Seguir o O MINHO

Alto Minho

DiverLanhoso reabre forte em Caminha como centro turístico com alojamento de quatro estrelas

Turismo

em

Foto: Divulgação

O Forte da Ínsua, em Caminha, “abandonado há décadas”, vai reabrir no início de 2022 transformado em centro de atividades turísticas com alojamento, “num conceito de quatro estrelas”, revelou hoje à agência Lusa o presidente da câmara.

Miguel Alves informou que a intervenção naquele imóvel, cujo valor não foi revelado, foi adjudicada à DiverLanhoso.

A empresa, também responsável por um parque aventura na Póvoa de Lanhoso, no distrito de Braga, venceu o concurso público para a concessão do imóvel lançado em julho de 2019 pelo programa governamental Revive.

Àquele procedimento concorreram quatro empresas, três portuguesas e uma francesa.

O Forte da Ínsua, construído entre 1649 e 1652, encontra-se numa pequena ilha rochosa, na foz do rio Minho, perto da costa. Está situado na Ínsua de Santo Isidro, na freguesia de União das Freguesias de Moledo e Cristelo, em Caminha, no distrito de Viana do Castelo.

O projeto vencedor prevê a “instalação de um estabelecimento de alojamento local no interior da fortaleza, respeitando todas as regras de preservação do edificado histórico”.

O novo espaço, “na modalidade de estabelecimento de hospedagem”, terá “cerca de oito quartos duplos e um conjunto de áreas de apoio que permitirão criar zonas de estar, salas de refeições, zonas de apoio e outras estruturas, sempre numa lógica de interpretação e valorização do espaço”.

O complexo turístico proposto pela empresa vencedora irá “desenvolver um conjunto de atividades de animação turística na área do ‘touring’ cultural e paisagístico”, explicou o autarca socialista.

Miguel Alves acrescentou que “o projeto aposta na animação turística de um espaço monumental, numa ligação ao mar, ao estuário do rio Minho, à praia de Moledo, à Foz do Minho e à margem galega”.

“Para além de sessões com recriações históricas dirigidas a públicos específicos e atividades de ‘scape rooms’ que promovam espírito de grupo, a oferta será valorizada com elementos de realidade aumentada que tornem a experiência vivida mais imersiva”.

Segundo Miguel Alves, “toda a ação prevista para o edificado será complementada com ‘tours’ ao longo do curso do rio Minho (aquáticos, rodoviários e cicláveis), atividades de água em rio e mar, estando prevista a aquisição de ‘hovercrafts’ e de um veículo anfíbio, que também poderão assegurar o transporte para a ilha”.

O projeto empresarial prevê ainda a realização de “diversas atividades na costa, aproveitando todo o potencial natural e paisagístico da região”.

“O projeto vencedor assegura aquilo que muitos sonhavam e todos queríamos. A valorização de um dos símbolos maiores do concelho e da região, o aproveitamento de um edificado em abandono, o lançamento de uma nova atividade económica no concelho que vai trazer mais gente, criar mais emprego e honrar o passado e o futuro da nossa terra”, afirmou Miguel Alves.

A abertura do complexo turístico proposto pelo promotor português “deverá acontecer 24 meses após a adjudicação do júri do concurso presidido pela Câmara Municipal de Caminha”.

“Se é verdade que a economia de Caminha tem vindo a afirmar-se nos últimos anos com um forte investimento na área do turismo, não deixa de ser importante continuar a trabalhar para manter em baixa os números de desemprego e continuar bater recordes, como fizemos nos últimos cinco anos, relativamente ao elevado número de hóspedes e dormidas que temos vindo a ter no concelho”, salientou o autarca.

Lançado em 2016, o Revive é um programa conjunto dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, que visa promover a recuperação e a requalificação de imóveis públicos classificados que estão sem uso, através da concessão a privados para exploração para fins turísticos.

Anúncio

Viana do Castelo

Câmara de Viana serviu cerca de mil refeições na última semana

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / DR

A Câmara Municipal de Viana do Castelo já assegurou mais de mil refeições, só na última semana, a profissionais de saúde, forças de segurança pública, bombeiros e Cruz Vermelha, fornecendo ainda refeições a alunos com escalão tipo A e B através das Escolas de Referência e a famílias ou cidadãos com dificuldades económicas, anunciou hoje a autarquia.

Recorde-se que as Escolas de Referência para acolhimento de filhos de trabalhadores de serviços essenciais são EBS de Arga e Lima, Lanheses (Agr. Arga e Lima), Centro Escolar EB de Barroselas (Agr. Barroselas), ES de Monserrate (Agr. Monserrate), EB da Foz do Neiva, Castelo do Neiva (Agr. Monte da Ola), EB Frei Bartolomeu dos Mártires (Agr. Santa Maria Maior), Escola Básica de Abelheira (Agr. Abelheira) e EBS Pintor José de Brito, Santa Marta de Portuzelo (Agr. Pintor José de Brito).

As Escolas de Referência estão também abertas para fornecimento de refeições para os alunos com escalões A e B. As escolas de referência podem ainda fornecer, em regime de ‘take away’, refeições a crianças referenciadas pelas Instituições Particulares de Solidariedade Social. As IPSS sinalizam as crianças com necessidades e, assim, as famílias podem levantar a refeição em causa na escola de referência do respetivo agrupamento. Para fornecimento de refeições em regime ‘de take away’ a escola de referência do Agrupamento do Monte da Ola é a Escola EB2.3 Carteado Mena (Darque).

Em tempos de grande incerteza e vulnerabilidade, as autarquias de Viana do Castelo assumiram um papel fundamental, em parceria com todas as Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho.

Há várias Juntas e Uniões de Freguesia do concelho de Viana do Castelo a apoiar diretamente famílias na compra de medicamentos, alimentação e outros bens essenciais. A par disto, a Câmara Municipal criou uma bolsa de voluntários municipais, onde vários trabalhadores municipais se disponibilizaram para entregar refeições em casa de pessoas mais vulneráveis, medicamentos e outros bens essenciais.

Através da Linha de Apoio Social, há uma grande articulação com todas as juntas de freguesia que estão no terreno, assim como com as IPSS’s. A Câmara Municipal de Viana do Castelo apela àqueles que estejam, neste momento, a precisar de apoio e ainda não o tenham obtido, a que consultem a página da respetiva Junta de Freguesia para perceber se é uma das juntas de freguesia a prestar apoio. Em caso negativo, poderá contactar a Linha de Apoio Social – 258 809 316 – para esclarecer todas as dúvidas.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana encerra cemitério municipal

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / DR

O cemitério municipal de Viana do Castelo está encerrado a partir de ontem numa medida de conteção “adequada para evitar propagação” do novo coronavírus, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado, a Câmara local aponta o decreto n.º2-A/2020 de 20 de março para determinar o encerramento daquele equipamento municipal.

Informa ainda que o cemitério será aberto apenas para a realização de funerais, sugerindo-se que apenas compareçam nos mesmos os familiares mais próximos, “cumprindo a regra do distanciamento social”.

Continuar a ler

Alto Minho

Cinco bombeiros de Monção de volta ao serviço após quarentena no quartel

Covid-19

em

Foto: Divulgação

Os cinco bombeiros de Monção que estiveram em contacto com um doente que acusou positivo nos testes à Covid-19, já terminaram o período de quarentena de 14 dias, realizado no próprio quartel, anunciou a corporação.

Os cinco “bravos bombeiros” terminaram o período de isolamento recomendado pela Direção-Geral de Saúde na sexta-feira, encontrando-se já ao serviço da corporação monçanense.

Segundo fonte da corporação, este foi um “verdadeiro exemplo de civismo e cidadania”.

“Foram dias difíceis, de uma mistura de sentimentos que os transportavam do riso ao choro em escassos minutos principalmente ao recordarem a família que deixaram cá fora e com a qual não podiam conviver normalmente”, refere a mesma fonte.

“Saíram, mas estão prontos para se juntarem aos restantes camaradas e irão continuar a batalhar na linha da frente em prol da nossa população, correndo riscos para assegurarem o socorro de quem mais precisa”, acrescenta.

“Eles merecem a nossa consideração e o nosso aplauso. Que este exemplo sirva para todos, não custa nada manterem-se em casa, no vosso conforto. Seja um agente de saúde pública. Nós continuaremos aqui para vos socorrer sempre que sejamos solicitados”, finaliza.

Continuar a ler

Populares