estou a cumprir um sonho. Sempre tive o desejo de jogar na Europa e, por isso, não podia estar mais feliz”, revelou o jogador, que não escondeu a satisfação de jogar no Famalicão.

Continuar a ler

Futebol

UEFA mantém restrições ao FC Porto, que “cumpriu parcialmente” fair-play financeiro

Futebol

em

Foto: DR / Arquivo

A UEFA informou hoje que o FC Porto “cumpriu parcialmente as metas estabelecidas para a época 2019/20” a nível do fair-play financeiro e que vai manter as restrições impostas ao campeão nacional de futebol na temporada 2020/21.

“O FC Porto cumpriu parcialmente as metas estabelecidas para a temporada 2019/20 e, como consequência, as medidas desportivas condicionantes previstas para o FC Porto, como as restrições de transferências e a limitação do número de jogadores na lista A [nas competições europeias], continuarão a aplicar-se na temporada 2020/21”, justifica o organismo, em comunicado.

Deste modo, o FC Porto, que em 2017/18 cumpriu com as metas estabelecidas pela UEFA, ficará sob o regime de monitorização do Comité de Controlo Financeiro de Clubes (CFCB) por mais uma temporada.

O Wolverhampton, treinado pelo português Nuno Espírito Santo e que disputa a Liga inglesa de futebol, também vai estar sob ‘vigilância’ financeira da UEFA nas próximas duas épocas (2020/21 e 2021/22), depois de “não ter cumprido com os requisitos exigidos” em 2019/20.

Além do clube inglês, os franceses do Lille e os turcos do Basaksehir entram nesta lista de controlo financeiro da UEFA, sendo que ambos vão ficar em regime de monitorização nas próximas quatro temporadas (2020/21, 2021/22, 2022/23 e 2023/24).

A UEFA informou ainda que Galatasaray, Kairat Almaty e Maccabi Telavive “cumpriram as metas acordadas para a temporada 2019/20”, mas vão continuar em regime de monitorização, enquanto os romenos do Cluj cumpriram com os objetivos definidos em 2019 e deixaram de estar sob vigilância do CFCB.

Continuar a ler

Populares