Seguir o O MINHO

Braga

Dívida de construtora de Braga Britalar desce 45% em cinco anos

A dívida, atualmente, é de cerca de 30 milhões de euros.

em

Presidente do SC Braga, António Salvador é o dono da empresa. Foto: DR

A construtora Britalar, de Braga, reduziu em 45 por cento, nos últimos cinco anos, a sua dívida, que atualmente é de cerca de 30 milhões de euros, anunciou hoje a empresa.

Em comunicado, a empresa, propriedade de António Salvador, acrescenta que vai “ajustar” o seu novo Processo Especial de Revitalização (PER), para poder antecipar o pagamento aos credores.

O ajustamento vai ainda dotar a empresa de “uma maior capacidade produtiva, que lhe permita dar resposta às solicitações que tem tido do mercado e às obras que tem em carteira”.

A Britalar refere que a nova estratégia de reestruturação surge no quadro de uma conjuntura favorável no setor da construção, em que a empresa tem sido “fortemente procurada por potenciais parceiros e investidores, nacionais e internacionais”.

O comunicado acrescenta que os parceiros e investidores “demonstram interesse em integrar a estrutura acionista da empresa e desenvolver novos projetos, apresentando, contudo, alguns requisitos em relação à situação financeira” da construtora.

Assim, e com o objetivo de responder às exigências do mercado, a nova versão do PER “tem uma amortização mais rápida da dívida com desconto e, consequentemente, uma redução substancial do seu passivo, bem como um serviço da dívida adequado à sua atividade atual e futura”.

Em novembro de 2013, numa altura em que o valor do seu passivo ascendia a 63,7 milhões de euros, a Britalar iniciou um PER, cujo plano tinha como pressuposto a venda da totalidade do seu capital a um fundo, que passaria a exercer a atividade da construtora, uma vez que dispunha de meios para financiar a empresa e contribuir para a sua recuperação económica.

“No entanto, por motivos externos e alheios à Britalar, a prevista venda da totalidade do capital social da construtora não se realizou, o que impossibilitou o cumprimento total do plano de reestruturação acordado, uma vez que este tinha sido elaborado com base na venda da empresa”, refere ainda o comunicado.

Face ao “desajustamento” daquele plano, em 2015 a Britalar decidiu apresentar-se novamente ao PER, com vista a realizar novas negociações com os seus credores e apresentar-lhes um novo plano ajustado à sua realidade, para evitar a situação anterior.

No âmbito deste processo, o volume de créditos reconhecidos pela construtora sofreu uma redução de 29% face ao PER de 2013, “o que demonstra o forte compromisso da empresa em reduzir o seu passivo, que totalizava então 44,9 milhões de euros”.

A Britalar diz que o PER de 2015 “tem sido cumprido”, razão pela qual a empresa introduz agora novos ajustes ao seu plano de restruturação.

EM FOCO

Populares