Seguir o O MINHO

Futebol

Diretor do FC Porto invocou “interesse público” para divulgação de emails

Francisco J. Marques disse que começou a ter acesso aos emails “em abril de 2017”, tendo-os recebidos em três períodos

em

Foto: Twitter

O diretor de informação e de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques, defendeu, esta quarta-feira, em tribunal que a divulgação dos emails do Benfica seguiu o “interesse público”, ilibando ainda a SAD portista desse anúncio.

Ouvido em declarações na quinta e última sessão no Juízo Central Cível do Porto do processo movido pelo Benfica, o réu Francisco J. Marques disse que começou a ter acesso aos emails “em abril de 2017”, tendo-os recebidos em três períodos.

Os primeiros emails, disse, foram para a sua conta no FC Porto, enquanto outros, “encriptados”, seguiram “para a conta [email protected]”, que entretanto criou, dado que recebe diariamente “cerca de 500 emails” na sua conta do clube, sendo assim “mais fácil de fazer a verificação” do que ia chegando.

Revelando que o “último email recebido foi em 12 de julho de 2017”, o responsável portista acrescentou que na segunda remessa de emails constavam “três caixas de email: de Pedro Guerra, Luís Bernardo e Pedro Valido”, do Benfica.

Sobre a sua divulgação no programa do Porto Canal ‘Universo Porto’, Francisco J. Marques defendeu que o fez “sem pedir ou receber ordem da SAD” do FC Porto, embora, na tarde anterior à revelação, tenha informado os administradores “Pinto da Costa, Adelino Caldeira e Fernando Gomes” que o iria fazer à noite.

“Não foi autorizado nem era preciso”, reiterou o diretor portista, que “ilibou” a SAD portista de um processo que defendeu “seguir o interesse público” na divulgação dos emails, em que “procuraram apenas as tramoias do Benfica”.

Perante as dúvidas manifestadas pelo juiz sobre o critério utilizado na divulgação dos emails, o responsável portista reiterou ter “seguido critérios jornalísticos” e que desconhece de quem partiu os emails.

Sobre a entrega dos emails à Polícia Judiciária (PJ), disse que foram entregues em três partes em outros tantos dias.

Confirmando que apenas ele e Diogo Faria “tinham acesso a um computador que se encontrava numa sala fechada”, disse-se “arrependido” por ter intitulado o livro que ambos escreveram de “O polvo encarnado”, preferindo hoje chamar-lhe “A teia do poder encarnado”.

Da venda do livro, entre 2017 e 2018, disse ter ganho “cerca de 3.500 euros”.

“Estamos aqui sentados por o Benfica achar que o FC Porto fez espionagem, quando era o Benfica que o fazia”, acusou Francisco J. Marques.

Por acordo entre o tribunal e os advogados das partes, foi estabelecido o prazo de 10 dias para apresentação por escrito das alegações orais.

Decorrido o referido prazo, e não ocorrendo circunstâncias anómalas, será proferida sentença 30 dias após a secção de processos concluir os autos.

Será feito um comunicado de imprensa após a comunicação da sentença às partes.

Anúncio

Futebol

“Braga vai lutar com o Sporting pelo 3.º lugar”

José Marafona

em

Foto: DR / Arquivo

“O Braga vai lutar com o Sporting pelo terceiro lugar”. Quem o diz é o antigo guarda-redes do SC Braga, José Marafona, herói da Taça de Portugal de 2016, em declarações à Rádio Renascença.

“É preciso que continuem a manter o nível elevado. Se assim for, é possível que o Braga aproveite a época instável do Sporting e lutem, ambos, pelo terceiro lugar”, justifica.

O guardião que, no início da época, saiu do clube da capital do Minho para jogar no Alanyaspor, da Turquia, sublinha que, na sua opinião, em Portugal apenas Benfica e FC Porto irão lutar pelo título de campeão.

“A I Liga está renhida, competitiva e com muito equílibrio entre as equipas. Candidatos ao título apenas dois, FC Porto e Benfica”, defende.

Foto: Divulgação / Arquivo

Com 12 golos sofridos nos onze jogos disputados, Marafona é totalista na baliza do seu novo clube, atual quarto classificado do campeonato turco, com 19 pontos, a dois do líder.

O guarda-redes de 32 anos, em declarações à mesma rádio, diz ter o “sonho” de jogar o EURO 2020 por Portugal.

Continuar a ler

Futebol

Cristiano Ronaldo sem limitações no primeiro treino de Portugal

Seleção Nacional

em

Foto: Divulgação / Arquivo

A seleção portuguesa de futebol fez hoje o primeiro treino de preparação para o embate de quinta-feira com a Lituânia, do Grupo B de apuramento para o Euro2020, numa sessão em que Cristiano Ronaldo participou, aparentemente, sem limitações.

Na Cidade do Futebol, em Oeiras, nos primeiros 15 minutos do treino, que foram abertos à comunicação social, o capitão da seleção nacional ‘aqueceu’ juntamente com os restantes companheiros e, nesse período, mostrou estar sem qualquer problema físico.

Ronaldo foi substituído nos últimos dois jogos da Juventus e o técnico da formação italiana, Maurizio Sarri, chegou a afirmar que o português estaria com um problema num dos joelhos.

No arranque do treino, o selecionador Fernando Santos contou com todos os 24 jogadores convocados, que realizaram os habituais exercícios de ‘aquecimento’, com e sem bola. Neste período, os três guarda-redes, como é habitual, trabalharam à parte.

Após o almoço, a comitiva lusa viaja até ao Algarve, onde na quinta-feira defronta a Lituânia, às 19:45, num encontro que terá arbitragem do francês Ruddy Buquet. Três dias depois, os campeões europeus jogam no Luxemburgo, na despedida do Grupo B.

O agrupamento é liderado pela Ucrânia (19 pontos, em sete jogos), seguido por Portugal (11, em seis), Sérvia (10, em seis), Luxemburgo (quatro, em seis) e Lituânia (um, em sete).

Em caso de vitória nos dois últimos jogos, Portugal assegura o segundo lugar do grupo e o apuramento direto para a fase final do próximo Europeu, independentemente dos resultados obtidos pela Sérvia.

Continuar a ler

Futebol

Portugal-Lituânia: Pode haver festa no Algarve

Seleção Nacional

em

Foto: Divulgação / Arquivo

Portugal pode na quinta-feira garantir a oitava presença em fases finais de Europeus de futebol, sétima consecutiva, caso vença a Lituânia, no Algarve, e a Sérvia não consiga triunfar na receção ao Luxemburgo, no grupo B de apuramento.

É preciso recuar até 1992, na competição que decorreu na Suécia, para encontrar a última fase final de um Europeu que não teve a participação da seleção lusa, que tem tudo para estar no Euro2020, e, pela primeira vez, como detentora do título.

Portugal pode já garantir no Algarve um lugar na fase final, caso vença a Lituânia, um triunfo que é obrigatório, já que a Sérvia segue na perseguição à seleção nacional, somando apenas menos um ponto que a formação lusa no agrupamento.

A presença de Portugal no próximo Europeu, que vai decorrer em vários países, será a sétima seguida, oitava no total, num cenário bem diferente do vivido nos anos 1960 e 1970, em que a formação das ‘quinas’ não conseguia juntar-se à ‘nata’ do futebol do ‘Velho Continente’.

Foi preciso esperar até 1984 e, à sétima tentativa, Portugal finalmente ‘carimbou’ a tão aguardada qualificação, tendo dado nas vistas em França, em que terminou no terceiro lugar.

Tudo voltou ao ‘antigamente’, no Euro1988 e Euro1992, com equipa lusa a ficar pela fase de qualificação, mas, a partir de 1996, Portugal agarrou-se definitivamente às fase finais europeias.

Em Inglaterra, sob o comando de António Oliveira, Portugal chegou aos quartos de final e, quatro anos depois, já com Humberto Coelho, numa organização conjunta de Bélgica e Holanda, repetiu a presença numas meias-finais.

Com entrada direta no Euro2004, como organizadora, a seleção nacional viveu a sua primeira final, acabando por cair perante a Grécia (1-0), no Estádio da Luz, com Luiz Felipe Scolari, que não conseguiu repetir o feito em 2008, na Áustria e Suíça, ficando pelos ‘quartos’.

Com Paulo Bento, Portugal caiu pela terceira vez nas ‘meias’, em 2012, na Ucrânia e Polónia, mas, quatro anos depois, com Fernando Santos, viveu o maior momento da sua história, quando conquistou o troféu, em França.

Caso confirme a qualificação, Portugal vai ter a sua 10.ª fase final seguida, contabilizando campeonatos do mundo, e Fernando Santos vai reforçar o seu estatuto de treinador ‘anti-férias’, já que desde 2016 ‘estragou’ sempre os verões dos jogadores da seleção lusa.

Além do Euro2016 e do Mundial2018, com Fernando Santos, Portugal esteve ainda na Taça das Confederações, em 2017, na Rússia, e, já este ano, na primeira edição da fase final da Liga das Nações, que venceu, no Porto e Guimarães.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares